MAGNUM FORCE - THE ORIGINAL SCORE
Música composta e regida por
Lalo Schifrin

Selo:
Aleph Records
Catálogo: 033

Ano: 2005

Faixas:
1. Main Title
2. Cop 
3. Harry's Ostinato 
4. Magnum Force 
5. Stakeout 
6. Crooks 
7. Harry's New Friend 
8. Pimp 
9. Rogue Gun 
10. Recreation 
11. Warm Enough? 
12. Palancio 
13. Last Dance in Sausalito 
14. Faceless Assassin 
15. Potrero Hill 
16. Bullet 
17. Execution Squad 
18. Mailbox 
19. Early Is Late 
20. Briggs

Duração: 50:40
Cotação:


Comentário de
J
orge Saldanha

 

Lalo Schifrin, dentre os grandes compositores da Silver Age, certamente é um dos que tiveram uma das representações discográficas mais tímidas, se considerarmos sua importância para a música do cinema. Muitos de seus trabalhos nunca foram lançados nem em LP, e em CD uma grande parte surgiu apenas em edições européias, japonesas ou limitadas. Poucos dos seus scores receberam um lançamento regular de uma grande gravadora. É o caso destes trabalhos para a série Dirty Harry, protagonizada por Clint Eastwood, dos quais a Warner lançou há décadas apenas seleções de scores.

Foi preciso que o compositor criasse um selo próprio e adquirisse os direitos de alguns de seus trabalhos junto aos estúdios, para que eles se tornassem acessíveis a um público maior. Vários já foram editados por seu selo Aleph, e ano passado foi lançada a trilha sonora integral de Perseguidor Implacável (Dirty Harry, 1971 - leia o comentário AQUI). Graças ao retorno positivo, o compositor agora dá seguimento à série com o CD contendo toda a música gravada para Magnum 44 (Magnum Force, 1973), e parece que é intenção da Aleph lançar a seguir um álbum com a música do terceiro filme da série, Sem Medo da Morte (The Enforcer, 1975), composta por outro compositor do período muito mal representado em disco, Jerry Fielding.

Como nos outros lançamentos da Aleph, este álbum de Magnum Force inclui não apenas versões expandidas das composições ouvidas nos filmes, mas também material inédito que foi gravado e ficou de fora da montagem final. O álbum inicia com o "Main Title", uma das melhores criações de Schifrin. No filme anterior, o compositor utilizara um fantasmagórico vocal feminino para o tema que caracterizava o vilão Scorpio. Aqui ele utiliza recurso semelhante, porém já no tema de abertura, que evoca os novos inimigos de Harry Callahan - um esquadrão da morte integrado por jovens policiais. Outra diferença é que ele emprega mais de uma voz feminina, e de modo mais similar às criativas vocalizações utilizadas por Ennio Morricone. Este tema, com suas vozes femininas um tanto alucinadas, guitarras e intervenções poderosas dos metais e percussão, é indiscutivelmente um dos mais memoráveis dos anos 70. No desenrolar do filme, a ação dos oponentes de Harry é acompanhada por variações do "Main Title", empregando percussão militarista e sonoridades eletrônicas.

Para o filme original, Dirty Harry, Schifrin estabeleceu dois temas para o personagem de Eastwood - um de ação e um melancólico, este interpretado por piano elétrico. Os dois ressurgem em Magnum Force, porém modificados e integrados no underscore - "Harry's Ostinato and Finale" é o melhor exemplo da utilização deste material prévio. Outra característica herdada de Dirty Harry é a forma como algumas composições iniciam calmas ou em ritmo lento, para no seguimento, quando a ação assume o comando, tornarem-se movimentadas. Faixas como "The Crooks", "The Pimp" e "Palancio" adquirem um ritmo acelerado a partir de sua metade, o que torna ouvir esta trilha sonora uma experiência que se renova constantemente. E como era comum na produção de Schifrin à época, o score inclui deliciosos elementos lounge e jazz, em faixas como "Warm Enough?" e "Last Dance in Sausalito". Contudo, engana-se quem pensa que este trabalho é "mais do mesmo". A música de Magnum Force, apesar de reter as características da série e do estilo de Schifrin, possui sabor único.

A notas de Nick Redman, contidas no encarte, acompanham a trama do filme e descrevem a utilização da música de Schifrin. Elas destacam quais faixas não foram utilizadas (parcial ou integralmente) no filme, as que são source music, etc. O áudio do CD é excelente, considerando-se que as masters utilizadas possuem mais de 30 anos - o que me leva a concluir que Schifrin, graças a Deus, armazenou com cuidado as fitas originais por todo este tempo, aguardando pacientemente a hora de lançá-las na íntegra. Este segundo exemplar das trilhas completas da série Dirty Harry é extremamente recomendado para fãs de Schifrin e deste gênero de filmes, dentre os quais eu me incluo. Para mim ele é o mestre deste estilo de música, nem "monstros" como Goldsmith e Williams, quando se aventuraram em terrenos similares, conseguiram igualar seu trabalho.

No mais, aguardo o lançamento dos CDs de The Enforcer, Sudden Impact e The Dead Pool. Apesar de reconhecer que a série, assim como suas trilhas sonoras, foi caindo de qualidade a cada título, ela possui um lugar de destaque no gênero policial, na carreira do ator e diretor Clint Eastwood e nas dos compositores Lalo Schifrin e Jerry Fielding. Palmas para Schifrin e sua Aleph, por estarem resgatando uma história musical do cinema que, se dependesse da Warner, não seria preservada em CD.

CDs COMENTADOS