8 Mile - Rua das Ilusões (8 Mile, EUA, 2002)
Gênero: Drama
Duração: 110 min.
Elenco: Eminem, Mekhi Phifer, Brittany Murphy, Kim Basinger, Eugene Byrd, Omar Benson Miller, Taryn Manning
Compositores: Dr. Dre, Eminem, Jay-Z, Kid Rock, Xzibit
Roteiristas: Scott Silver
Diretor: Curtis Hanson 

Somente para fãs

Filme com o astro do rap Eminem se perde e cai nos típicos clichês de filmes adolescentes

Astros da música adoram se aventurar pelo cinema, isso já é fato consumado. Das magistrais bandas de rock Pink Floyd (THE WALL) e Beatles (OS REIS DO IÊ IÊ IÊ, entre outros) às atuais cantoras pop Jennifer Lopez e Britney Spears, todos tiveram passagens de acordo com suas qualidades musicais - filmes aclamados por crítica e público nos dois primeiros casos, fracassados nos dois seguintes.

Ícone absoluto do hip-hop estadunidense, Eminem não deixou de seguir à regra, lançando um filme considerado quase "auto-biográfico" com nomes de peso na produção, incluindo o consagrado diretor Curtis Hanson (LOS ANGELES - CIDADE PROIBIDA) e as atrizes Kim Basinger (Oscarizada pelo mesmo L.A. CONFIDENTIAL) e Brittany Murphy (GAROTA INTERROMPIDA).

Como nos demais casos de músicos no cinema, 8 MILE - RUA DAS ILUSÕES irá agradar a todos os fãs do artista, já que traz canções no estilo Eminem, cheias de palavrões e pseudo-crítica social. Algo inofensivo à projeção. O problema máximo de 8 MILE é quando o caráter auto-biográfico se torna "importante" demais para a projeção, obrigando Eminem a tomar uma postura de verdadeiro ator - algo que ele não é. O filme narra a trajetória de Jimmy Smith (Eminem), um jovem rapper dos subúrbios de Detroit que sonha em ficar famoso (!). Ao perder a namorada, é obrigado a voltar para a casa da problemática mãe. Sem arrumar um bom emprego, trabalhando em uma fábrica de pára-choques de automóveis e cantando todas as noites, ele se torna um dos nomes da noite dos bairros pobres da cidade com sua arma: o rap. Partindo dessa premissa, o roteiro, com pouca desenvoltura, se perde e cai nos típicos clichês de filmes adolescentes, como a constante repetição de cenas (a tal "batalha", que toma metade do filme).

Além disso, os personagens acabam estereotipados (o herói fracassado, a garota infiel, o retardado da turma) de tal maneira que a narrativa perde boa parte do interesse que poderia ter nas mãos de Curtis Hanson, para chegar a um desfecho igualmente previsível e pouco criativo. Qualquer outra aventura destinada a adolescentes de multiplex está no mesmo nível. Hanson, incrivelmente, não acertou a mão. Por mais que o roteiro de Scott Silver já não seja boa coisa, ele errou feio ao dar um clima "pesado" à trama - assim, excluiu os adolescentes da sala com a censura, e transformou uma história já fraca e desagradável em pura repetição de idéias.

Outro fator que prejudica 8 MILE é uma pequena segregação entre quem gosta de rap e quem não gosta. Para o primeiro caso, pode até ser um filme agradável, já que Eminem é um verdadeiro ícone do gênero. Já para quem não gosta, como é meu caso, as partes musicais se tornam enfadonhas, prejudicando ainda mais o desenrolar da história. Quanto à interpretação, o rapper não foi tão mal quanto era de se esperar. Mesmo não conseguindo exatamente segurar o clima pesado que Hanson deu à projeção, ele não compromete e apresenta uma atuação superior à de sua colega de cena Basinger, que levou o Oscar pela sua única interpretação decente.

E enquanto esperávamos por um filme agradável e até complexo, recebemos essa versão mal resolvida e acabada de LOS ANGELES - CIDADE PROIBIDA. Na verdade, é um DETROIT - CIDADE PROIBIDA, sem o glamour e sem o poderio narrativo e interpretativo da obra-prima de Hanson. Mas que deu a Eminem o Oscar de Melhor Canção...

Cotação:
Carlos Massari
FILME EM DESTAQUE