DEATH WISH
Música composta por Herbie Hancock

Selo:
One Way
Catálogo:
 26659
Ano: 1996

9 Faixas

Duração: 40:36
Cotação:


Comentário de
J
orge Saldanha

 

Desejo de Matar, de Michael Winner, criou polêmica em 1974 ao mostrar Charles Bronson como um sujeito comum que, após uma tragédia familiar, passou a fazer justiça com as próprias mãos. Sem dúvida, um tema que hoje virou lugar-comum, ainda mais depois de quatro continuações de qualidade progressivamente inferior. Para compor a partitura urbana e opressiva de seu thriller, Winner convocou o então jovem tecladista de jazz Herbie Hancock, já à época consagrado por ter tocado com Miles Davis, composto a trilha do famoso Blow-Up (1966), de Antonioni, e principalmente por desenvolver uma vitoriosa carreira-solo na qual agregou ao jazz os ritmos afro-americanos, em especial o funk. Para Death Wish, Hancock adaptou à linguagem cinematográfica a música que compunha no período, cadenciada e mesclando instrumentos acústicos e elétricos, inclusive sintetizadores. O resultado é um álbum que, além de encaixar-se perfeitamente no tema sombrio abordado, transcende ao próprio filme.

O admirável "Main Title" , que abre o disco, não é ouvido no filme. O que é uma pena, já que é o ponto alto deste trabalho: iniciando com efeitos de guitarra, a faixa possui um ritmo hipnótico que nos permite visualizar o melancólico Bronson perambulando por ruas desertas, à noite, em busca de criminosos. Ao ritmo ditado pelos membros do grupo de Hancock, The Headhunters (Bennie Maupin, sopros; Mike Clark, bateria; Paul Jackson, baixo elétrico; Bill Summers, percussão; e "Wah Wah" Watson, guitarra), o compositor acrescenta seu piano elétrico Fender, enquanto violinos e metais complementam a composição. Segue-se o ótimo "Joanna´s Theme", o tema romântico que, no filme, é ouvido esparsamente interpretado pela orquestra, mas que no CD ganha uma versão interpretada por Hancock e seus músicos, mais cordas. O restante do álbum alterna jazz ("Fill your Hand", "Do A Thing") e música orquestral, esta mais no padrão cinematográfico habitual, mas com predominância de percussão e atonalidade ("Suite Revenge"), além de efeitos eletrônicos.

 O CD utilizado para este comentário é o americano, lançado em 1996. No mesmo ano também foi lançada uma versão italiana (Legend CD25), idêntica em conteúdo, porém com diferenças na parte gráfica e qualidade de som inferior -  aparentemente foi utilizado um vinil como master. Evite-a.

CDs COMENTADOS