QUANTUM OF SOLACE
Música composta por
David Arnold

Selo: J Records
Catálogo: 88697 40517 2
Lançamento: 2008
Faixas

1. Time To Get Out
2. The Palio
3. Inside Man
4. Bond In Haiti
5. Somebody Wants To Kill You
6. Greene And Camille
7. Pursuit At Port Au Prince
8. No Interest In Dominic Greene
9. Night At The Opera
10. Restrict Bond's Movements
11. Talamone
12. What's Keeping You Awake
13. Bolivian Taxi Ride
14. Field Trip
15. Forgive Yourself
16. DC3
17. Target Terminated
18. Camille's Story
19. Oil Fields
20. Have You Ever Killed Someone?
21. Perla De Las Dunas
22. The Dead Don't Care About Vengeance
23. I Never Left
24. Another Way To Die (Jack White, Alicia Keys)

Duração: 61:06
Cotação:


Comentário de
Hugo Moya Arancibia

 

Depois do arrebatador êxito de sua estréia em Casino Royale, Daniel Craig regressa para encarnar pela segunda vez o agente 007 em Quantum Of Solace. Casino Royale não havia sido apenas um grande filme de Bond, mas sim um grande filme de um modo geral. Como poucas vezes acontece, foram reunidos diversos elementos que funcionaram coordenadamente quase à perfeição: um roteiro muito bom, atuações convincentes, uma direção acertada, locações atraentes e uma ótima trilha sonora.

Devido ao acerto anterior, a expectativa nesta seqüencia era bastante alta, porém tudo o que Casino Royale tinha de bom se diluiu rapidamente em Quantum Of Solace. Recordo que na conferência de imprensa do lançamento de Quantum Of Solace, o produtor Michael Wilson anunciou que esta película teria o dobro de ação em relação à sua antecessora. E foi precisamente assim, mas em detrimento do roteiro, das atuações e do filme em geral.

Deste contratempo não escapou nem o experiente compositor David Arnold, já que sua quinta partitura consecutiva para Bond parece ser uma de suas mais fracas, se não a mais fraca. Em cada partitura que Arnold compôs para Bond, sempre havia um ou mais pontos destacados, sejam pela composição, os arranjos ou pela inovação. Mas nesta ocasião, pela primeira vez, me entediei ouvindo uma trilha sonora de Bond. Não fui capaz de escutá-la duas vezes seguidas, fiquei esperando que chegasse o tema que salvaria a partitura, mas isso não aconteceu. Isto nunca havia me acontecido antes, nem mesmo com Goldeneye.

O que houve com esta partitura? Na verdade não tenho muita certeza, os tradicionais sons de Arnold estão presentes como sempre, as seqüências de ação estão musicadas em seu estilo tradicional, mas há algo neste score que não o faz decolar.

Tenho algumas teorias que poderiam explicar esta situação:

A falta de um motivo principal para liderar a partitura.

Parece que, na estrutura musical de Arnold para Bond, é imprescindível a existência de um tema principal que guie a partitura. Claros exemplos disso são: “Surrender” de Tomorrow Never Dies, “The World Is Not Enough” e “Only Myself To Blame” de The World is Not Enough e “You Know My Name” de Casino Royale. Não é por acaso então que, em seus trabalhos mais fracos, David Arnold não tenha recorrido aos temas principais (“Die Another Day” e “Another Way To Die”), entre outras razões, porque não os compôs. Em Quantum Of Solace Arnold nunca utiliza o tema principal “Another Way To Die”.

A ausência quase total do Tema de James Bond.

Em Casino Royale esta situação tinha uma razão argumental, e ainda assim Arnold compensou esta ausência muito acertadamente com versões instrumentais do tema principal “You Know My Name”. Em Quantum Of Solace, além da quase ausência do Tema de James Bond, tampouco há um tema identificável que o substitua. Esta situação é curiosa já que Arnold sempre declarou que o tema de James Bond deve ser utilizado nas seqüências típicas de Bond, e além disso o público espera ouvi-lo nessas ocasiões (principalmente seqüências de ação), porém em Quantum Of Solace isto não ocorre. Apenas o escutamos nos créditos finais (não incluído no álbum) e brevemente, quase oculto em algumas faixas (“Time To Get Out”, “Pursuit At Port Au Prince”, “Perla De Las Dunas”, “Bond In Haiti”, Field Trip, etc.).

Não há tema romântico.

Uma das características de Arnold é a de compor temas românticos muito bons (como exemplos podemos mencionar os de The World is Not Enough e Casino Royale), mas nesta película não há romance nem insinuações deste tipo, e portanto não houve espaço para este tipo de composições. O mais próximo de um tema romântico é a faixa “What's Keeping You Awake”, que contém algumas breves notas do tema de Vesper de Casino Royale.

Os temas alusivos às locações tampouco funcionam.

Ainda que nunca tenham sido muito proeminentes nas partituras, os temas alusivos à locação têm seu encanto e novidade (quase sempre acompanham a chegada de Bond a algum país ou cidade). Porém em Quantum Of Solace são temas sem nenhum sabor ou atrativo. Atrever-me-ia a dizer que das faixas deste tipo, “Bond In Haiti” e “Bolivian Taxi Ride” tendem mesmo a ser um tanto depreciativas para os locais. Parece ser uma constante crer que a música alusiva à América Latina tem que basear-se em violões, percussões e sopros. A exceção é “Talamone”, que tem um som mais bondiano.

Esgotamento do estilo Arnold?

Finalmente, e o que talvez seja o ponto mais preocupante, pode ser a falta de renovação de Arnold. É possível que seu estilo já tenha se esgotado e seja necessário incorporar algumas mudanças, sejam pelo próprio Arnold, ou por outras alternativas.

Os temas de ação, como “Time To Get Out”, “The Palio”, “Pursuit At Port Au Prince”, “Target Terminated” e “Perla De Las Dunas”, respondem ao típico estilo de musicalização e arranjos de David Arnold, incluindo novamente a combinação de orquestra e instrumentos eletrônicos. Mesmo assim eles não soam atraentes, não há um tema guia que os conduza ou os distinga. Em outras palavras são mais do mesmo que já conhecemos anteriormente, mas com melodias menos atrativas.

Neste campo provavelmente o mais inovador seja o tema “Somebody Wants To Kill You”, onde Arnold incorpora um novo segmento baseado fortemente em percussão, acompanhado de metais e guitarra. O único tema identificável nesta partitura é o alusivo ao vilão Dominic Greene, que podemos escutar nas faixas “Greene & Camille”, “No Interest In Dominic Greene” e “Night At The Opera”. Esta última, na minha opinião, é a melhor de toda a trilha sonora.

Quanto à canção principal “Another Way To Die”, após a seqüência de créditos de abertura, nunca mais voltamos a ouvi-la. Não acrescenta nada à trilha sonora, além de não ter nenhuma incidência na partitura. Inclusive no álbum ela chega no final, situação nunca antes vista, já que sempre os temas principais estão no início do disco. Não é um tema que vá entrar para a história como um dos melhores da série, e provavelmente não terá nenhuma importância com o passar do tempo.

Também há outros temas no álbum que não têm maior transcendência, além de não serem muito agradáveis de ouvir (“Camille's Story”, “Oil Fields”, “Restrict Bond's Movements”, etc.). Dentro deste grupo há um par de temas (“Inside Man” e “The Dead Don't Care About Vengeance”) que incorporam como novidade segmentos dominados por baixos que quebram de alguma maneira o contexto da faixa completa. Em resumo, creio que esta partitura é bastante coerente com a qualidade do filme. Quantum Of Solace é uma das películas de Bond mais fracas dos últimos tempos, e sua partitura provavelmente seja a pior já composta por Arnold.

Anteriormente sempre afirmei que não havia ninguém melhor preparado que Arnold para compor as partituras de Bond. Mas depois desta quinta incursão me pergunto se não chegou a hora de mudar, ou de Arnold descansar um pouco de Bond para poder revitalizar-se e voltar com novos brios no futuro.

CDs COMENTADOS