SUPERBAD - É HOJE
Direção: Greg Mottola
Elenco:
Jonah Hill, Michael Cera, Christopher Mintz-Plasse, Bill Hader, Seth Rogen, Martha MacIsaac
Distribuidora:
Sony
Duração:
118 min.

Região:
A, B, C

Lançamento:
10/09/2008

Nº de discos:
2

Cotações:
Filme -

BD -

Comentários de
Jorge Saldanha

SINOPSE
Seth (Jonah Hill) e Evan (Michael Cera) querem transar com as garotas que gostam antes de ingressarem na faculdade. Mas para isso acontecer, eles precisam conseguir bebidas para a grande festa daquela noite. Com a ajuda do amigo Fogell (Christopher Mintz-Plasse) e sua carteira de identidade falsa, onde consta apenas o nome “McLovin”, os três partem em busca das bebidas despistando dois policiais incompetentes (Seth Rogen e Bill Hader), tentando reverter uma vida inteira de monotonia em apenas uma noite de diversão.

COMENTÁRIOS
O produtor/diretor Judd Apatow vêm realizando, com um grupo de amigos atores e roteiristas, comédias extremamente simpáticas e divertidas como O VIRGEM DE 40 ANOS e LIGEIRAMENTE GRÁVIDOS. Neste SUPERBAD – É HOJE, apenas produzido por Apatow (a direção é de Greg Mottola), o roteiro escrito por Seth Rogen e Evan Goldberg, inspirado em suas próprias experiências da adolescência, resulta em um filme na tradição de “clássicos” como PORKY'S e mais recentemente AMERICAN PIE. A diferença, aqui, é que sexo e as inevitáveis piadas escatológicas baseiam-se principalmente em diálogos e situações de roteiro, portanto quem espera o habitual desfile de bundas e peitos femininos nus poderá se decepcionar. No entanto, há palavrões e menções à genitália em quantidade abundante, além dos desenhos de pênis que Seth fazia quando era criança e que aparecem num flashback engraçadíssimo. Graças a tudo isso, a MPAA (Motion Picture Association of America, que estabelece a faixa etária dos filmes nos Estados Unidos) classificou o filme como Rated R, que seria equivalente à censura de 16 anos no Brasil.

A história do filme é básica – três amigos têm como última chance de perderem a virgindade, antes de irem para a faculdade, a festa que acontecerá na casa de uma colega de escola, e cabe a eles arranjarem as bebidas que o pessoal vai consumir. O desafio é grande, já que todos são menores de idade e, portanto, não podem comprar bebidas alcoólicas – essenciais para que as meninas se tornem mais, digamos, “receptivas”. Como se vê, a trama é mesmo simples e não muito diferente do que já se viu antes, mas é a realização que faz toda a diferença para dar ao filme algo mais do que o humor grosseiro típico do gênero. O fato da maior parte dos envolvidos serem amigos na vida real adiciona um toque especial a SUPERBAD, que ao final acaba sendo um belo tributo à amizade. Alem disso a seleção do elenco não poderia ser mais feliz – os rapazes que interpretam Seth, Evan e Fogell – respectivamente Jonah Hill, Michael Cera e o estreante Christopher Mintz-Plasse (este o protótipo perfeito de um nerd, sempre roubando a cena) estão plenamente convincentes, e possuem uma incrível química entre si. Na ala dos “veteranos”, Bill Hader e o próprio Seth Rogen estão impagáveis como a dupla de policiais atrapalhados que contracena a maior parte do tempo com “McLovin”, o alterego de Fogell.

SUPERBAD – É HOJE sem dúvida é feito para adolescentes do sexo masculino, mas é realizado com um sentimento tão genuíno que acaba conquistando a simpatia também dos mais velhos, que irão se lembrar dos seus tempos de colégio e em muitas coisas acabarão se identificando com os jovens protagonistas. Isso, claro, desde que não se ofendam com a linguagem chula que ouvirão praticamente do início ao fim do filme.


O BD
SUPERBAD – É HOJE foi lançado em DVD e Blu-ray em uma versão estendida e sem cortes, que adiciona vários minutos adicionais de palavrões à já desbocada versão do cinema. A edição em BD nacional traz dois discos com conteúdo quase idêntico ao do BD americano, acondicionados num estojo similar a um amaray duplo (com uma aba central para encaixar o segundo disco). E antes que você insira o BD no reprodutor, um alerta: retire as crianças menores da sala porque os ótimos menus animados em português, quando surgem, trazem a coleção de caricaturas de pênis desenhadas por Seth, que colocam o “Bráulio” nas mais hilárias situações. Para quem não se ofender pelos desenhos, a navegação pelos menus será uma experiência muito divertida.

Tendo sido originalmente gravado em vídeo de alta definição na proporção 1.85:1, SUPERBAD recebeu uma transferência widescreen anamórfica brilhante, nítida e colorida, que utiliza o codec 1080p/AVC MPEG-4. Ressalte-se que, para dar ao filme um clima retrô, setentista, foram aplicados nos créditos de abertura riscos e sujeiras artificiais – porém quando a história inicia, a imagem torna-se impecável, com cores vivas e ótimo contraste, sem artefatos ou filtros perceptíveis. Acredito que um resultado mais satisfatório teria sido obtido com a utilização, nas filmagens, de película no lugar de vídeo HD, mas de modo geral a imagem impressiona positivamente.

Além da imagem, o som deste Blu-ray também atende às expectativas. Temos três faixas de áudio lossless, uma PCM 5.1 em inglês e duas Dolby TrueHD 5.1, em inglês e francês, que possuem excelente fidelidade e destacam a trilha sonora funky de Lyle Workman, à qual foram acrescentadas canções dos anos 1970. Os diálogos sempre soam claros, o que é essencial numa comédia que depende tanto do texto como esta. Portanto, como seria de se esperar, a mixagem não utiliza muitos efeitos surround, e os graves – fora as batidas e ritmos musicais da trilha - não são agressivos. De qualquer modo, para um filme que não é de ação, SUPERBAD soa muito bem. Adicionalmente, temos dublagens Dolby Digital 5.1 em português e espanhol, e legendas em português, inglês, francês, espanhol, coreano e chinês.

OS EXTRAS
O Blu-ray de SUPERBAD – É HOJE traz, em seus dois discos, uma respeitável quantidade de extras (o DVD nacional, simples, omite grande parte deles), e a boa notícia é de que praticamente tudo possui uma impecável qualidade de imagem anamórfica e em alta definição, e com legendas em português (inclusive comentários em áudio). Deles extraímos algumas informações sobre a produção, mas em sua maior parte o que vemos são a equipe e o elenco se divertindo, e no fim nos sentimos como se também estivéssemos participando das brincadeiras. Alguns bônus podem ser considerados extensões do filme, enquanto outros foram feitos intencionalmente para zoar com alguém ou alguma coisa. Enfim, se há um caso de um DVD ou Blu-ray onde os extras valem tanto (ou quase) quanto o filme, é este.

Disco 1

  • Comentários dos Realizadores e Elenco – O produtor Judd Apatow, o diretor Greg Mottola, o roteirista Evan Goldberg e os atores Jonah Hill, Michael Cera, Seth Rogen e Christopher Mintz-Plasse passam a maior parte do tempo contando piadas e tirando sarro uns dos outros, nesta que é uma das faixas de comentários mais divertidas que já ouvi. Às vezes eles até abordam assuntos relacionados à produção, como obter autorização para usar todas as caricaturas de pênis e as diferenças entre filmar usando película e vídeo, mas aqui se trata, principalmente, de um grupo de amigos improvisando e se divertindo juntos por duas horas;

  • Supermeter – Recurso exclusivo do Blu-ray que, quando ativado, mostra no canto superior esquerdo da tela uma contagem atualizada dos palavrões e referências sexuais ouvidos durante o filme, além de quantas vezes o nome McLovin foi proferido;

  • Falas (4 min., HD) – Variações de alguns diálogos improvisados, que são garantia de boas risadas;

  • Cenas Excluídas (10 min., HD) – Temos seis cenas excluídas/estendidas, todas bem divertidas, mas que não fizeram falta na montagem final. A maioria é improvisada, mais uma prova de que a improvisação e o bom humor são os pontos fortes desse pessoal;

  • The Semen Conversation - (3 min., HD) – Versão estendida da fala de Seth Rogen sobre um “mundo coberto de sêmen”, sendo que a maior parte – de novo – é pura improvisação;

  • Erros de Gravação (5 min., HD) – O usual neste tipo de cena – quedas, erros de fala, etc., que fazem a diversão do elenco e do espectador;

  • Trailers – Trailers de outros lançamentos da Sony em BD.

Disco 2

  • Confissões (34 min., HD/SD) – 13 esquetes curtos estilo Saturday Night Live, onde em cada um deles os policiais interpretados por Rogen e Hader levam alguém preso, no banco de trás do seu carro. Entre as “vítimas”, comediantes como Jane Lynch, Kristen Wiig, Nick Swardson e Chris Kattan improvisam suas falas e, no final, acabam convencendo os policiais a libertá-los. Estranhamente, o vídeo alterna de HD 16:9 (closes dos atores) para SD 4:3 (visão frontal dos três atores). Os esquetes podem ser vistos em conjunto ou separadamente;

  • Making Of (13 min., HD) – Finalmente um extra que trata, principalmente, da produção do filme. Entre os assuntos abordados estão as origens do roteiro, a escolha de Greg Mottola para a direção e a seleção do elenco;

  • Viagem ao Fundo da Vagina - (1 min., HD) – Versão integral de um vídeo feito pelo site mencionado no filme. Aqui realmente vemos peitos e bundas – ainda que as modelos não tirem as calcinhas. Curtinho, mas gostei!;

  • Leitura do Roteiro 2002 (5 min., SD) – Neste vídeo de 2002 (sim, eles estavam tentando fazer este filme há anos!), Rogen e Jason Segel lêem as falas de uma cena com Seth e Evan;

  • Leitura do Roteiro 2006 (23 min., HD) – Leitura de três cenas, agora com o elenco definitivo. Podemos notar que, mesmo antes do início das filmagens, a turma já estava bem divertida e integrada;

  • Vídeo do Elenco (13 min., HD) – São os testes que valeram os papéis para Michael Cera, Jonah Hill e Christopher Mintz-Plasse;

  • Armando para Jonah (5 min., HD) – A equipe explora a fobia de Jonah Hill por insetos, aranhas e répteis;

  • Seqüência de Dança (3 min., HD) – Bastidores das filmagens dos créditos iniciais, onde Cera e Hill dançam na frente de um fundo verde;

  • Jonah e a TV (3 min., HD) – Versões censuradas para a TV de alguns diálogos do filme, comparadas com os originais. Hill reclama da necessidade de que sejam filmadas as versões light;

  • Todos Odeiam Michael Cera (7 min., HD) – Membros da equipe e do elenco passam o tempo todo falando mal e evitando Cera, que seria o sujeito mais mala do set. Obviamente é uma farsa, encenada com a participação do rapaz;

  • Set de Filmagem (18 min., HD) – Cenas de bastidores dos realizadores e do elenco;

  • A Música de Superbad (13 min., HD) – Bastidores das gravações da trilha sonora funky, composta por Lyle Workman e interpretada por músicos egressos das bandas JB’s (de James Brown) e Parliament (de George Clinton). Também aqui se sobressai a camaradagem entre os veteranos, e para mim, que sou um fã deste gênero de música setentista, é um dos melhores extras;

  • Pinneapple Express: Primeiro Trailer Exclusivo - (5 min., HD) – Não é um trailer, mas uma cena da comédia de Seth Rogen SEGURANDO AS PONTAS onde ele contracena com James Franco – que, se avaliada apenas pelo que vemos aqui, não é muito engraçada;

  • Falsa Entrevista (4 min., SD) – Entrevista de mentirinha para a divulgação do filme, com Cera e Hill e onde este último acaba perdendo a paciência com o entrevistador chato que pegou no seu pé (interpretado pelo diretor da comédia inglesa CHUMBO GROSSO, Edgar Wright);

  • Easter Egg (6 min., HD) – No disco 2, coloque o cursor em “Falsa Entrevista” e aperte o direcional “para cima” duas vezes. Selecione o ícone vermelho do pênis voador (!) que surge no lado superior direito da tela para assistir a um esquete de Paul Rudd, Jonah Hill, Seth Rogen, Michael Cera e a bem dotada estrela pornô Stormy Daniels, que é uma espécie de continuação do extra “Meu Jantar com Stormy” do DVD de O VIRGEM DE 40 ANOS. Felizmente, podemos ver o par de “talentos” de Stormy.

DVDs / BDs COMENTADOS