A BEAUTIFUL MIND
Música composta e regida por James Horner (Decca  4400161912, 2001)/16 faixas/Duração: 71:27/Cotação: **

A partitura musical de Uma Mente Brilhante é muito fraca e inconvincente, basicamente por tratar-se de mais uma indigesta reciclagem de tudo o que o compositor James Horner já fez no passado. A faixa "Creating Governing Dynamics", por exemplo, é simplesmente igualzinha ao "Main Title" de O Homem Bicentenário, que pra começo de conversa já era clonada do tema inicial de Quebra de Sigilo - chega ao cúmulo de usar os mesmos recursos vocais! Trilhas assim acabam denegrindo o filme para o qual são compostas, pois dão clara amostra do descaso que o compositor tem com o projeto, principalmente ao pensar que todas as pessoas na audiência serão incapazes de perceber sua falta de criatividade e ética. Sua indicação ao Oscar de "Melhor Trilha Original", portanto, só pode ser considerada como uma piada de mau gosto. Se não bastasse isso, Horner apela a todo momento para batidos recursos manipulativos para tentar arrancar lágrimas da platéia a qualquer custo. Sua partitura não tem vida ou profundidade, resumindo-se a servir como um mero "tapete" para as imagens do medíocre filme de Ron Howard. Não que Horner seja um músico incompetente ou incapacitado, longe disso. Apenas parece encontrar-se totalmente desprovido de motivação (ou talento) para procurar criar algo diferente e original que possa realmente acrescentar uma voz única ao filme. Em resumo: só vai agradar quem não conhece bem o trabalho do compositor ou ainda consegue deixar-se levar por clichês melodramáticos manjados e superficiais. Ou, nas palavras do especialista Andy Lindhal: "Horner sem dúvida achou um som que o deixa confortável e satisfeito e ele faz seu trabalho e geralmente faz bem. Uma Mente Brilhante é uma trilha decente, mas o fato de você poder adivinhar a próxima nota com freqüência, ou mesmo a próxima frase, é perturbador. As vezes é extremamente perturbador e geralmente irritante.

André Lux

CDs COMENTADOS