LOGAN´S RUN
Música composta e regida por Jerry Goldsmith


Selo:
Film Score Monthly
Catálogo:
FSMCD Vol. 5, No. 2
Ano: 2002

23 Faixas

Duração: 74:18
Cotação:


Comentário de
J
orge Saldanha

 

Este é um dos primeiros lançamentos da Film Score Monthly em associação com a Turner Classic Movies Music, que possui o acervo de scores da MGM, e que sem dúvida agradará à legião de fãs de Jerry Goldsmith. A trilha sonora da ficção científica de 1976 Logan´s Run (Fuga no Século 23, como o filme foi chamado no Brasil), é um dos mais estimados trabalhos do compositor feitos no período, já tendo anteriormente sido editada em CD por 2 vezes (pelas extintas gravadoras Bay Cities e Chapter III), tomando por base o LP original da MGM, com pouco mais de 40 minutos de duração. À época de seu lançamento, Logan´s Run foi considerada uma audaciosa produção sci-fi comandada pelo veterano Michael Anderson, porém o seu visual “disco-anos 70” tornou-se irremediavelmente datado já com o lançamento de Star Wars no ano seguinte. De qualquer modo, ainda hoje o filme possui seu apelo, seja pela história, que mostra uma sociedade futurista na qual não existem velhos (ao atingirem 30 anos, as pessoas são mortas em uma cerimônia festiva conhecida como Carrossel), seja pela criativa música de Goldsmith.

Motivado pelo material colocado à sua disposição, o compositor criou uma partitura onde a sua experiência em scores de vanguarda como Planet of The Apes, ou predominantemente orquestrais como The Omen, pôde ser largamente utilizada. De fato, ele tentou, e com sucesso conseguiu, juntar o melhor de dois mundos. Para boa parte do segmento passado na cidade sob a redoma, o score é eminentemente experimental, interpretado em sintetizadores (que freqüentemente lembram os timbres eletrônicos ouvidos no clássico da FC Forbidden Planet) e cordas, tendo por base um motivo de três notas que representa a vida dedicada ao ócio e ao prazer de seus habitantes. O contraponto é feito pelo melódico tema de amor para os personagens Logan (Michael York) e Jessica (Jenny Agutter). A música plenamente orquestral é reservada para as cenas passadas no mundo exterior, onde os dois protagonistas fugitivos, inconformados em ter suas vidas encerradas aos 30 anos, encontram um ancião (Peter Ustinov). Ao contrário de suas aparições anteriores em disco, esta nova edição da FSM apresenta este score pela primeira vez em sua forma completa, com 23 faixas dispostas em ordem cronológica contendo mais de 30 minutos de músicas inéditas (algumas, inclusive, não ouvidas no filme).

É um trabalho coeso, do qual torna-se difícil destacar os melhores momentos. Parece-me que é nas passagens mais acústicas e orquestrais onde Goldsmith realmente brilha, como as dedicadas para as cenas na caverna de gelo (“The Key”, “Ice Sculpture”, excelente uso das cordas), ou em faixas de ação com a assinatura inconfundível de Goldsmith, como a ótima "You´re Renewed" (orquestra e percussão em ritmo acelerado levam a uma conclusão melancólica da faixa, em sopros e cordas). Outro grande momento da trilha é “The Sun”, quando Logan e Jessica finalmente chegam ao mundo exterior, e o compositor usa pela primeira vez toda a orquestra, em um admirável contraste com as sonoridades eletrônicas até então dominantes. É interessante notar que Goldsmith associa os sintetizadores a um modo de vida artificial e completamente desvirtuado, reservando os sons acústicos para um bem vindo retorno aos antigos costumes. Nada de muito original, mas extremamente efetivo e que deve ter um significado especial para muitos apreciadores da música do cinema... Isto fica bem simbolizado na faixa de encerramento, “End of The City”, quando os sobreviventes da cidade destruída, fascinados, cercam e começam a tocar o ancião, trazido a eles pelo casal de protagonistas. Neste momento, o motivo da cidade é sobrepujado pelo tema de amor, primeiramente interpretado em cordas, em seguida por full orchestra.

Logan's Run apresenta muitas das melhores características de seu compositor, seja em sua escrita para cenas de ação, seja na utilização de sintetizadores (de marcante audição em seus efeitos estereofônicos), ou em trechos líricos e de suspense (a orquestração de cordas é similar à de The Omen, composta no mesmo ano). Merece destaque a qualidade do áudio, que é excelente – a trilha foi remixada e remasterizada a partir das fitas originais multi-canais. O encarte, ilustrado por muitas fotos a cores, possui comentários detalhados sobre o filme e o score, escritos pelos “maiorais” da FSM, Jeff Bond e Lukas Kendall.

CDs COMENTADOS