ENIGMA
Música composta e regida por John Barry. Interpretação: The Royal Concertgebouw Orchestra


Selo:
Decca
Catálogo:
467 864-2
Ano: 2001

22 Faixas

Duração: 56:43
Cotação:


Comentário de
J
orge Saldanha

 

Um dos compositores cujas novas trilhas são ansiosamente esperadas (até pela sua escassa produção cinematográfica dos últimos anos) é John Barry. Seu mais recente trabalho é o score para o suspense de Michael Apted Enigma, que envolve uma máquina utilizada pela Inglaterra na 2ª Guerra Mundial para decodificar mensagens nazistas. Apesar do pano de fundo do filme ser um dos maiores conflitos bélicos da história, a música de Barry concentra-se no clima melancólico e romântico do período (sua cidade natal foi bombardeada durante a guerra, o que lhe trouxe uma perspectiva muito pessoal sobre a música). Recentemente Barry teve algumas partituras rejeitadas, e muitos o criticam por seus últimos trabalhos serem semelhantes e muito sutis. De fato Barry vem compondo nesse estilo “low profile” há quase 2 décadas, e Enigma está neste padrão, com melodias lentas construídas sobre metais discretos.

Mas a música funciona, e Enigma é um belo e com freqüência sombrio score dividido em 2 partes - as faixas de suspense/ação ("Police Chase", "Wigram Arrives") e as dramáticas ("Is That What Happened?"). Nas faixas dramáticas temos as que transmitem um tom universal de guerra ("London 1946") e aquelas dedicadas aos momentos mais íntimos e de relacionamento ("Tom Goes To Cottage"). Barry apresenta seu tema principal já na "Main Title", mais uma vez em movimentos lentos e tocantes, dominado por cordas, metais, sopros e piano solo. Se você gostar deste tema ficará satisfeito com a freqüência com que ele aparece no CD. E talvez esta seja a maior falha deste álbum, o tema é repetido em demasia. Para muitos isto não será um problema, mas se analisarmos friamente, a maior parte do álbum consiste na repetição deste tema e suas variações.

Quando isto – a repetição - não ocorre, Barry desenvolve um tema secundário de 4 notas, em piano, que surge em "Tom Explains Enigma". O tema principal retorna rapidamente na ótima "Is That What Happened?" , desta vez com ênfase no piano solo. Nesta faixa de mais de 4 minutos, Barry com eficácia utiliza todos os truques de seu arsenal de compositor. Outro grande momento chega em "Tom Goes to Cottage", também não muito diferente das outras faixas, mas nela Barry aciona o piano solo mais uma vez e o mantém em um modo dramaticamente intimista. Outros bons momentos nos chegam em "Simply Wonderful/Finding Crib" (serenas, com a constante presença dos metais), "Trip to Beaumanor" e "Goodbye To Hester" (destas nenhuma especialmente serena, mas com um belo trabalho de cordas) e a ótima "End Credits", que reprisa o material temático do score.

Enigma poderá não figurar entre as clássicas partituras de Barry, mas indiscutivelmente leva a marca de seu autor, uma lenda viva da música para o cinema. Apesar de não possuir a originalidade de seus clássicos, é melhor que seus últimos trabalhos, e proporciona uma audição satisfatória em CD.

CDs COMENTADOS