RED DRAGON
Música composta por Danny Elfman


Selo:
Decca Records
Catálogo:
4732482
Ano: 2002

26 Faixas

Duração: 57:16
Cotação:


Comentário de
Fernando Pereyra e Jorge Luis Viera

 

A saga de filmes baseada nos livros protagonizados pelo Doutor Hannibal Lecter apresenta (como no caso de Alien, por exemplo) a particularidade de contar com três diferentes diretores e compositores. Silence of the Lambs (1991) teve atrás das câmeras Jonathan Demme, e foi Howard Shore quem se encarregou da composição musical. Hannibal (2001), em troca, reuniu os talentos do famoso realizador Ridley Scott e seu colaborador desde Black Rain (1989), o compositor alemão Hans Zimmer (acompanhado como de hábito por seus associados da Media Ventures, fundamentalmente Klaus Badelt). Finalmente, Red Dragon foi dirigido por Brett Ratner e a partitura ficou a cargo do compositor Danny Elfman. Como era de se esperar, cada um destes filmes apresenta um tratamento e uma aposta em diferentes direções, o que também se transporta para as trilhas sonoras. Em Silence of the Lambs, Shore oferece um trabalho centrado no dramático e com alguns toques de suspense, mas definitivamente é muito sóbrio e discreto, com massas de acordes carregadas em registro grave enlaçando-se lentamente. É uma partitura de características muito sérias, que evita cair em qualquer tipo de excesso, convertendo-se deste modo em uma peça funcional para o tom seco e realista do filme.

A visão mais teatral, obscura e visualmente estilizada de Ridley Scott para Hannibal motivou uma composição mais melodramática. Aproveitando a ambientação européia e algumas particularidades do personagem (que além de ser um perigoso assassino serial é também um eminente psiquiatra de elevado nível cultural e gostos refinados), a música de Zimmer é elegante, sofisticada, por momentos muito romântica e não casualmente plena de referências à música clássica. E em comparação com o trabalho de Shore, também muito mais variada ao nível das texturas instrumentais, incluindo passagens do tipo ambiental e quase eletroacústico, outras coloridas pela participação de um coral, e algumas que requerem um maior envolvimento orquestral. Para Red Dragon (filme  que se passa antes dos anteriores) Danny Elfman elaborou um trabalho que é praticamente uma antítese de seus predecessores. Colaborador habitual do diretor Tim Burton (Sleepy Hollow, Batman, Planet of the Apes ), Elfman neste novo projeto destaca os aspectos mais góticos, obscuros e retorcidos da história, brindando-nos com uma visão quase expressionista. É como se o compositor decidisse realizar o reverso do trabalho de Zimmer, refletindo o lado mais monstruoso e perverso do personagem.

Da mão de Elfman a música alcança então dimensões caóticas, quase apocalípticas, com força orquestral e critério rítmico inéditos para a saga, o que se evidencia em detalhes muito significativos: ao passo que Howard Shore usava em sua partitura um ostinato sinuoso e quase enigmático, o ostinato utilizado por Elfman no “Main Title (elemento propulsor de boa parte do score ) está orquestrado de maneira tal que adquire uma dramaticidade e uma violência transbordante. Por seus tons sombrios acentuados pelo frenesi de cordas e metais, fica claro que Elfman se encaminha decididamente para o terror no lugar do suspense, realizando uma abordagem interessante que nos entrega seu ponto de vista particular. Se é discutível a boa aplicação de seu trabalho no filme, sempre se agradece quando o compositor procura deixar sua marca autoral. Cremos não estar errados se dissermos que o próprio Hannibal talvez gostasse de ouvir esta trilha sonora, acompanhada, claro, de um bom Chianti. Obviamente, sabemos o que haveria para jantar.

CDs COMENTADOS