A Guide for the Married Man
Música composta e regida por John Williams

Selo: Film Score Monthly
Catálogo:
Silver Age Classics Vol. 3 Nº 5
31 Faixas
Duração: 73:25
Cotação:


Comentário de
Miguel Andrade

 

O CD da FSM de A Guide for the Married Man, uma antiga comédia realizada pelo lendário Gene Kelly e protagonizada pelo falecido Walter Matthau (a quem a disco é dedicado), surgiu apenas no verão de 2000. Mas a espera valeu a pena. Não sendo um dos trabalhos memoráveis de Williams, a música para esta comédia pertence ao mesmo universo que os trabalhos de Henry Mancini para Blake Edwards. Ainda assim, o jovem Johnny Williams não fica à sombra de Mancini, criando um trabalho que sugere a comédia mas que noutros momentos parece extremamente sério. Quase toda a música tem um tom quase balletico, sem dúvida derivado da forma de Kelly filmar. Há outras influências na música, nomeadamente uma passagem que faz lembrar o tema de James Bond ("The Globetrotters"), mas o Williams que todos conhecemos hoje já era visível, mesmo por debaixo de todas estas influências.

Isso é notório logo na canção de abertura, com letras de Leslie Bricusse, da qual há duas gravações distintas, nas faixas 1 e 3. A primeira é interpretada pelos The Turtles, e faz fade-out para uma curta passagem orquestral. A segunda é interpretada por um coro dos estúdios de Hollywood. A certa altura Williams cria uma modulação na linha do coro, habitual no seu estilo de compor mais recente e maduro. O tema da canção é simpático e fica no ouvido, enquanto Bricusse providência uma letra igualmente inteligente e divertida. Visto o filme ser uma sucessão de sketches, onde vários maridos infiéis contam as suas aventuras (onde são invariavelmente apanhados pelas esposas traídas) a Matthau, a música não apresenta uma grande unidade temática, mas toda a partitura é unida pela qualidade estética da música, misturando de forma inteligente estilos dispares, como acontece logo na faixa 2 "Prologue/Off to Work". Uma seção inicial sugere os tempos antigos com uma melodia de influência arábica, passando depois por uma breve fanfarra Rózsiana, aludindo ao império romano, avançando para uma variação barroca no cravo e flauta, e concluindo com guitarra elétrica, bateria e seção de metais. Isto tudo apenas para apresentar uma animação para os créditos de abertura, que descreve a história da infidelidade marital. Muito disto aplica-se à partitura como um todo. Mas apesar disso há alguns motivos musicais que se repetem e acompanham todas estas peripécias.

Duas curiosidades ficam em "Piano Bar", source music para piano solo, que o próprio Williams interpreta (e deixa ver como o compositor era de fato mais do que apenas um pianista competente) e "TV Music", já na seção das faixas bônus, que segundo a cue sheet do filme foi composta por Frank DeVol. As últimas nove faixas são então os bônus, que foram para aqui remetidos por serem versões alternativas, por terem sido excluídas do filme ou por se encontrarem danificadas. Um disco simpático, principalmente para os apreciadores do Mancini Sound, aqui com o toque do jovem Johnny Williams. Como sempre os valores de produção são cinco estrelas.

CDs COMENTADOS