DANCES WITH WOLVES (EXPANDED)
Música composta e regida por
John Barry

Selo:
Epic/Legacy
Catálogo:
2 063555  
Ano: 2004

Faixas:
1. Main Title**/Looks Like a Suicide** (7:35)
2. Ride to Fort Hays (2:02)
3. Journey to Fort Sedgewick/Shooting Star/The John Dunbar Theme/Arrival at Fort Sedgewick** (4:55)
4. The John Dunbar Theme (2:19)
5. The Death of Timmons (2:25)
6. Two Socks/The Wolf Theme (1:32)
7. Stands With a Fist Remembers (2:12)
8. The Buffalo Robe (2:12)
9. Journey to the Buffalo Killing Ground (3:39)
10. Spotting the Herd* (1:49)
11. The Buffalo Hunt (film version)* (4:33)
12. Fire Dance (1:49)
13. Two Socks at Play (4:33)
14. Falling in Love* (1:41)
15. The Love Theme (2:00)
16. The John Dunbar Theme (3:04)
17. Pawnees/Pawnee Attack/Stone Calf Dies**/Toughest Dies** (6:15)
18. Victory* (1:03)
19. The Death of Cisco (2:14)
20. Rescue of Dances With Wolves (2:08)
21. The Loss of the Journal/The Return to Winter Camp (2:09)
22. Farewell/End Title (8:51)
23. The Buffalo Hunt (2:45)
24. The John Dunbar Theme (film version)* (2:21)
* Inédito em CD
** Contém material inédito em CD
Duração: 75:46
Cotação:


Comentário de
Jarbas Elias Abdala

 

Falar sobre a trilha de Dances with Wolves é como recordar boas lembranças. No final de 1990 eu começava a iniciar minha coleção de trilhas sonoras e no ano seguinte, John Barry ganhava o seu quinto Oscar pela trilha deste épico de Kevin Costner. Ávido por conhecer as melodias deste compositor que ganhara de John Williams (que concorreu no mesmo ano por Home Alone), comprei um dos meus primeiros LPs de música para cinema: a trilha de Dança com Lobos. A música me tocou profundamente e Barry ganhava naquela dia mais um grande admirador. Alguns anos mais tarde, com a chegada dos compact discs, vendi minha modesta coleção de trilhas em vinil e agora, quase dez anos depois, tenho o prazer de ouvir novamente este maravilhoso trabalho neste edição expandida* que traz um acréscimo de cerca de 25 minutos de música inédita (não estou levando em consideração aqui uma edição limitada de 95 que continha algumas faixas extras além do álbum original de 1990).

John Barry criou um trabalho tão complexo e monumental que é preciso muitas audições para começar a separar os temas e motivos que ele criou para os personagens, e as seqüências que transcorrem na tela. Aliás, assistir ao filme é como ouvir ao score com as imagens, uma vez que Kevin Costner, felizmente, optou por não deixar a música como um mero coadjuvante. O volume está na altura ideal para que a música reforce dramaticamente as imagens que vemos. E dramaticidade é o que não falta às composições de Barry. Ao ouvir a trilha percebe-se uma tal coesão entre as faixas que parece estarmos ouvindo uma grande suíte sinfônica. Mas mesmo neste unidade musical podemos identificar duas grandes vertentes que o compositor percorre em seu trabalho: a épica e a lírica. Comecemos pela épica, marcada principalmente pelo trabalho conjunto da seção de cordas e de metais da orquestra, que num estilo dominantemente sinfônico confere uma grandiosidade ímpar à jornada de John Dunbar através das pradarias do interior americano, a nós reveladas em grandes planos e panorâmicas. Faixas como "Ride to Fort Hayes" e "Journey to Fort Sedgewick" são exemplos do tipo de música a que me refiro.

Nesta última, em especial, Barry nos brinda com um maravilhoso "duelo" entre cordas e trompas à medida que o personagem de Costner viaja em direção ao seu forte abandonado. É também nesta vertente épica que as mesmas trompas e cordas, se revezando na execução da melodia, nos apresentam o tema relacionado aos búfalos. Podemos ouvi-lo na introdução de "Journey to the Buffallo Killing Ground" e nas duas faixas subseqüentes: "Spotting the Herd" e "The Buffalo Hunt (film version)". Por falar nesta última, é a primeira vez que podemos ouvir a música que foi utilizada no filme para a seqüência em que Dunbar e os índios Sioux perseguem a manada de búfalos, com seu tom heróico e mais próximo do estilo western. No entanto, é a versão rejeitada, presente no álbum de 1990 e aqui apresentada na faixa 23, que se aproxima mais do espírito do filme. Em ambas as versões podemos ouvir aquela introdução onde as cordas ditam o ritmo da cavalgada dos caçadores – acompanhadas também pelas trompas. Mas nesta, o tema de John Dunbar tocado pelos metais substitui com mais eficiência o heroísmo daquela. É no marcante "The John Dunbar Theme" que reside o grande tema central do filme e que transita do épico para o lírico.

Além desta versão para álbum interpretada pelas cordas - bem ao estilo romântico e apaixonado de John Barry – este "Main Title" abre o filme com um solo de trompete e reaparece em diversas ocasiões, como na já citada "The Buffalo Hunt", solado pela gaita na faixa 16, na versão apresentada no filme (ligeiramente contida na parte final) e num arranjo mais triste para representar a matança indiscriminada dos búfalos (na segunda metade de "Journey to the Buffalo Killing Ground"). Mais três temas se inserem neste lirismo ao qual o compositor está habituado e que é uma de suas marcas registradas: o tema do lobo (nas faixas "Two Socks/The Wolf Theme" e "Two Socks at Play"), o tema de amor entre Dunbar e Christine ("Falling in Love", "The Love Theme, "The Return to Winter Camp") e o tema relacionado à amizade de Dunbar com os índios Sioux ("The Buffalo Robe", a introdução de "Falling in Love" e "Farewell"). Todos normalmente executados pelas cordas com alguns solos de instrumentos de sopro.

Além destes dois grandes grupos lírico e épico, podemos destacar o tema para os momentos de maior tensão do filme normalmente relacionados com os índios Pawnees em "The Death of Timmons", "Stands with a Fist Remembers" e "Pawnees/Pawnees Attack/Stone Calf Dies/Toughest Dies". Nestas duas últimas faixas, além do registro mais agudo das cordas (também utilizado em "Looks Like a Suicide") temos a inclusão de uma percussão étnica, interessantemente utilizada por Barry também em "Rescue of Dances with Wolves" – neste caso só a percussão permanece, pois o tema utilizado representa os índios Sioux e não a ameaça dos Pawnees. Vale ainda destacar o uso de vozes femininas, como fantasmas representando os momentos trágicos nas vidas de John Dunbar e de Christine ou, num clima totalmente oposto, na caça aos búfalos. Enfim, John Barry conseguiu criar uma partitura diversa, lírica e épica que com certeza entra para a galeria de seus melhores trabalhos e, por que não, da grande música para o cinema. 

* Esta edição expandida, um raro caso em que o CD nacional foi lançado antes do norte-americano, apresenta a mesma capa do álbum original de 1990. Então, ao se deparar com o CD nas lojas, confira o verso para verificar se constam as faixas estendidas e as adicionais.

CDs COMENTADOS