CLASSIC YO YO
Yo-Yo Ma, violoncelo, com vários solistas, orquestras e maestros. Inclui Williams: American Collection Theme; Tan Dun: The Eternal Vow (from Crouching Tiger, Hidden Dragon); Piazzolla: Libertango (from The Tango Lesson)

Selo:
Sony Classical
Catálogo:
SK89667
Ano: 2001

16 Faixas
Cotação:

Comentário de
Miguel Andrade

 

Se a presença de um comentário à última compilação de Yo-Yo Ma, num site dedicado principalmente à música para cinema, pode à primeira vista parecer estranha, não o será tanto se lembrarmo-nos que inclui a única gravação disponível de um novo tema de não outro senão o grande John Williams. Ma interpreta aqui o novo tema de Williams para a série televisiva Masterpiece Theatre, composto para uma série de episódios, sub-intitulados The American Collection. Apresentado na sua versão expandida para concerto (com cerca de três minutos e meio, contra apenas um da versão televisiva), o tema tem um som bastante clássico, embora apresente todas as características do som mais maduro de Williams. Uma pequena pérola de composição, que cita o tema original da série (o "Rondeau" de Jean Joseph Mouret), com a Arst Recording Orchestra of L.A. a acompanhar Ma.

De resto o CD inclui duas outras peças associadas ao cinema. A primeira é um excerto da excepcional partitura vencedora do Oscar Crouching Tiger, Hidden Dragon, de Tan Dun; a segunda é o "Libertango" de Astor Piazzolla, usado no filme The Tango Lesson. E as associações filmicas ficam por aqui. Mas o CD não deixa de ser merecedor da nossa atenção por isso. Esta é sem dúvida uma das mais bem produzidas compilações que já ouvi, demonstrando a amplitude da arte e versatilidade deste grande solista, um dos melhores violoncelistas da sua geração. O álbum foca a parte mas acessível do repertório gravado por Ma, o que não deixa de ser compreensível, embora pessoalmente lamente não ser incluído nenhum excerto das suas gravações de Rouse, Danielpour, Kirchner ou Taverner. O álbum abre da melhor forma possível, com o "Preludio" da primeira suíte para violoncelo de Bach, extraído da gravação de 1997 "Inspired by Bach" que deu origem a seis magníficos vídeos. Este compositor é o mais bem representado no CD, com mais duas fantásticas interpretações de arranjos para violoncelo e orquestra barroca, de autoria do especialista Ton Koopman.

Da mesma forma que este CD poderá atrair os fãs de música para cinema por causa da peça de Williams, os admiradores de Ma serão tentados pela presença destas peças apenas nele disponíveis. Um outro tango de Piazzolla, "Fear", da suíte "Tango Sensations", é aqui apresentado pela primeira vez na interpretação de Ma. O tom folclórico continua em peças de Mark O'Connor ("Butterfly's Day Out" e "Appalachia Waltz"), Edgar Meyer ("1B") e numa nova gravação para violoncelo e vocalista da belíssima canção tradicional "Simple Gifts" (usada por Aaron Copland no seu famoso bailado "Appalachia Spring"), aqui com Ma a acompanhar Alison Krauss. Há apenas um cheirinho de jazz, via o primeiro Preludio de Gershwin, aqui no arranjo para violino e piano de Heifetz, adaptado para violoncelo e piano pelo próprio Ma. A parte mais clássica do CD, para além das já referidas peças de Bach, inclui um dos momentos altos: um arranjo para violino, violoncelo e orquestra da "Dança Eslava op. 72 nº 2" de Dvorák. Com Itzhak Perlman (violinista em Schindler's List) e acompanhados pela Boston Symphony, sob a direcção de Seiji Osawa, os dois solistas conferem uma delicadeza adicional a uma das mais belas peças deste compositor.

De particular interesse é também uma gravação do "Vocalise" de Rachmaninoff, uma das mais famosas obras da música erudita, aqui com Ma a acompanhar Bobby McFerrin. O interesse desta peça para fãs de música para cinema é de aqui encontrarem onde John Williams foi beber a inspiração para as belas passagens para voz e orquestra em Artificial Inteligence. Um excerto da sensacional gravação das Sonatas de Brahms (com o pianista Emanuel Ax) e outro do "Quarteto para Piano de Faure" (com Ax, o recentemente desaparecido Isaac Stern e Jaime Laredo) preenchem o resto do CD. Adequadamente o álbum é encerrado com Ma a solo, com uma das já referidas composições de Mark O'Connor, "Appalachia Waltz". Este é um CD que pode e deve servir de introdução para a arte única de Yo-Yo Ma, violoncelista fantástico, e dono de uma versatilidade rara. Será indispensável para os admiradores incondicionais de Ma e Williams, pelas peças disponíveis apenas aqui. Será no entanto também a possibilidade para muitos fãs de música para cinema, que aparentemente nunca ouviram falar dos grandes mestres, poderem confirmar que a música clássica não é chata... Muito antes pelo contrário, principalmente quando esta sai do coração interpretativo do grande Yo-Yo Ma.

CDs COMENTADOS