007 CONTRA O SATÂNICO DR. NO
Produção: 1962
Duração:
109 min.
Direção:
Terence Young

Elenco:
Sean Connery, Ursula Andress, Joseph Wiseman, Bernard Lee, Jack Lord, Lois Maxwell
Vídeo:
Widescreen Anamórfico 1.66:1 (1080p/AVC MPEG-4)
Áudio: Inglês (DTS-HD Master Audio 5.1), Português, Espanhol (DTS 5.1)
Legendas: Português, Inglês, Espanhol
Nº de discos: 1
Região:
A, B, C
Distribuidora:
Fox
Lançamento:
09/12/2008

Cotações:
Filme -

Imagem:
Áudio:
Extras/Menus:
Média:

Comentários de
Jorge Saldanha

SINOPSE
Seu nome é Bond, James Bond. E aqui, em sua explosiva estréia nas telas do cinema, o imortal herói de ação criado por Ian Fleming vive intensamente uma de suas maiores aventuras. Sean Connery encarna o Agente 007, tão suave quanto mortal em sua luta contra o misterioso Dr. No (Joseph Wiseman), um cientista anglo-chinês determinado a destruir o programa espacial norte-americano. Correndo contra a contagem regressiva para o desastre, Bond precisa viajar para a Jamaica, onde ele encontra a escultural Honey Ryder (Ursula Andress).

COMENTÁRIOS
O filme que iniciou a saga de James Bond não esconde ser a produção mais modesta da série, alguns pontos da trama são hoje simplórios e as cenas de luta são, para os padrões de hoje, toscamente coreografadas, mas ainda assim é indispensável para os fãs. E isso por uma razão – apesar dos livros escritos por seu criador, Ian Fleming, e de uma adaptação para a TV americana nos anos 1950 do primeiro deles, CASSINO ROYALE, foi com o filme 007 CONTRA O SATÂNICO DR. NO que efetivamente a lenda do agente secreto inglês começou. A partir daqui ele passou a ter um rosto – o do escocês Sean Connery, então praticamente desconhecido, mas cuja escolha acabou provando ser a mais acertada. Tanto que, até hoje, ele é considerado pela maioria dos fãs como o melhor 007 entre os seis atores que já interpretaram o personagem. Foi através de DR. NO que James Bond passou a ter repercussão mundial, com uma ótima aceitação pelo público, protagonizando a mais longa franquia cinematográfica da história, que até este momento já originou 22 filmes.

Além de definir as principais características do mais famoso agente do MI6 - corajoso, engenhoso, irônico, sedutor, bon-vivant, duro na queda e um frio assassino - DR. NO criou a base da fórmula que seria seguida à risca em suas seqüências: uma trama com muita intriga e suspense, locações exóticas, as “Bond Girls” com nomes de duplo sentido  (a imagem de Ursula Andress saindo do mar em um sumário biquíni tornou-se um ícone da cultura pop) e um vilão com planos megalomaníacos de dominação. Temos também a introdução de personagens recorrentes, como seu chefe M (Bernard Lee), a secretária Moneypenny (Lois Maxwell) e o agente da CIA Felix Leiter (neste primeiro filme vivido por Jack Lord, que se tornaria famoso anos depois ao estrelar a série HAVAÍ 5-0). Após a famosa “Gun Barrel Sequence” (vemos Bond como se do interior do cano de uma arma, ele se vira na nossa direção, atira e uma cortina de sangue cobre a imagem) chegam os créditos de abertura animados de Maurice Binder acompanhados pelo lendário "James Bond Theme" de Monty Norman, com o arranjo de John Barry que o celebrizou.

No entanto outros elementos da fórmula ainda não apareceram em DR. NO, como a sequência de ação antes dos créditos iniciais (introduzida em MOSCOU CONTRA 007, o filme seguinte), a canção de créditos iniciais (que viria em 007 CONTRA GOLDFINGER, o terceiro da série), o mestre das engenhocas Q (aqui é o armeiro do MI6, Major Boothroyd, que fornece a Bond sua pistola Walther PPK) e o carro de Bond, sendo o mais célebre o Aston Martin (que também surgiria em GOLDFINGER). A própria trama difere um pouco dos outros filmes, já que se trata, basicamente, de uma investigação com um pano de fundo tropical, sem as frenéticas cenas de ação que futuramente caracterizariam a franquia (exceto pela fuga e a grande explosão da base do Dr. No ao final). Mas em compensação traz um roteiro forte, a direção estilizada de Terence Young e os divertidos flertes entre Bond e a descerebrada Honey Ryder (Andress). Mas o que importa mesmo é que, quase 50 anos e 21 longas depois, por seus próprios méritos DR. NO ainda é um filme divertido e essencial.


O BD
Era inevitável, e acabou acontecendo até mais cedo do que se supunha. Sendo a principal franquia da MGM (que adquiriu a United Artists, produtora original da série), os filmes de James Bond foram lançados muitas vezes em home video. Apenas em DVD houve três lançamentos, sendo o mais recente o das Ultimate Editions, DVDs duplos lançados em 2006 contendo novas transfers dos filmes. Os de Connery, mais antigos e, portanto, os que tiveram seus originais mais manipulados para copiagem, sempre foram os de pior apresentação. Mas para as Ultimate Editions, os negativos originais de cada um dos filmes de 007 foram escaneados e posteriormente reparados/restaurados digitalmente pela Lowry Digital Images, quadro a quadro. O resultado, que já impressionava em DVD, nos Blu-rays lançados pela Fox (que voltou a distribuir os filmes da MGM no Brasil) no final de 2008, é simplesmente fantástico.

A transferência anamórfica 1080p/AVC MPEG-4 de DR. NO é apresentada na proporção original do filme, 1.66:1, o que significa que em televisores 16x9 poderão surgir pequenas barras negras (formato Pillarbox) nos lados da tela. Através dela parece que estamos vendo a estréia de 007 no cinema pela primeira vez, com a imagem impressionando pelo brilho e nitidez. O nível de detalhes é extraordinário, o que nos permite visualizar pequenas texturas em objetos e roupas que antes nos passavam despercebidos. As cores são vivas e estáveis, com um contraste igualmente excelente, o que deixa as cenas filmadas na Jamaica deslumbrantes. A transferência preservou as características da película, como a granulação leve, e isto não deve ser visto como falha. Por outro lado eventualmente é perceptível algum edge-enhancement, e em algumas cenas aparentemente houve influência de DNR na granulação, mas estas são falhas menores. Em seus quase 50 anos de existência, DR. NO em alta definição tem uma imagem maravilhosa, mesmo para os padrões de um filme atual.

Já o som não impressiona tanto quanto o vídeo, o que é plenamente compreensível. O áudio original mono foi limpo e remixado para 5.1 canais, aqui codificados em DTS-HD Master Audio. Mesmo remixado num excelente formato lossless como esse, a gravação original impõe limitações, e o áudio carece de brilho, naturalidade e envolvimento, especialmente em diálogos e efeitos surround. De qualquer forma ainda é uma opção preferível à do áudio mono (que beneficia principalmente a trilha musical) – apesar de que muitos puristas discordarão, e foi para eles que, no BD norte-americano, a faixa original foi mantida. Aqui, além do áudio em inglês DTS HD 5.1, temos apenas dublagens em português e espanhol DTS 5.1. As legendas estão disponíveis nos mesmos idiomas das faixas de áudio, e os menus são bonitos, animados, remetendo ao estilo das Ultimate Editions. A exemplo delas, a caixa plástica do Blu-ray é envolvida por uma luva de cartolina, porém em tons azuis e com nova arte.

O primeiro pacote de Blu-rays de 007 foi lançado no Brasil pela Fox em dezembro de 2008, incluindo 007 CONTRA O SATÂNICO DR. NO (1962), MOSCOU CONTRA 007 (1963), 007 CONTRA A CHANTAGEM ATÔMICA (1965), COM 007 VIVA E DEIXE MORRER (1973), 007 – SOMENTE PARA OS SEUS OLHOS (1981) e 007 – UM NOVO DIA PARA MORRER (2002). Com a chegada em DVD e Blu-ray do mais recente filme da série, 007 – QUANTUM OF SOLACE (2008), mais títulos clássicos já estão programados para o exterior, e provavelmente a Fox irá disponibilizá-los aqui também em breve, com o mesmo excelente padrão técnico e de conteúdo dos que já foram lançados.


OS EXTRAS
Tomando por base o correspondente DVD da Ultimate Edition, o BD de DR. NO traz todos os seus extras, em resolução 480p (SD) ou 1080p (HD), com todos os vídeos possuindo legendas em português. Sem dúvida um material extenso e valioso, que documenta a chegada de 007 ao cinema, distribuído, como em toda a coleção, nas seções “Acesso Privilegiado”, “Finalmente Liberado: Dos Arquivos Secretos do MI6”, “Controle da Missão de 007”, “Dossiê da Missão”, “Ministério da Propaganda” e “Banco de Imagens”.

  • Comentário do MI6 – O produtor do disco John Cork, da Fundação Ian Fleming, traz informações interessantes sobre a produção do filme, com muitos depoimentos em áudio do diretor Terence Young (já falecido) e de boa parte do elenco e da equipe. Diferentemente de outros BDs da Fox, os comentários em áudio dos filmes de James Bond também possuem legendas em português;

  • Por Dentro de 007 CONTRA O SATÂNICO DR. NO (HD, 42 min.) – O melhor dos extras é este completo documentário narrado por Patrick Macnee, que com ritmo ágil nos traz muitas informações sobre a gênese da franquia Bond e a produção do filme;

  • 007: Licença para Restaurar (SD, 12 min.) – Os interessados no processo de restauração de filmes apreciarão muito este featurette, onde integrantes da Lowry Digital Images nos dão uma visão geral do processo empregado nos filmes de 007, que envolveu o escaneamento dos negativos originais em altíssima resolução 4K e a eliminação digital quadro-a-quadro de danos e sujeiras;

  • As Armas de James Bond (SD, 5 min.) – Promo dos anos 1960 apresentado por Sean Connery, focado nas armas utilizadas pelo personagem;

  • A Estréia de Bond: Noites de Lançamento (SD, 13 min.) – O produtor da franquia Michael G. Wilson faz uma retrospectiva das concorridas premiéres de cada um dos filmes de Bond, desde DR. NO até 007- UM NOVO DIA PARA MORRER, que comemorou os 40 anos da série. A badalação era tanta que, além de pessoas ligadas ao cinema, era comum a presença de membros da Família Real inglesa;

  • Terence Young: A Boa Vida de Bond (HD/SD, 18 min.) – Documentário dedicado ao primeiro diretor de 007, responsável por estabelecer o estilo da franquia e o gosto de Bond pelas boas coisas da vida – uma característica pessoal do próprio Young;

  • Featurette de 1963 (SD, 9 min.) – Curta promocional em preto e branco, feito para apresentar o então desconhecido Sean Connery, como a escolha ideal para encarnar o popular personagem de Ian Fleming;

  • Arquivo de Cinema (HD/SD, 10 min.) – Quatro antigos trailers, sendo o principal narrado pelo próprio Connery. Os últimos dois promovem sessões duplas de DR. NO com MOSCOU CONTRA 007 e 007 CONTRA GOLDFINGER, respectivamente;

  • Transmissões de TV (SD, 2 min.) – Dois comerciais de TV para o programa duplo de DR. NO com 007 CONTRA GOLDFINGER;

  • Comunicação por Rádio – Seis comerciais em áudio de DR. NO (mais anos 60, impossível).

Completam os extras “Controle da Missão de 007”, com seleções de cenas divididas por tópicos (007, Mulheres, Aliados, Vilões, Manual de Combate da Missão, Departamento Q e Locações Exóticas), e “Banco de Imagens”, composto por muitas fotos publicitárias, de bastidores e de pôsteres do filme.

DVDs / BDs COMENTADOS