TRANSFORMERS - EDIÇÃO ESPECIAL
Direção: Michael Bay
Elenco:
Shia LaBeouf, Josh Duhamel, Megan Fox, Tyrese Gibson, Bernie Mac, Hugo Weaving, Peter Cullen, Rachael Taylor, John Turturro, John Voight, Travis Van Winkle
Distribuidora:
Paramount
Duração:
143 min.

Região:
A, B, C

Lançamento:
05/12/2008

Nº de discos:
2

Cotações:
Filme -

BD -

Comentários de
Jorge Saldanha

SINOPSE
Quando a batalha entre as raças cibernéticas Autobots e Decepticons chega à Terra, o maior obstáculo entre os cruéis Decepticons e a fonte de energia suprema é uma pista que o jovem Sam Witwicky (Shia LaBeouf) possui. Logo o jovem e sua amiga Mikaela (Megan Fox) estão envolvidos numa disputa épica que poderá significar a dominação da raça humana pelas máquinas. Felizmente os Autobots, liderados por Optimus Prime (Peter Cullen), admiram os humanos e se necessário irão se sacrificar para evitar que as forças de Megatron (Hugo Weaving) triunfem.

COMENTÁRIOS
Há quem atribua a crescente onda de adaptações cinematográficas de quadrinhos, séries/desenhos de TV e videogames a uma absoluta falta de criatividade de Hollywood. Até pode ser, mas é bom lembrar que desde o início do cinema a literatura serviu como base para muitos filmes, e seria de se esperar que, ao longo dos anos, outras expressões da cultura, mais populares, acabassem chegando às salas de exibição. Personagens de gibis foram adaptados já nos antigos seriados em preto e branco, filmes baseados em games chegaram no final do século passado e mais recentemente vimos na telona até filmes inspirados em parques temáticos (PIRATAS DO CARIBE). Com este TRANSFORMERS, a bola da vez são os brinquedos - os robôs que podem se transformar em veículos diversos (e vice-versa) surgiram no Japão, porém foi a partir do licenciamento para a HASBRO dos EUA nos anos 1980 que surgiu uma franquia que se espalhou por desenhos animados, gibis e filmes. Em 1986 foi lançado o longa de animação TRANSFORMERS – O FILME, e em 2007 Autobots e Decepticons chegaram em live action aos cinemas. Com roteiro de Roberto Orci e Alex Kurtzman (colaboradores habituais de J.J. Abrams, que também escreveram o script do novo STAR TREK), produção de Steven Spielberg e direção de Michael Bay (ARMAGEDDON, PEARL HARBOR), este TRANSFORMERS foi um dos sucessos de bilheteria do ano e o melhor blockbuster do verão de 2007.

A presença de Bay atrás das câmeras já de início gerou críticas, uma vez que o diretor virou sinônimo de superproduções descerebradas e muitas vezes ufanistas. Nunca tive ojeriza a Bay, até porque seus filmes são eficazes pelo que são – diversão descompromissada, dinâmica, com sons e imagens unidos em uma edição vertiginosa. Dito isso, e sem que nunca tenha sido fã dos brinquedos e desenhos (quando eles surgiram, já era meio velhinho para isso), afirmo que gostei de TRANSFORMERS. Obviamente, quem assistir ao filme com a idéia de que ele seja uma ficção científica “cabeça” irá se decepcionar. Na verdade, ele é um descendente direto daqueles filmes sci fi que fizeram a alegria da garotada a partir dos anos 1980, como DE VOLTA PARA O FUTURO, VIAGEM INSÓLITA e HOMENS DE PRETO, que não raro traziam a assinatura de Steven Spielberg na produção. Visto sob este aspecto TRANSFORMERS é uma ótima diversão, repleto de referências à cultura pop, ação intensa e um visual simplesmente espetacular. Os robôs, materializados por efeitos da ILM e da Digital Domain simplesmente fantásticos, são de um foto-realismo que até então nunca fora visto. E no quesito visual, outro grande trunfo da produção (pelo menos para a rapaziada) é a deslumbrante Megan Fox, a prova viva de que a natureza nunca será superada pela tecnologia...

É indiscutível que o filme é dirigido ao público jovem, por isso os diálogos são leves, há várias piadas e a violência excessiva é evitada - porém ele não insulta a inteligência dos mais velhos, que também poderão curtir mais este embate do Bem contra o Mal tendo como campo de batalha a Terra: de um lado Autobots, do outro Decepticons, e no meio do fogo cruzado Sam e seu Camaro amarelo (que na verdade é o Autobot Bumblebee), Mikaela e o governo americano, que há décadas mantinha em animação suspensa o maligno Megatron, que viera ao nosso planeta em busca da All Spark, a fonte de energia que dera origem à raça cibernética. A trama simples é plenamente compensada por uma realização exuberante - as transformações são perfeitas, os combates dos robôs gigantes contra o exército e entre eles mesmos são épicos, e no final o filme deixa uma bela mensagem de otimismo típica de Spielberg, cujo dedo é claramente notado na produção, seja na caracterização dos personagens, seja nas cenas de Sam com sua família. Aliás, foi graças à sua atuação como Sam em TRANSFORMERS que o ótimo Shia LaBeouf ganhou o papel de Indiana Jones no novo (e dececionante) filme do arqueólogo aventureiro. Além de Shia e Megan, outros destaques do elenco são o veterano John Voight, como o Secretário de Defesa dos Estados Unidos, e o sempre ótimo John Turturro, no papel de um agente de uma organização parecida com a dos Homens de Preto. Também não podem ser esquecidos Peter Cullen, egresso da série animada, fazendo a voz de Optimus Prime, e Hugo Weaving (o agente Smith da trilogia MATRIX) dublando Megatron. No mais, só resta dizer que TRANSFORMERS em alta definição é um espetáculo a ser conferido, e que de lambuja ainda é embalado por uma das melhores trilhas sonoras da geração Media Ventures, composta por Steve Jablonsky.


O BD
Ainda no auge da disputa do HD-DVD (Toshiba) contra o Blu-ray (Sony), TRANSFORMERS foi alvo de uma grande controvérsia. Quando chegou na hora do lançamento do filme em home video, a Paramount decidiu lançá-lo unicamente no formato hoje defunto, o que gerou protestos por parte do diretor Michael Bay, que de tão revoltado disse que não participaria da realização de TRANSFORMERS 2. Ele ficou mais calmo quando assistiu o filme em HD-DVD, e se impressionou com os resultados. Meses depois a maré virou e o Blu-ray ganhou a disputa, e finalmente em setembro de 2008 este BD duplo de TRANSFORMERS chegou às lojas norte-americanas, numa edição idêntica à que a Paramount está lançando agora no Brasil. O padrão da embalagem é semelhante ao do DVD duplo, com o estojo do Blu-ray envolto por uma luva plástica transparente com imagens dos robôs.

Nunca assisti ao filme em sua versão HD-DVD, mas pelo que se comenta lá fora a edição em Blu-ray leva vantagem. Para começar, no disco 1 (um BD de 50 Gb, dupla camada) a transferência w
idescreen anamórfica 2.35:1, que utiliza o codec MPEG-4 AVC, roda num bitrate bem mais alto que o do HD-DVD anterior. Há pouca granulação perceptível, inerente aos negativos originais em 35mm, e artefatos de compressão inexistem. Os pretos são sólidos, os tons de pele adequados e a paleta de cores escolhida para o filme é reproduzida de forma vibrante. Cabe ressaltar, como já venho fazendo em outras resenhas, que também TRANSFORMERS possui a imagem alterada digitalmente, o que se percebe principalmente na tonalidade das cores nas cenas de deserto. Não notara isso no cinema, e quando assisti ao filme em DVD não gostei do visual – me parecia muito amarelado e escuro. Felizmente a maior nitidez e o elevado detalhamento (que ainda assim não revelam qualquer falha nos efeitos visuais) da transferência em alta definição eliminaram os problemas do DVD, fazendo com que visualmente TRANSFORMERS em BD pareça tão bom quando no cinema.

Também no áudio o filme, em Blu-ray, leva vantagem em relação ao HD-DVD, que traz uma faixa em inglês Dolby Digital Plus 5.1. Aqui temos uma superior mixagem lossless Dolby TrueHD 5.1, que impressiona já na abertura e simplesmente explode quando a ação inicia. Assim como o visual, o som é material de demonstração do potencial do Blu-ray, com graves que poderão colocar em risco seu subwoofer, elevada fidelidade que torna cristalinos os diálogos e os efeitos mecânicos das transformações dos robôs, e uma excelente espacialidade obtida através dos canais surround. Infelizmente para quem gosta de assistir a filmes dublados em português, o BD traz apenas faixas adicionais em espanhol e francês (ambas Dolby Digital 5.1). As legendas disponíveis são p
ortuguês, inglês, francês e espanhol, e os ótimos menus animados estão disponíveis apenas em inglês.

OS EXTRAS
Como nos lançamentos de ponta da Paramount em Blu-ray, TRANSFORMERS chega em dois discos, o que garante uma apresentação de elevada qualidade do filme e a inclusão de vários extras – todos os que já haviam sido disponibilizados no DVD duplo e algumas exclusividades do formato em alta definição. Todos os documentários usam o codec AVC MPEG-4, com vídeo anamórfico e áudio em inglês Dolby Digital 2.0, com a opção de legendas em português (ausentes nos comentários em áudio, recursos BD Live e trailers). Nos extras também disponíveis no DVD duplo nacional, coloquei o correspondente título em português.

 Disco 1:

  • Comentários em áudio do Diretor Michael Bay - Bay fornece muitas informações pertinentes sobre a realização do filme – a colaboração dos militares, o design dos Transformers, o convite de Steven Spielberg para que ele dirigisse o filme, e por aí vai. Além de informações de bastidores, ele também fala das críticas de alguns fãs à sua escolha como diretor. Pena que as legendas em português do DVD nacional não foram incluídas aqui;

  • Bonus View: Transformers H.U.D. – Faixa no formato Picture-in-Picture, contendo informações em vídeo e texto do filme e trivialidades sobre o universo de TRANSFORMERS. Os vídeos são principalmente cenas de bastidores, depoimentos de Michael Bay, Steven Spielberg e elenco. Exige um player compatível no mínimo com o “Profile 1.1″.

  • BD-Live – Para quem possui um player compatível com o “Profile 2.0”, há alguns recursos baseados na web bem interessantes. A maioria deve ser previamente baixada para poder ser acessada e deve ser ressaltado que quando acionados eles desativam as legendas do filme:

“Transformers Intelligence Mode” é uma opção para assistir ao filme em uma janela menor, com a assistência de cinco widgets – “Robot Status” (no lado esquerdo da tela são ativados ícones dos Autobots e Decepticons que surgem no filme, permitindo que acompanhemos os danos por eles recebidos), “Data Manager” (informações técnicas de cada robô como tipo de veículo, armas, etc,), “Alerts” (uma espécie de extensão das informações em texto) e “GPS Tracker” (que nos informa em que parte do mundo a ação está ocorrendo);

“Transformers Profiler” – Uma espécie de banco de dados em texto sobre elenco e produção, que pode ser ativado/desativado durante a reprodução do filme;

“Robot Ninjas” – Making of de uma das cenas de ação do filme, usando animatics e depoimentos de membros da equipe de dublês. Este extra não é baixado, ele é acessado diretamente online, portanto para assisti-lo sua conexão com a internet deve estar funcionando;

“Menubots” – Você pode personalizar o menu pop up que é acessado durante a reprodução, fazendo o download de skins (temas) de Bumblebee, Optimus Prime e Megatron;

  • Easter Egg – Até o momento foram encontrados seis bônus ocultos no BD norte-americano de TRANSFORMERS (que também devem estar na edição nacional), sendo este o único que está no disco 1: após o encerramento dos créditos finais, você será levado para um menu “secreto” onde poderá assistir ao primeiro teaser do filme e a “Autobots Rollout”, um curto vídeo musical feito para promover o site www.autobotsrollout.com.

Disco 2

  • Nosso Mundo (49:14)Making Of dividido em quatro partes, que podem ser vistas em conjunto ou individualmente: “Uma História Explosiva”, com entrevistas dos produtores Steven Spielberg e Brian Goldner, dos roteiristas Alex Kurtzman e Robert Orci, do diretor Michael Bay e outros, sobre as origens da história; “Aliados Humanos”, que trata dos talentos envolvidos no filme e a contratação do elenco; “Luta Contra Robôs Gigantes”, sobre a cooperação dos militares, o treinamento do elenco e a filmagem da grande batalha do filme; e “Campo de Batalha”, sobre a logística das filmagens e as várias locações onde elas ocorreram;

  • Guerra Alienígena (65:10) – Inclui outro documentário também em quatro partes, porém mais longo: “Guerra dos Robôs”, uma retrospectiva da franquia, incluindo seus fãs e sua popularidade mundial, e que também aborda algumas alterações feitas no filme em relação ao desenho; “Os Autobots se Transformam”, sobre os carros escolhidos para os Autobots – inclusive explica porque Bumblebee deixou de ser um fusca para virar um Camaro; “Ataque dos Decepticons” é focalizado nos vilões, enquanto examina os equipamentos bélicos utilizados e, mais uma vez, a cooperação dos militares com os realizadores; finalmente, “Dentro da All Spark” trata da criação dos efeitos visuais pelas empresas Digital Domain e ILM. Além do documentário, nesta seção também temos o “Transformers Tech Inspector”, um visualizador 3D que permite examinar cada um dos Transformers do filme através da seleção de três segmentos de seu corpo. É possível girar a detalhada imagem em 360º, e sem dúvida é uma das melhores exclusividades dos extras do Blu-ray;

  • Mais do que os Olhos Podem Ver (16:55 min.) – Extra dividido em três partes: “Da Prancheta à Areia: Ataque de Skorponok no Deserto”, mostra como foi realizada esta importante cena de ação com o Decepticon Skorponok, desde os animatics 3D, passando pela filmagem em locação e finalmente com a adição dos efeitos na pós-produção; “Conceitos”, uma série de imagens de pré-produção e storyboards acompanhada por uma das melhores músicas da trilha; e em “Trailers”, temos um teaser e dois trailers de cinema;

  • Easter Eggs – Continuando com os extras escondidos no BD de TRANSFORMERS, o disco 2 tem mais cinco:

- Do menu principal, vá até o menu de “More Than Meets the Eye”, e no remoto aperte o direcional “para cima”. Um ícone de Optimus Prime aparecerá, aperte “enter” e assista a um clipe curto sobre o casting do cãozinho Mojo;

- Do menu principal, vá até o menu de “More Than Meets the Eye”, quando o submenu surgir selecione “Theatrical Trailer 4” e no remoto aperte o direcional “direita”, fazendo aparecer um ícone de Ratchet. Aperte “enter” para assistir a um blooper;

- No menu principal, selecione a seção “Their War”, aperte “enter”, ilumine “Inside the All Spark” e no remoto aperte o directional “direita”. Surgirá um ícone de Frenzy, que o levará a outro curto blooper, onde Michael Bay recebe uma visita inesperada de Megatron no set;

- Do menu principal, vá até “Our World”, illumine a seção “I Fight Giant Robots” e clique “direita”. Um ícone de Bumblebee surgirá, levando-o a um comercial falso de um Transformer Michael Bay;

 - No menu principal, vá até “Our World”, clique “esquerda” e um ícone de Megatron aparecerá. Aperter “enter” para assistir aos créditos escondidos do Blu-ray.

DVDs / BDs COMENTADOS