BATTLESTAR GALACTICA: SEASON 3
Música composta por Bear McCreary

Selo: La-La Land Records
Catálogo: LLLCD 1059
Lançamento: 2007
Faixas

1. A Distant Sadness - From "Occupation"

2. Precipice - From "Precipice"

3. Admiral and Commander - From "Exodus, Parts I and II"

4. Storming New Caprica - From "Exodus, Part II"

5. Refugees Return - From "Exodus, Part II"

6. Wayward Soldier - From "Hero"

7. Violence and Variations - From "Unfinished Business"

8. The Dance - From "Unfinished Business"

9. Adama Falls - From "Unfinished Business"

10. Under the Wing - From "Maelstrom"

11. Battlestar Sonatica - From "Torn"

12. Fight Night - From "Unfinished Business"

13. Kat's Sacrifice - From "The Passage"

14. Someone to Trust - From "Taking a Break From All Your Worries"

15. The Temple of Five - From "The Eye of Jupiter"

16. Dirty Hands - From "Dirty Hands"

17. Gentle Execution - From "Exodus, Part II"

18. Mandala in the Clouds - From "Maelstrom"

19. Deathbed and Maelstrom - From "Maelstrom"

20. Heeding the Call - From "Crossroads, Part II"

21. All Along the Watchtower - From "Crossroads, Part II"

Duração: 79:12
Cotação:


Comentário de
Tom Hoover

 

A música da terceira temporada de Battlestar Galactica é trazida até nós pelo jovem compositor da série, Bear McCreary. A seleção musical deste álbum oferece destaques da temporada, selecionados pelo compositor para melhor representar seu trabalho nesta fase do programa. É desnecessário dizer que selecionar as faixas para este CD foi uma tarefa desafiadora, já que havia muito material para escolha. Eventualmente o álbum começou a tomar forma, com todas as fontes musicais importantes e significativas se fazendo presentes, incluindo a versão muito legal de um clássico de Bob Dylan que encerra o disco. Esta é uma seleção de scores que serverm bem à série, oferecendo um tempo generoso de audição que é mais do que satisfatório para os ouvintes.

 

Sempre tive opiniões conflitantes sobre esta nova Battlestar Galactica. Enquanto reconheço que ela é bem superior à original em termos de dramaticidade e ritmo, sinto que ela perdeu muito do espírito de aventura que era característico de sua predecessora. Também acho que o uso do efeito "câmera na mão" é irritante, e a palavra "frack" é usada demais durante os episódios. Quanto à música, também ela foi atualizada e é totalmente diferente da original, como talvez devesse mesmo ser para um produto reinventado. A boa notícia é que a música de McCreary está se aprimorando conforme a série progride, e seu trabalho na terceira temporada é um bom indicativo disto.   

 

A primeira coisa que me chamou a atenção na música da terceira temporada é sua fantástica, cristalina qualidade de áudio. Deve ser a trilha sonora mais bem mixada do ano. No entanto, uma boa mixagem só é efetiva se a partitura em si é de alta qualidade, o que felizmente é o caso. O score de McCreary é verdadeiramente uma representação da raça humana, como apresentada no programa. Ele oferece melodias de origens asiática, irlandesa e do Oriente Médio, apenas para citar algumas. Essas influências culturais são bem-vindas, já que a Galactica é a última esperança da humanidade, fazendo sentido ter uma variada representação musical.

 

O score também contém muitas faixas dramáticas cujo alcance extrapola a tela da TV. Essas sérias e efetivas peças musicais lhe dão uma idéia de quão sério é o programa, afastando a idéia de que é uma space opera; ele principalmente é uma história de guerra. Adicionalmente, uma boa parte do score é impulsionado pelo impressionante uso que McCreary faz da percussão, especialmente efetivo durante as cenas de ação. Se há um elemento que identifica a música da série, eu diria que é a percussão, já que não há presente um tema principal notável.

 

E quanto ao tema principal, ou a falta de um - isto não é culpa do compositor. A decisão de não usar o tema da série original foi tomada pelos produtores ainda nos primeiros estágios do projeto. Além disso, a equipe de produção ainda não havia definido o estilo musical a ser usadio, sua única certeza era de que o tema clássico não seria empregado, e que uma abordagem orquestral tradicional seria evitada. Então, Bear McCreary subiu a bordo, forneceu o material que era necessário e o resto é história. Apesar de achar que o estilo de Bear é criativo e serve bem ao que propõe a série, penso que um tema facilmente identificável também faria bem. Presumo que os produtores queriam evitar que o programa acabasse usando uma música genericamente similar à das últimas séries de Jornada nas Estrelas, se não optassem por algo diferente.

 

Enfim, no terceiro ano da série, a música de Bear McCreary teve chance de se destacar, e todos somos beneficiários disso. Este é um score espetacular que não deve ser ouvido como uma típica trilha sonora de televisão; é muito melhor. A diversidade oferecida é valiosa, colaborando para criar uma experiência auditiva de qualidade. Também devo assinalar que a música de Bear é madura e bem escrita, e espero ansioso para ouví-la em uma arena diferente, principalmente em The Sarah Connor Chronicles. Battlestar Galactica: Season 3 é uma forte recomendação que nos deixa ansioso pela música que ouviremos na quarta temporada.

CDs COMENTADOS