Bram Stoker's Dracula and other film music By Wojciech Kilar

Música composta por Wojciech Kilar, Polish National Radio Symphony Orchestra e Cracow Philharmonic Chorus regidos por Antoni Wit

Selo: Marco Polo
Catálogo: 8.225153
Lançamento: 2003
Faixas

1. The Brides (tracks 1 - 6 from "Bram Stoker's Dracula")
2. The Party
3. Mina/Elizabeth
4. Vampire Hunters
5. Mina/Dracula
6. The Storm
7. Intrada (tracks 7 - 12 from "Konig der letzten Tage")
8. Sanctus
9. Canzona
10. Miserere
11. Agnus Dei
12. Gloria
13. The Confession (tracks 13 - 15 from "Death and the Maiden")
14. Paulina's Theme
15. Roberto's Last Chance
16. The Beads of One Rosary (from "The Beads of One Rosary")
17. Cue Numbers 26-27 (17 & 18 from "Pearl in the Crown"
18. Cue Number 28

Duração: 63:21
Cotação:


Comentário de
Augusto Leandro Silveira

 

Um dos atrativos que me motivaram a adquirir este CD, foi já possuir e conhecer a trilha que marcou época de também um filme que marcou, Drácula de Bram Stoker. Simplesmente achei que a trilha original não teve um processo de gravação de qualidade, sobram chiados - além de ter sido gravada muito baixo. Assim, quando vi esta regravação com o processo DDD, achei importante ouvi-la, além é claro, de escutar outras trilhas também de Wojciech Kilar que desconhecia. Entre elas estão: König Der Letzten Tage, Death and The Maiden, The Beads of One Rosary e Pearl in The Crown.

O CD começa com Drácula e o tema "The Brides", que no CD original é a faixa nº 5. Realmente um tema pesado, onde a orquestra demonstra a história trágica do vampiro Vlad, que antes de ser uma criatura das trevas sofreu em sua vida terrena a tragédia de perder sua esposa por uma mensagem equivocada, a mesma forma quematou Julieta e Isolda. Segue o CD com o tema "The Party", já com um tom mais ameno e romântico, e bem executado pela orquestra polonesa.

Em seguida, vem "Mina / Elizabeth", que em minha opinião por si só vale o CD e a trilha do filme. Têm traços de um romantismo sutil, lembra em alguns momentos Satiè e uma de suas Gymnopédies, explicitando de maneira clara nas flautas o amor transferido de Drácula pela mulher de Mr. Harker. Ouvindo esta faixa temos a certeza absoluta de que amar vale a pena.

Na faixa seguinte chega o tema "Vampire Hunters", que em minha opinião é executado de maneira inferior do que na versão original, contudo, sem qualquer chiado. É ainda importante ressaltar que uma orquestra sinfônica tem maior facilidade em executar temas como esse, que exigem um tom mais pesado dos metais e da percussão do que uma orquestra de cinema. Achei o sopro pouco vigoroso, poderia ter sido dado um peso a mais.

Segue o disco com a faixa "Mina / Drácula", outro tema sombrio que mostra a antítese entre o temperamento do Conde, nesse caso em particular, e o amor por Mina, livre e atemporal. O clarinete nesta faixa se sai muito bem, refletindo a música dentro de nosso coração. É um tema tocante. Nos faz na maioria das vezes, dar razão ao pobre Conde, que apenas queria um amor que substituísse sua perda e razão de sua imortalidade. Nesta faixa finalmente entra em ação o coral, e diga-se passagem, muito bem, talvez pelo mesmo ser da Cracóvia. Ainda que o tema seja mítico, ele tem sua origem na Cracóvia, portanto mais uma razão para a "prata da casa" fazer sua parte bem feita. É um tema vibrante, que em alguns momentos lembra The Omem (A Profecia) de Jerry Goldsmith. Essa interpretação também valeu a compra do CD, e a parte dedicada à trilha de Drácula se encerra com chave de ouro.

Agora é a vez de König der Letzten Tage, que se inicia com uma espécie de réquiem. Possui os movimentos litúrgicos da "Intrada", "Sanctus", "Canzona", "Miserere", "Agnus Dei" e "Gloria". O início nos lembra em algum momento, um tema de Conan, o Bárbaro de Basil Poledouris. O coral também faz uma boa participação, dando uma atmosfera de terror e mistério à peça. Mais uma vez o tema recorrente de The Omem (Jerry Goldsmith) vem à tona em "Sanctus", bem como de sua outra trilha The Ninth Gate. Após, na "Canzona", temos inclusive a execução de um cravo, dando um toque barroco à peça. Terminando de forma aventuresca e muito bem executado pela orquestra polonesa.

Death and the Maiden, de Roman Polanski, foi traduzido para nosso idioma sob o título A Morte e a Donzela. O filme é passado num país sul-americano após a queda da ditadura. Nele Paulina Escobar (Sigourney Weaver), a mulher de Gerardo Escobar (Stuart Wilson), um famoso advogado, fica sabendo no rádio que Gerardo deverá chefiar as investigações das mortes ocorridas no regime militar. Os temas deste CD são: "The Confession", "Paulina's Theme" e "Roberto's Last Chance". São bem executados, em alguns momentos sentimos os timbres latinos seguidos de nuances de "Daphnis et Chloé" de Ravel.

A faixa seguinte é do filme polonês The Beads of One Rosary (Paciorki Jednego Rozanca), um tema curto (4:04) que trata muito bem a atmosfera polonesa do filme. O piano nos leva a uma viagem pela folk music daquele país. O CD termina com dois temas de Pearl in The Crown ou Pérolas na Coroa, de 1972, do diretor Kazimierz Kutz, que tem um tema belo, mas comum.

Como conclusão, entendo ser este CD uma obra necessária para os apreciadores da obra de Wojciech Kilar, nascido em 1932, que conseguiu em muito traduzir para música o sentimento de Bram Stoker, ao nos contar a Estória de Vlad, O Empalador, ou simplesmente Drácula. A orquestra se saiu bem na maioria das faixas, dando pureza aos ouvidos mais exigentes. Ainda tenho a esperança que um dia a Columbia (agora Sony) lance uma versão comemorativa para colecionador da trilha de Drácula, remasterizada totalmente em digital sound. Seria fantástico!

CDs COMENTADOS