CONFESSIONS OF A DANGEROUS MIND
Música composta por Alex Wurman, Vários

Selo:
Domo Records
Catálogo:
730 16-2 
Ano: 2003

13 Faixas
Duração: 39:35
Cotação:


Comentário de
Jorge Saldanha

 

O resultado final pode até ser discutível, mas devemos reconhecer que o ator George Clooney, em sua estréia na direção, escolheu um projeto original e incomum: levar às telas a biografia do apresentador e produtor de TV Chuck Barris. Este cidadão, que seria uma espécie de Gugu norte-americano, de dia apresentava, nos anos 60-70, o popular game-show "The Gong Show"; à noite, era um agente da CIA, que segundo ele mesmo, teria assassinado 33 pessoas. O maior trunfo de Confessions of a Dangerous Mind é a interpretação do ótimo Sam Rockwell como Barris, e musicalmente, o filme nos oferece uma salada musical bem representada no álbum da trilha sonora.

O CD agradará principalmente àqueles que tiverem um gosto musical eclético: vários artistas populares do período fazem-se presentes com algumas de suas melhores interpretações, tais como Rosemary Clooney em "There's No Business Like Show Business", Peter, Paul and Mary com "If I Had a Hammer (The Hammer Song)" e Vicki Carr na deliciosamente jazzística "The Silencers" (originalmente tema de uma comédia de espionagem de 1966 com Dean Martin, a canção tem música de Elmer Bernstein e letras de Mark David). Na trilha incidental, há somente três pequenas suítes do compositor Alex Wurman que nos deixam com um gostinho de "quero mais". Tendo trabalhado com Hans Zimmer e Trevor Jones nas trilhas de O Rei Leão e Armageddon, respectivamente, Wurman nos últimos anos tem realizado uma variedade de trabalhos para o cinema e a TV, e Confessions of a Dangerous Mind tem tudo para abrir-lhe novas portas no meio.

Dispersa entre as várias canções do álbum, o compositor fez uma discreta porém muito eficiente partitura, francamente voltada para o jazz. "Cautionary Tale" inicia com o tema principal solado ao piano, para em seguida ingressar em uma melodia na qual ao piano juntam-se órgão, baixo, cordas e bateria. "Berlin" é provavelmente a melhor composição de Wurman presente; iniciando com um acordeão para bem situar o cenário no qual transcorre a ação, a música evolui para um envolvente tema blues onde a banda é conduzida por saxofone e guitarra, lembrando em muito as composições para filmes policiais e de espionagem dos anos 60. "Going Crazy Coast to Coast" é a última das faixas de Wurman no CD, basicamente um exercício de suspense somente ao piano, que encerra-se com uma reprise do tema principal.

O CD de Confissões de uma Mente Perigosa pertence ao catálogo da gravadora Domo Records, mais conhecida por seus lançamentos de new age e world music. Espero que eles continuem a lançar mais trilhas sonoras e, principalmente, espero no futuro ouvir mais da boa música de Alex Wurman.

CDs COMENTADOS