30 DIAS DE NOITE (30 Days of Night, EUA, 2007)
Gênero: Terror
Duração: 113 min.
Elenco: Josh Hartnett, Melissa George, Danny Huston, Ben Foster, Mark Boone Jr., Mark Rendall, Manu Bennett, Amber Sainsbury, Megan Franich, Joel Tobeck, Elizabeth Hawthorne, Nathaniel Lees
Compositor: Brian Reitzell
Roteiristas:
Steve Niles, Stuart Beattie, Brian Nelson
Diretor:
David Slade

Legal, apesar da falta de medo

Filme baseado em HQ de terror não assusta mas possui uma trama interessante, além de um bom clima de suspense

Fiquei satisfeito com o resultado de 30 DIAS DE NOITE (2007), a adaptação para o cinema da HQ homônima de Steve Niles e Ben Templesmith. Talvez o fato de eu não ter lido a obra original possa ter ajudado um pouco, já que não sabia sempre o que ia acontecer, como quando fui ao cinema ver SIN CITY. E pelo que andei lendo por aí, houve algumas mudanças na estória nessa adaptação. O padrinho do filme é Sam Raimi, que parece estar com medo de voltar a dirigir um filme de terror. Talvez ele ache que não sabe mais dirigir um, depois de tantos anos só fazendo filmes do Homem-Aranha. Desse modo, o posto de direção foi para David Slade, que chamou atenção com o seu thriller de baixo orçamento MENINA MÁ.COM (2005), filme que dividiu opiniões.

Com 30 DIAS DE NOITE, Slade trabalha com um orçamento bem mais gordo e faz um bom trabalho, apesar de faltar no filme uma coisa que eu acho quase essencial num filme de terror: causar medo. Mas como sequer me lembro do último filme que me assustou de verdade, vamos deixar passar este pequeno "detalhe". O que Slade consegue em 30 DIAS DE NOITE é manter um clima de suspense, o que já é alguma coisa. O filme também nos faz lembrar de O ENIGMA DE OUTRO MUNDO, de John Carpenter, pelo fato de se passar num lugar extremamente gelado, e em O DESPERTAR DOS MORTOS, de George Romero, pela forma como os sobreviventes tentam conseguir suprimentos para se manter escondidos até a chegada da aurora.

Também conta pontos a favor o visual dos vampiros - com dentes pontiagudos, unhas quase tão grandes quanto as do Zé do Caixão e sempre com o rosto coberto de sangue, eles são as grandes estrelas do filme. Ainda assim, Josh Hartnett tem os seus momentos de brilho como o herói, em especial na seqüência final. Melissa George, de TURISTAS e da série ALIAS, é o par romântico do rapaz. Assim como o personagem de Al Pacino ficou perturbado com os dias sem noite no Alaska em INSÔNIA, desta vez temos o contrário: uma cidadezinha no norte do território mais frio dos Estados Unidos, afastada da civilização e atormentada por um inverno muito forte. Tão forte que o sol passa trinta dias sem dar as caras por lá. Por isso, sempre nessa época do ano, a cidade fica quase vazia, com muita gente migrando para lugares um pouco mais ensolarados que o vilarejo de Barrow.

Sabendo disso, um grupo de vampiros prepara um esquema de sabotagem, antes de atacar para valer, deixando a cidade sem energia elétrica, telefone, internet ou qualquer outro meio de comunicação com o mundo exterior. Daí pra frente é só começar a carnificina. O vermelho do sangue das vítimas tingindo a neve branca em tomadas aéreas é uma das coisas que mais fica em nossa memória. Já estão falando em continuação, isto é, em adaptações dos outros livros de Niles. É quase certo estarmos diante de uma nova franquia.

Cotação:
Ailton Monteiro
FILME EM DESTAQUE