THE LAST SAMURAI
Música composta por
Hans Zimmer. Música adicional composta  por Geoff Zanelli

Selo:
Elektra/Asylum
Catálogo:
302 066 523 2
Ano: 2003

Faixas:
1. A Way Of Life 
2. Spectres In The Fog
3. Taken 
4. A Hard Teacher 
5. To Know My Enemy 
6. Idyll's End 
7. Safe Passage 
8. Ronin 
9. Red Warrior 
10. The Way Of The Sword 
11. A Small Measure Of Peace
Duração: 59:47
Cotação:


Comentário de
Fernando Pereyra

 

Para este filme épico ambientado no Japão das espadas, da honra e do heroísmo, o compositor Hans Zimmer coloca sua marca pessoal na conjunção entre música ocidental e oriental que seria de se esperar em uma produção hollywoodiana de tais características. E o faz, nesta ocasião, somente com a ajuda suplementar de Geoff Zanelli. Com um cenário instrumental que combina o som da orquestra (reforçada em vários momentos pelos sintetizadores) com instrumentos étnicos japoneses como  shakuhachi, taiko drums e koto, Zimmer oferece um trabalho certamente orgânico que se apóia na busca de fortes efeitos melodramáticos.

Contudo, ao contrário do que seria de esperar, se nos deixarmos levar pela temática do filme, o tom da música é triste e sentimental. A partitura está escrita em uma linguagem harmônica sensível e acessível, muito propícia para impactar emocionalmente em conjunto com as imagens, em abundantes passagens belas e delicadas a cargo das cordas e a reflexiva intervenção de diversos instrumentos em interpretações solo. Trata-se de um terreno que o compositor domina excepcionalmente bem, como ficou demonstrado em outras trilhas sonoras de forte carga emocional, como The Thin Red Line. O ponto fraco do trabalho é encontrado em seu aspecto melódico, que lembra muito Crouching Tiger, Hidden Dragon, de Tan Dun, e outras criações do próprio Zimmer, como Pearl Harbor e a já mencionada The Thin Red Line.

Tampouco resultam muito eficazes os momentos em que o compositor reforça o som da orquestra com a ajuda de samplers, recurso que não funciona bem  especialmente no caso dos metais. Apesar disso, o álbum oferece algumas composições de genuíno interesse, como a etérea e introspectiva introdução de “A Way of Life” e os estremecedores gritos de batalha ao ritmo das taiko drums em “Red Warrior”. Adicionalmente, os aficionados da música de ação de Zimmer encontrarão material de seu gosto, em faixas como “Spectres in the Fog” ou “The Way of the Sword”.

Com suas virtudes e defeitos, The Last Samurai resulta em uma bem sucedida trilha original de Zimmer, onde o talento se impõe à sua capacidade para fazer bons negócios. Ou, se você preferir, que demonstra que a capacidade para fazer bons negócios não exclui necessariamente o talento musical. Um álbum para fechar os olhos e deixar voar a imaginação.

CDs COMENTADOS