FOR YOUR EYES ONLY
Música composta por Bill Conti


Selo:
EMI/Capitol
Catálogo:
72435-41449-2-9
Ano: 2003

Faixas:
1. For Your Eyes Only 
2. A Drive In The Country 
3. Take Me Home 
4. Melina's Revenge
5. Gonzales Takes A Drive 
6. St. Cyril's Monastery 
7. Make It Last All Night 
8. Runaway 
9. Submarine 
10. For Your Eyes Only 
11. Cortina 
12. The P.M. Gets The Bird/For Your Eyes Only (Reprise) 
13. Gunbarrel/Flowers For Teresa/Sinking The St. Georges 
14. Unfinished Business/Bond Meets Kristatos 
15. Ski... Shoot... Jump... 
16. Goodbye, Countess/No Head For Heights/Dining Alone 
17. Recovering The ATAC 
18. Sub Vs. Sub 
19. Run Them Down/The Climb

Duração: 58:56
Cotação:


Comentário de
Hugo Moya Arancibia

 

Em 1981 John Barry novamente não estava disponível para compor a música para 007 - Somente para os seus Olhos, e ele mesmo sugeriu como seu substituto o músico norte-americano Bill Conti. Na ocasião, Conti já se aproximava dos quarenta anos e sua carreira havia sido bastante irregular, tendo como trabalho mais destacado a trilha sonora do filme Rocky e três de suas continuações. Em 1983 Conti conquistou o Oscar por sua partitura para o filme Os Eleitos, e posteriormente compôs a música para películas como a trilogia Karatê Kid, Mestres do Universo, alguns filmes de Sylvester Stallone e algumas comédias de Leslie Nielsen. Possivelmente Somente para os seus Olhos tenha sido a grande chance de Conti para consolidar-se, porém isto não ocorreu, já que esta trilha sonora em hipótese nenhuma pode ser considerada uma das melhores da série.

Claramente o maior destaque, que transcendeu este trabalho, foi a canção principal “For Your Eyes Only”, composta por Bill Conti em parceria com Michael Leeson e interpretada por Sheena Easton. Esta canção deve ser uma das mais clássicas da série, disputando para valer o título de ser a melhor de todas. Esta canção é uma das poucas de Bond que resistiram ao tempo, e que ainda podemos ouvir em algumas rádios. Sua letra é muito romântica, ainda que não tenha muita relação com o conteúdo do filme. Esta trilha sonora, do mesmo modo que o trabalho de Marvin Hamlisch para O Espião que me Amava, foge bastante do estilo musical que vinha sendo estabelecido por John Barry. A música dá a impressão de que foi gerada em sua maior parte em um sintetizador, o que resultou em um som pouco elaborado e demasiadamente eletrônico. Sem dúvida um grande contraste em relação à sua antecessora, Moonraker.

De qualquer modo, este intento inovador foi absolutamente legítimo, já que cada compositor tratou de utilizar seu próprio estilo para poder diferenciar-se da regra. Isto também havia sido feito por George Martin e Marvin Hamlisch. Então, qual é a diferença entre Conti e os outros dois compositores mencionados anteriormente? Na minha opinião, Conti não conseguiu criar um diálogo entre a música que compôs e suas cenas associadas, isto significa que de um modo geral a música não refletiu o conteúdo dramático das seqüências. Podemos ilustrar esta situação com os seguintes exemplos:

1. Diferentemente de Hamlisch, Conti compôs uma série de temas bastante novos e agradáveis de ouvir isoladamente, contudo absolutamente fora de contexto com a seqüência associada. Um exemplo claro disso é uma série de perseguições ou cenas de grande suspense nas quais o acompanhamento musical não complementou a dramaticidade da situação, como abaixo assinalamos: 

- A seqüência pré-títulos ("Melina´s Revenge")
- A perseguição no interior da Espanha ("A Drive In The Country")
- Perseguição na neve ("Runaway")
- A descida do submarino ("Submarine")

2. Buscando aproveitar-se do tipo de música que imperava na época, Conti incorpora em vários temas (incluindo o “Tema de James Bond”) arranjos baseados na música “disco”. Sem dúvida uma inovação, mas que não combinava com a idade do protagonista. À época Roger Moore já tinha cinqüenta e quatro anos, e já se começava a notar claramente seu envelhecimento, o que tornava bastante inverossímil ver nosso herói em ação com uma música de fundo mais adequada a um personagem bem mais jovem.

Sem prejuízo do assinalado anteriormente, há outros temas que se ajustam satisfatoriamente às cenas correspondentes, e dentre eles podemos mencionar "St. Cyrill Monastery", "Ski... Shoot... Jump..." e "Recovering the ATAC". Também se incluem duas composições no mais puro estilo Barry, porém utilizadas basicamente para introduzir alguma locação ou paisagem específicas. (“Cortina” e “Gonzalez Takes a Dive”). Conti, da mesma forma que seus predecessores, se ajusta cabalmente à fórmula padrão, já que compôs a canção principal, a utiliza instrumentalmente durante o filme, especialmente para seqüências românticas, e usa abundantemente o “Tema de James Bond”, inserindo-o em suas composições originais e com o tipo de arranjos citados anteriormente. No há nenhuma passagem em que Conti inclua na íntegra o “Tema de James Bond”, sendo a mais próxima a faixa “Submarine”. Resulta bastante curioso escutar segmentos do “Tema de James Bond” com os arranjos “disco” da época.

O álbum original continha somente doze faixas, omitindo grande parte da música utilizada no filme. Esta nova versão remasterizada inclui a quase totalidade da música ouvida no filme, que havia sido omitida no disco original. Em resumo, Conti não conseguiu sensibilizar-se com o estilo Bond, criando música que pouco funcionou em relação aos requerimentos dramáticos do filme, sendo claramente o melhor de seu trabalho a canção principal.

CDs COMENTADOS