BASIC INSTINCT
Música composta e regida por Jerry Goldsmith

Selo:
Varèse Sarabande
Catálogo:
5360
Ano: 1992
10 Faixas

Duração: 48:28
Cotação:

Comentário de
Juan Pablo Rousseaux

 

Quando ofereceram a Jerry Goldsmith a oportunidade de musicar Instinto Selvagem, ele não teve dúvidas em colaborar pela segunda vez com o diretor Paul Verhoeven (a primeira foi em 1990, em O Vingador do Futuro), no que seria, e de fato o foi, um de seus filmes que mais obtiveram repercussão. Nele, Michael Douglas interpreta um policial de comportamento nada exemplar, chegado às drogas e ao álcool, carregando no passado o suicídio da esposa, e que deve investigar um crime sexual onde a suspeita principal é Catherine Tramell, uma sexy multimilionária interpretada pela belíssima Sharon Stone.

Já no "Main Title", Goldsmith demonstra seu grande poder de instrumentação e ambientação com as cordas, em especial com os violinos, e a mescla que faz com sintetizadores (nesta partitura utilizou mais de dez). "Crossed Legs", "Kitchen Help", Morning After" ou "Catherine Sorrow" nos conduzem através do suspense ambiental de Goldsmith. A sensualidade e o mistério aparecem de mãos dadas nestas faixas que repetem, em forma de leitmotiv, os acordes do tema central. As músicas de ação, que quebram um pouco a opressiva atmosfera de suspense do filme, aparecem em "Night Life" e "Roxy Loses". Na primeira, Goldsmith compôs um excelente tema que se fragmenta: primeiro há uma introdução de um minuto, com o tema de ação que vai tomando cor na paleta instrumental, até um crescendo que explodirá. Após, ouvimos quase três minutos de música tranqüila, espécie de transição do personagem de Douglas que aguarda fora da casa onde entrou Catherine Tramell. A percussão retorna quando ela sai, e o tema de Goldsmith aparecerá novamente com variações.

Em "Roxy Loses" o compositor cria, com base no tema principal, todo um novo conceito para a perseguição automobilística e enfrentamento final de Roxy com Douglas. Certamente é um dos temas full orchestra que permitem ao espectador aprofundar-se mais na trama da película. E a música para uma cena de amor, onde há uma relação sexual e os personagens chegam ao êxtase - em "Pillow Talk", pela primeira e única vez escutei uma orquestra tendo um orgasmo. É incrível a utilização que Goldsmith dá às cordas, em uma composição carregada de erotismo e sensualidade, dentro e fora do filme. O tema de suspense "The Games Are Over" é uma peça incomum de composição, onde a combinação da orquestra com os sintetizadores obtém o seu melhor efeito. Ela é ouvida quando os detetives, interpretados por Douglas e George Dzundza, vão a um hotel onde está uma suposta informante que pode ajudar a determinar a identidade do assassino. Dzundza insiste em ir sozinho ao encontro. Minutos depois, Douglas percebe que se trata de uma armadilha e corre desesperado até o edifício, e enquanto sobe as escadas a música de Goldsmith golpeia o espectador, transmitindo-lhe os sentimentos do personagem. Dzundza é violentamente assassinado com um picador de gelo, ao se abrirem as portas do elevador. A explosão instrumental de Goldsmith é assombrosa.

Para o final, a faixa "An Unending Story" conclui o filme com uma mistura de suspense, erotismo, violência orquestral e com um delicado solo de piano, que é abandonado para dar lugar aos violinos inconfundíveis que retomam o tema central. Jerry Goldsmith foi indicado ao Oscar por este trabalho, que demonstra mais uma vez seu imenso talento para transmitir, em notas musicais, todo o clima e os sentimentos de um filme.

CDs COMENTADOS