THE CURIOUS CASE OF BENJAMIN BUTTON
Música composta por Alexandre Desplat

Selo: Concord Records
Catálogo: CRE-31231-02
Lançamento: 2008
Faixas

Disco 1
1. Postcards
2. Mr. Gateau
3. Meeting Daisy
4. A New Life
5. Love in Murmansk
6. Meeting Again
7. Mr. Button
8. "Little Man" Oti
9. Alone at Night
10. It Was Nice to Have Met You
11. Children's Games
12. Submarine Attack
13. The Hummingbird
14. Sunrise on Lake Pontchartrain
15. Daisy's Ballet Career
16. The Accident
17. Stay Out of My Life
18. Nothing Lasts
19. Some Things You Never Forget
20. Growing Younger
21. Dying Away
22. Love Returns
23. Benjamin and Daisy

Disco 2
1. "My Name is Benjamin"
2. We Shall Walk Through the Streets of the City
3. "Some Days I Feel Different"
4. Ostrich Walk
5. "How Old are You?"
6. That's How Rhythm Was Born
7. "When Was the Last Time You Had a Woman?"
8. Freight Train Blues
9. Basin Street Blues
10. "Thanksgiving, 1930"
11. If I Could Be With You (One Hour Tonight)
12. "What's your Secret?"
13. Chanson Sur Staline
14. "A Date Which will Live in Infamy..."
15. Arabeske for Piano in C Major Op. 18
16. "Coming Home"
17. Out of Nowhere
18. Dear Old Southland
19. "Defined by Opportunities"
20. Skokiaan
21. "Things were Becoming Different for Me..."
22. My Prayer
23. Bethena (A Concert Waltz)


Duração: 112:11
Cotação:


Comentário de
Viviana Ferreira

 

Sem sombra de dúvida, O Curioso Caso de Benjamin Button, de David Fincher, é um dos longas mais aguardados do ano. Já ovacionado pela crítica, o filme, que narra a saga de Benjamin Button (Brad Pitt), que nasce velho e vai ficando jovem através dos anos, tem tudo para se transformar em um clássico, assim como sua trilha, composta por aquele a quem considero o melhor compositor da atualidade, Alexandre Desplat. Pois bem, Desplat cria em Benjamin Button não só a melhor trilha de toda a sua carreira, mas também uma das melhores que já ouvi. Toda a partitura é mágica, impecável, suave, belíssima, e tem um tema que penetra em sua mente de modo realmente grandioso.

O álbum da trilha do filme é composto por dois discos - o primeiro trazendo a partitura de Desplat, o segundo contendo diálogos de personagens e canções de vários intérpretes, onde predomina o jazz. Esta resenha vai se ater exclusivamente ao score de Desplat, presente no CD 1.

A primeira faixa, “Postcards” é irretocável, envolta por um clima fantástico que se propaga por violinos mágicos que parecem estar tocando em uma noite estrelada, assim como o piano. Já em “Mr. Gateau” mais uma vez temos a melodia que remete às fadas, e a que está contando um clássico. A surrealista mistura de instrumentos característica de Desplat funciona muito bem novamente. “Meeting Daisy” começa com um pianinho que parece ser uma caixinha de música e depois dá espaço à flautas e oboés, com cordas com staccatos, aparecendo ali o tema do longa. Em “A New Life” inicia com o tema do filme - magnífico, provavelmente o mais belo já criado por Desplat, onde os violinos mágicos mais uma vez aparecem em uma melodia que toca no fundo da alma - posteriormente, novamente a flauta e os oboés se destacam, onde um acordeon faz timidamente o fundo. Passando para a faixa 5, ao ouvir “Love in Mourmansk” sentimos como se estivéssemos sendo levados a um mundo totalmente novo, mergulhando no centro da imaginação que cada um tem dentro de si.

Em “Meeting Again” o que marca é a suavidade, em uma nostalgia doce e onde o amor é a única coisa que se pode sentir ao ouvir-se faixas tão belas. Em “Mr. Button” mais uma vez Desplat utiliza a mistura de instrumentos, algo que ele faz realmente bem, onde a sensibilidade é tamanha que é impossível não comover-se. Já “Little Man Oti” tem o uso da percussão, muito bem utilizada - estamos diante de uma verdadeira grande obra - esta faixa por exemplo, poderia muito bem estar a descrever uma obra de Monet ou Paul Klee. Novamente o tema é utilizado, na faixa “Alone at Night”, de modo clássico e sublime. Em “It Was Nice to Have Meet You”, a melodia se encaminha como um túnel que se fecha em um ciclo - os ciclos da vida de Benjamin Button. Já em “Children Games” há uma tristeza que se inicia como uma caixa de música, e depois vem um um pianinho bem suave, como deve ser.

A genialidade também está presente em “Submarine Attack”, onde há um suspense em que a orquestra brilha e um barulho como um tic tac perfura a intensidade da trilha. Em “The Hummingbird” a melodia soa como poesia, sendo mais um pedacinho desta soberba trilha onde simplesmente não há defeitos. Já na faixa “Sunrise On Pontchartrain” há uma calma que nos deixa em estado de pureza interior, onde podemos esquecer todos os nossos problemas ao ouvir algo tão único. É engraçado como a faixa “Daisy's Ballet Career” remete ao som do vento, e nos deixa nos levar pelo tempo, como se as notas flutuassem entre si. Em “The Accident”, fica claro nesta trilha que Desplat não se foca em um único instrumento. A ótima utilização de todos eles é que faz a diferença.

Em “Stay Out Of My Life” o piano remete aos segundos, como se fosse o som do relógio sendo invocado. E ouvindo “Nothing Lasts”, a sensação é que não se precisa de mais nada na vida - apenas estar ali, exatamente ali, sentindo verdadeiramente cada segundo, cada nota, cada instrumento. Em “Some Things You Never Forget” há a melancolia que vai chegando ao fim da história, onde o tempo não pára, e não irá parar. “Growing Younger” soa como se fosse pingos de chuva - ternos e adoráveis. Aproximando-se do final, em “Dying Away”, o tema retorna mas desta vez amargurado, triste e inquieto. “Benjamin and Daisy” é a faixa que encerra o score de Desplat, onde o piano impera, único, tocando com muita dignidade e beleza toda a emoção existente em Benjamin Button, com uma dedicação inabalável, perfeita.

E caminhando por nuvens onde é inigualável sua superioridade, Alexandre Desplat pode morrer feliz: ele tem, aqui, a trilha do ano, do século... a sua obra-prima.

CDs COMENTADOS