Damien: Omen II - The Deluxe Edition
Música composta por
Jerry Goldsmith, regida por Lionel Newman  

Selo:
Varèse Sarabande
Catálogo:
 302 066 309 2
Ano: 2001
26 Faixas
Duração:
67:10
Cotação:


Comentário de
Jorge Saldanha

 
Para a primeira continuação de A Profecia, Damien: A Profecia II (1978), Jerry Goldsmith compôs um score superlativo. Damien (Jonathan Scott-Taylor), agora com 13 anos de idade, é adotado por seu tio, Richard Thorn (William Holden), um importante empresário que, a exemplo de Gregory Peck no filme anterior, irá encontrar evidências da real identidade do garoto. Até então disponível apenas em CD da Silva inglesa, lançado no final dos anos 80, na partitura de Damien Goldsmith expandiu a Missa Negra de "Ave Satani" do início ao fim, com intervenção de coral em quase todas as faixas. O coro, às vezes, soa como o grasnar de um corvo, que no filme aparece como o emissário do Diabo. A música em si é quase o tempo todo ativa e incansável, não há um tema romântico como em The Omen, ou mesmo faixas de lirismo religioso como em The Final Conflict.

Desde o “Main Title, uma releitura vibrante de “Ave Satani”, Goldsmith buscou unicamente mostrar o mal em forma de música, e o score em momento algum desvia-se deste objetivo. Há algumas faixas mais suaves, porém mesmo nelas as notas musicais buscam transmitir a ameaça representada pelo garoto. O lançamento anterior, de pouco mais de meia hora de duração, continha a regravação da partitura feita em Londres, com a National Philharmonic Orchestra and Chorus regida por Lionel Newman. Para este relançamento, a Varèse Sarabande conseguiu recuperar as masters originais utilizadas no filme, gravadas no estúdio da Fox em Los Angeles também sob a regência de Newman. Destas, apenas duas faixas curtas (que totalizam 1 minuto e 47 segundos) são inéditas, "Aunt Marion's Visitor" e "Snowmobiles" - esta, um dos raros momentos leves do score, que é ouvida durante os folguedos dos Thorn na neve. Mas, a exemplo do que a FSM já fizera com outro trabalho de Goldsmith (100 Rifles), o CD contém as duas versões do score que totalizam quase 70 minutos de estupenda música.

Na conhecida regravação feita na Inglaterra, graças à remasterização agora percebemos claramente instrumentos de sopro (madeiras) que anteriormente não eram sequer ouvidos em certos trechos, e segmentos de coral e instrumentação eletrônica foram mixados diferentemente. Por esta razão, certamente muitos preferirão a versão da Silva, ainda que, sob a maior parte dos aspectos técnicos e artísticos envolvidos, o CD da Varèse oferece a melhor representação desta versão. Sentimos com muito mais força a presença da orquestra, e a qualidade sonora, de um modo geral, é superior. Já as gravações originais para o filme contêm sutis diferenças no som do órgão (o mesmo órgão de igreja que foi utilizado em muitos scores clássicos da Fox), no acompanhamento eletrônico e na interpretação do coral. Também de se notar que as faixas não estão agrupadas em forma de suítes, como na regravação, o que dá uma nova perspectiva auditiva ao score.

Para o fã desta partitura, sem dúvida uma ótima oportunidade para comparar as duas interpretações e, sem dúvida, apreciar o que de melhor elas possuem. No encarte, mais uma vez Robert Townson comenta cada música, incluindo histórico da gravação, as faixas que se correspondem em cada versão, etc.

CDs COMENTADOS