30 DIAS DE NOITE
Direção: David Slade
Elenco:
Josh Hartnett, Melissa George, Danny Huston, Ben Foster, Mark Boone Junior, Mark Rendall, Amber Sainsbury
Distribuidora:
Sony
Duração:
113 min.
 
Região:
A, B, C

Lançamento:
05/11/2008

Nº de discos:
1

Cotações:
Filme -

BD -

Comentários de
Jorge Saldanha

SINOPSE
Josh Harnett (A Dália Negra, Pearl Harbor) atua numa produção de estilo diferente de seus trabalhos anteriores nesta adaptação assustadora de uma graphic novel cult. Em uma pequena cidade do Alasca, trinta dias de noite é um fenômeno natural. Geralmente poucos forasteiros aparecem por lá, até que um bando de vampiros sedentos por sangue anuncia a sua chegada com um ataque selvagem e mortal aos cachorros de trenó. Mas logo eles descobriram que há algo muito melhor lá para matar a sede: seres humanos. Um a um, os habitantes da cidade sucumbem a esse pesadelo real, mas há um pequeno grupo de sobreviventes... ao menos por enquanto. Os vampiros usam a escuridão a seu favor, e a sobrevivência neste inferno congelado é um jogo de gato e rato em meio a gritos de socorro.

COMENTÁRIOS
Em meio às convenções e clichês das centenas (ou talvez milhares) de obras que trazem a mítica figura do vampiro como protagonista, algumas conseguem se diferenciar por serem de realização superior, ou pelo menos por trazerem um pouco de originalidade ao gênero. Este 30 DIAS DE NOITE, produzido por Sam Raimi e Robert Tapert, se destaca da média um pouco nos dois quesitos. Mais uma produção baseada em quadrinhos (que desconhecia), o longa do diretor David Slade consegue atingir um bom equilíbrio entre manter algumas das características inerentes às criaturas, ao mesmo tempo em que as mostra de uma maneira diferente. Na verdade aqui ele busca fazer o que Zack Snyder realizou com os zumbis de Madrugada dos Mortos: seus monstros são mais brutais, incansáveis e selvagens que os vistos anteriormente, com traços faciais estranhos e ameaçadores - cortesia da WETA do diretor Peter Jackson.

O conceito da graphic novel e, portanto, do filme, é interessantíssimo – o que aconteceria se uma cidade do Alaska, que uma vez por ano fica isolada pela neve e tem uma noite que dura um mês inteiro, fosse atacada por esses demônios carnívoros e sugadores de sangue? Pois é isto que vemos no filme, que possui uma realização muito bem cuidada e uma direção segura de Slade. Basicamente é uma história de sobrevivência, que acompanha os esforços de um pequeno grupo de moradores do local, liderado pelo xerife Eben Oleson (Hartnett) e sua ex-esposa, Stella (Melissa George, de TURISTAS), para escapar das criaturas da noite.

Com um tempo relativamente curto apresentando personagens e estabelecendo sua premissa, o filme logo passa a mostrar os vampiros, todos de negro e liderados pelo sanguinário Marlow (o convincente Danny Huston, sempre falando uma lingual estranha), perseguindo e devorando os habitantes indefesos. O feroz cerco aos sobreviventes acaba tornando-se aterrador, muitas vezes criando uma sensação de isolamento e desespero tão bem levada à tela por John Carpenter em O ENIGMA DO OUTRO MUNDO. E como no clássico de Carpenter, a violência é gráfica (não poupa até mesmo crianças), o que pode chocar aos mais desavisados, Eu, particularmente, elogio a decisão de Slade em realizar um filme que, sem ser de exploração, não hesita em mostrar sangue e decapitações de forma detalhada. O que estamos vendo aqui é uma brutal luta pela sobrevivência, o predador contra sua presa, que tenta sobreviver a qualquer custo, e a violência tem que ser condizente com isto. O filme possui uma beleza visual incontestável, na maior parte do tempo com cores não saturadas, mas em determinados momentos a tela é inundada pelo vermelho vivo do sangue. Em uma imagem memorável, vemos uma tomada aérea da cidade sendo atacada pelas criaturas, com o vermelho do sangue de suas vítimas contrastando com o branco da neve.

Por não conhecer os quadrinhos, não posso opinar muito sobre a fidelidade à fonte original, mas como filme de terror 30 DIAS DE NOITE é uma atraente recomendação para quem gosta do gênero. Dificilmente se tornará clássico ou cult, mas é daqueles longas que prendem a atenção do início ao fim, ajudado por um visual refinado e um roteiro que não segue caminhos desnecessários para estabelecer o clima de ameaça necessário, ao mesmo tempo em que tenta injetar uma boa dose de sangue fresco no mito dos vampiros.


O BD
A Sony lança aqui 30 DIAS DE NOITE em um Blu-ray que, entre as várias opções de idiomas para as legendas e menus, temos o português (do Brasil e de Portugal). Os outros idiomas das legendas são espanhol, inglês, francês, chinês e tailandês. Os menus animados tem um visual inspirado nos quadrinhos, com a predominância da cor vermelha. O filme está apresentado numa ótima transferência anamórfica de alta definição (1080p/MPEG-4) no formato original 2.40:1, que faz jus ao seu visual estilizado. As cores no geral são frias, mas o vermelho, quando surge, é vibrante e sólido. Detalhes e texturas são altamente visíveis, e os contrastes ajudam a criar uma convincente sensação de tridimensionalidade. Em determinados momentos, no contorno das silhuetas contra a neve, percebe-se o que pode ser um pouco de edge enhancement, mas isso não basta para tirar o mérito de uma apresentação visual livre de ruídos, artefatos e com alta nitidez.

Ainda mais impressionantes são as faixas de áudio em inglês e francês Dolby TrueHD 5.1 (48kHz/24-bit), claramente superiores às dublagens Dolby Digital 5.1 em  português, espanhol e tailandês também disponíveis. Já de início a mixagem mostra ser nada sutil, com os fortes graves da trilha eletrônica de Brian Reitzell acionando o subwoofer. O som é potente, com os canais surround tendo poucos momentos de descanso – já que sempre utilizam efeitos sonoros perfeita e sutilmente integrados ao campo sonoro para criar uma ambientação de suspense – além de impulsionar a ação com os habituais momentos de choque e susto. A fidelidade é perfeita, e os diálogos sempre claros. O fato é que o sound design do filme é de primeira, e está fielmente representado nesta que é uma das melhores faixas de áudio lossless disponíveis em Blu-ray. Simplesmente excelente.


OS EXTRAS
O Blu-ray de 30 DIAS DE NOITE pode não trazer extras abundantes, mas eles são de qualidade e nos dão uma boa perspectiva sobre a produção do filme. Exceto pelos comentários em áudio e os trailers, eles possuem a opção de legendas em português (além das demais disponíveis para o filme), e estão em resolução 1080p/MPEG-4 (full HD) e vídeo anamórtfico.

  • Comentário em Áudio – Os atores Josh Hartnett e Melissa George, além do produtor Robert Tapert, comentam o filme durante sua reprodução. Hartnett parece não estar à vontade, e seria preferível que no lugar dele estivesse o diretor David Slade. George também pouco acrescenta, cabendo a Tapert o papel de nos repassar as informações que são realmente relevantes – como as decisões criativas do diretor. Esta faixa poderia ser melhor, e o fato da Sony não tê-la legendado só piora a situação;

  • 30 Imagens da Noite – Como o título indica, temos aqui 30 imagens do filme em alta definição (fotos de produção ou storyboards), cada uma comparada com o respectivo quadrinho da graphic novel, em formato PIP (picture-in-picture). Além de poder alternar as imagens via controle remoto, é possível acionar um modo de slideshow, que irá exibindo-as automaticamente;

  • Especiais (51 min.) – Temos aqui oito interessantes featurettes de produção ("Pré-Produção", "Construindo", "O Visual", "Sangue e Tripas", "Atrofiados", "O Vampiro", "Tiros na Noite" e "O Elenco"), que se vistos em conjunto formam um excelente documentário (making of) de mais de 50 minutos. Utilizando o formato de vídeo-diário, muitas cenas dos sets e depoimentos tomados durante as filmagens e a produção, além de ilustrações da graphic novel, o documentário possui um ritmo ágil, é divertido e vai direto ao que interessa, sem enrolação. Sem dúvida é o melhor extra presente;

  • Trailers – Alguns trailers de lançamentos da Sony em Blu-ray, que não incluem o de 30 DIAS DE NOITE. Mas inclui 'Fearnet.com', que não é um trailer de filme, mas sim o comercial de um website.

DVDs / BDs COMENTADOS