THE FOUR FEATHERS
Música composta e regida por James Horner

Selo:
Sony Classical
Catálogo:
89744-2
Ano: 2002

13 Faixas

Duração: 78:58
Cotação:


Comentário de
Iordan Stoitchkov

 

Em Honra e Coragem, refilmagem do famoso romance As Quatro Penas Brancas, podemos dizer que se explora o significado de ser britânico nas colônias do final do século XIX, ressaltando temas como honra, orgulho e dignidade. Mas acima de tudo, este filme (com as atuações de Heath Ledger, Wes Bentley e Kate Hudson) trata da amizade. Dirigida por Shekar Kapur, a produção conta com uma marcante música original de James Horner. Mas dizemos marcante no sentido deste score de Horner ser, essencialmente, mais do mesmo - um dramatismo sem sentido que o compositor vem nos do dando há vários anos.

 O fato é que esta trilha sonora possui tudo o que já ouvimos em outras ocasiões. Um tema forte utilizado em arranjos distintos que se repete ao longo do álbum e que escutamos pela primeira vez em "The Making of a Fine Soldier". Também, em conseqüência, as mesmas orquestrações, que são muito sólidas mas nada inovadoras. E como não poderia ser diferente, encontramos montes de alusões aos trabalhos anteriores do compositor, que ele mesmo não hesita em fazer-nos recordar. Para contribuir com a textura sonora da música, desta vez Horner recorreu ao cantor Rahat Nusrat Fateh Ali Khan. Para muitas pessoas, sua interpretação resulta mais do que desagradável, apesar de reconhecermos que sua voz ressalta algumas seqüências de ação, como em "Sniper" e "Escape", por exemplo.

Junto às tradicionais linhas instrumentais do compositor, mistura-se este canto exótico com a música de ação. Um verdadeiro defeito do álbum é que, como experiência para o ouvinte, ele é demasiadamente longo. Com seus 79 minutos, parece que o CD tem pelo menos meia hora a mais do que o necessário. Além disso, não podemos deixar de registrar que este score de Horner está estreitamente relacionado com o outro filme de guerra que ele mesmo musicou durante o ano de 2002, nos referimos a Windtalkers. A última melodia, "A Coward No Longer", é a mais longa do disco e culmina nesse estilo de grandiloqüência pomposa já bastante conhecido.

Os fanáticos devotos do trabalho de James Horner não poderão deixar de notar as reminiscências a certas passagens de Apollo 13 e se gostaram da película, encontrarão neste CD grande satisfação, mas também deverão preparar-se para uma longa viagem sonora - e na verdade, sem nenhum sentido de originalidade.

CDs COMENTADOS