BECOMING JANE
Música composta por Adrian Johnston
Selo: Sony Classical
Catálogo: SK 710429
Lançamento: 2007
Faixas

1. First Impressions
2. Hampshire
3. Bond Street Airs
4. The Basingstoke Assembly
5. A Game of Cricket
6. Selbourne Wood
7. Lady Gresham
8. Advice From A Young Lady
9. Laverton Fair
10. To The Ball
11. Rose Garden
12. Mrs. Radcliffe
13. Goodbye, Mr. Lefroy
14. Distant Lives
15. The Messenger
16. An Adoring Heart
17. Runaways
18. A Letter
19. The Loss of Yours
20. To Be Apart
21. Deh Vieni Non Tardar (From "Le Nozze di Figaro" by Mozart)
22. Twenty Years Later
23. A Last Reading

Duração: 47:00
Cotação:


Comentário de
Viviana Ferreira

 

Adrian Johnston iniciou-se em longas para a TV. Ganhou o Emmy de melhor trilha para Shackleton, mas desde então vem se especializando em filmes como Kinky Boots e Antes que Termine o Dia, todos eles totalmente ingleses, of course.

Neste Becoming Jane, que retrata a vida da escritora Jane Austen, Adrian não teve problemas. Até porque um filme sobre a escritora remete às próprias histórias escritas por ela (e que, posteriormente tornaram-se filmes), como Razão e Sensibilidade, Emma e Orgulho e Preconceito. E também é normal comparar a trilha de Adrian a estas três trilhas anteriores (Razão e Sensibilidade de Patrick Doyle, indicado ao Oscar, Emma de Rachel Portman, vencedora do Oscar, e Orgulho e Preconceito de Dario Marianelli, indicado ao Oscar).

Enfim, Adrian remete uma trilha clássica, bem à la Austen, com muitas peças ao piano, violino, músicas tradicionais e classicismo inglês. O que ocorre é que, com o brilhantismo das partituras dos filmes baseados nos livros de Austen, o score, ainda que belo, cai na mesmice. Embora existam momentos brilhantes, como “First Impressions” e “To the Bell”, ou o originalismo supremo de “Advice From a Young Lady”, é impossível não notar que o próprio Johnston inspirou-se em Doyle, Portman e Marianelli para compor esta trilha.

Infelizmente ele não consegue se reinventar, mostrando um lado mais pessoal da própria alma da escritora. Infelizmente, temos a impressão de vermos uma personagem dos livros da mesma, ao invés de sentirmos o valor de suas inspirações. No fim das contas a trilha de Becoming Jane é, sim, bela - mas infelizmente, totalmente esquecível.

 

 

 

 

 

CDs COMENTADOS