I AM LEGEND
Música composta por James Newton Howard

Selo: Varèse Sarabande
Catálogo: 302 066 878 2
Lançamento: 2008
Faixas

1. My Name Is Robert Neville
2. Deer Hunting
3. Evacuation
4. Scan Her Again
5. Darkseeker Dogs
6. Sam’s Gone
7. Talk To Me
8. The Pier
9. Can They Do That?
10. I’m Listening
11. The Jagged Edge
12. Reunited
13. I’m Sorry
14. Epilogue

Duração: 44:35
Cotação:


Comentário de
Renan Fersy

 

James Newton Howard é um compositor bem complicado de se classificar, pois ele já fez  trilhas simplesmentes geniais, em suma obras primas - mas também já fez algumas boas porcarias. Eu nunca sei exatamente o que esperar quando fico sabendo que JNH está compondo para algum filme. Minha surpresa foi grande neste filme. Eu esperava algo mais na linha de Sinais, e o que ouvi foi um score dramático e lindo que se encaixou mais que perfeitamente no filme.

Eu Sou a Lenda é um filme que tem várias mensagens embutidas. Não é apenas mais um filme de zumbis, repleto de matanças, metralhadoras e tudo mais. Ele tem toda uma ideologia por trás. A questão da solidão, da esperança e até mesmo do altruísmo. Assim como o filme tem poucos elementos - apenas um protagonista, as criaturas e a cidade vazia -, a trilha também. Para quem gosta daquele JHN de A Dama na Água, cheio de temas, talvez se decepcione pois aqui um único tema principal rege toda a trilha. Um tema bem emocionante, que é apresentado de diferentes maneiras durante a partitura. Ora apenas no piano de forma suave e delicada, ora nas cordas e coral e momentos com toda orquestra.

Resumidamente, a trilha tende muito mais ao drama do que a qualquer outra coisa. Não que isso seja uma coisa ruim, aliás, JNH não podia ter feito escolha melhor, já que o clima do filme é consistente e profundo. Um filme que nos leva à reflexão, nos faz questionar sobre nossa própria existência, mas de uma maneira natural, sem forçar demais e sem ficar meloso em excesso. Tudo bem dosado: drama, suspense e algumas doses de sangue espirrando.

Assim como a trama é completa, a trilha igulmente o é, possuindo alguns momentos mais agitados como “The Jagged Edge” e “Darkseeker Dogs”, e outros bem mais calmos como “I’m Listening”. “The Píer” é a faixa mais longa do score, e tem em sua primeira metade momentos bem apoteóticos; já na segunda parte da faixa a escuridão começa a predominar aos poucos, e vai tomando conta até se estabelecer totalmente e, com um crescendo de metais, atingir o ápice. Daí até o final da música um coral feminino canta um motivo simples mas sinistro, com harmonia composta de acordes menores, até o final. “Epilogue” começa com um solo de fagote - instrumentação bem estilo John Williams até um minuto mais ou menos, depois começa a ser desenvolvido o tema principal, com pequenas variações motívicas e orquestrais, até o fim da faixa.

I Am Legend é uma trilha que, apesar de curta e razoavelmente simples, me marcou bastante e com certeza fará parte da minha coleção pessoal de trilhas sonoras.

CDs COMENTADOS