BERNARD HERRMANN: THE CONCERT SUITES
Música composta e regida por Bernard Herrmann. Interpretação: London Philharmonic Orchestra, National Philharmonic Orchestra


Selo:
Masters Film Music
Catálogo:
SRS 2005/8
4 CDs

Cotação:

Comentário de
Jorge LuisViera

 

Alguns talentos são luminosos, incríveis e inesquecíveis. Há vezes em que não queremos vê-los, que fingimos não sentir sua presença em cada coisa, em cada feito. Fingimos não escutar sua voz, seu canto, seu grito ou seus ensinamentos. Que preferiríamos que não permanecessem no tempo. Tudo porque comentam, questionam e acompanham o que fazemos. Somente uns poucos, os verdadeiros artistas, têm essa capacidade de "continuar sendo" apesar de nossa aparente indiferença. Estão ali, desafiando o tempo e a memória e, sem dúvida, continuarão ali mesmo após termos partido, oferecendo sua arte e perguntando em troca “Porque o mundo é assim?”. A música incidental para o cinema tem um destes talentos, e esta coleção apresenta o melhor da sua obra. Ao final de sua carreira, o compositor norte-americano Bernard Herrmann (1911-1975) teve a brilhante idéia de, mediante um contrato com o selo Decca/London, passar em revista os pontos altos de mais de três décadas de uma vida ligada fundamentalmente à criação de música para o cinema.

Desta forma nasceram "The Concert Suites", especialmente preparadas e conduzidas pelo compositor e interpretadas magistralmente por The London Philharmonic Orchestra e The National Philharmonic Orchestra, as orquestras mais importantes de sua época. Em seu conteúdo, quatro CDs ordenados por gênero, que incluem a colaboração Herrmann-Hitchcock e a música para os filmes fantásticos da dupla Charles H. Schneer-Ray Harryhausen).
As mais populares e aclamadas partituras de Herrmann estão presentes: Citizen Kane,
The Devil and Daniel Webster, Jane Eyre, The Snows of Kilimanjaro, The Day The Earth Stood Still, Journey to The Center of The Earth, Fahrenheit 451, The Trouble with Harry, Vertigo, North by Northwest, Psycho , Marnie, The 7th Voyage of Sinbad, The Three Worlds of Gulliver, Misterious Island e Jason and The Argonauts. Cidadão Kane, no CD 1, é talvez a música perfeita para acompanhar o gênio do melhor diretor da historia do cinema, Orson Welles. Ali, Herrmann faz pulsar uma emotividade contida, sublimando o filme. Sua intervenção é fundamental e a suíte que ouvimos, brilhante. Em outra linha, Fahrenheit 451, no CD 2, é visceral e nova, o contraponto ideal à imaginação de Ray Bradbury e François Truffaut. Sua execução neste disco é um ponto alto que o aficionado das trilhas sonoras saberá desfrutar plenamente.

O CD 3 evidencia que o talento de um compositor de cinema pode levá-lo quase a co-dirigir um filme. Herrmann foi tão “Hitchcock” quanto o próprio Hitchcock. Um binômio perfeito que encontrou em Um Corpo que Cai (Vertigo) sua obra-prima. Poucas vezes na história do cinema assistimos a um encontro artístico de semelhantes proporções.
Finalmente, o CD 4 abre espaço para a fantasia e encontra o compositor em plena forma, arriscando a sonoridade para ir além de seu habitual. Simbad e a Princesa (The 7th Voyage of Sinbad) é testemunho disso e sua suíte, impecável e misteriosa é, sem dúvida, também desafiadora. Tampouco devemos esquecer o generoso booklet que acompanha a edição da Masters Film Music, que escrito por Robert Towson e Kevin Mulhall, resume apropriadamente a carreira do compositor e cada um dos volumes em particular (cada um destes discos foi também editado individualmente pela Decca/London ao longo dos anos). Assim, deste modo simples mas genial, Bernard Herrmann resumiu uma carreira que ainda hoje continua sendo uma referência para posteriores gerações de compositores ligados à sétima arte. Criando um estilo intransferível que emociona, surpreende e nos obriga a refletir com a profundidade de seus comentários musicais apoiando cada filme.

Em suma, o compêndio da obra de um grande artista. O testemunho vivo de seu talento imperecível e uma lição permanente de como deve ser a boa música de cinema.

CDs COMENTADOS