The Russia House
Música composta e regida por  Jerry Goldsmith - Branford Marsalis, saxofone; Michael Lang, piano; John Patitucci, baixo

Selo:
MCA Records
Catálogo:
MCD10136
Ano: 1990

17 Faixas

Duração: 61:35
Cotação:


Comentário de
Miguel Andrade

 

É normal dizer que um bom filme traz o melhor de um compositor... e talvez isso explique o desencanto de alguns admiradores de Goldsmith, já que o compositor veterano parece não escolher com o devido cuidado os projetos em que se envolve. The Russia House é uma clara exceção, um interessante e inteligente filme de espionagem, mas que também é um emocionante romance, vivido no final da guerra fria. E de fato, este ótimo filme faz vir o melhor do compositor, uma partitura cheia de jazz e mistério, e que apresenta uma das mais belas melodias de Goldsmith. "Katia" , apresenta logo na primeira faixa esse tema, realmente uma de suas mais belas composições, e que representa com mestria a beleza da personagem interpretada pela sempre deslumbrante Michelle Pfeiffer (Katia), assim como o romance que vive com Barley (interpretado por Sean Connery).

Este tema é a peça central do score, que apresenta apenas mais dois temas que surgem no decorrer de seus pouco mais de sessenta minutos de duração. O primeiro deles, muito sincopado, e que cria um certo sentido de urgência, é associado com as atividades dos serviços secretos (ouvido em faixas como "Introductions", "Training" e "The Meeting"). O segundo, muito mais atmosférico, pode ser ouvido em "The Conversation", "First Name, Yakov", no final de "The Meeting" e "I'm With You". Habilmente, Goldsmith trabalha o pouco material temático que optou por usar, escrevendo arranjos variados, que permitem sentir cada faixa como se fosse um novo tema, fresco e cheio de invenção, e que acima de tudo aproveitam as fantásticas capacidades dos seus três solistas. Patitucci e Marsallis são dois reconhecidos músicos de Jazz, famosos pelo seu extraordinário virtuosismo. Michael Lang, é um pianista que começou a sua carreira nos estúdios em Hollywood, e os seus dotes como pianista de jazz foram rapidamente reconhecidos pelos principais compositores (um álbum solo, com temas de Henry Mancini, está disponível no catálogo da Varèse Sarabande).

Nos vários arranjos, o compositor reinventa o material temático ao chamar os seus três solistas de formas diversas, e esse é sem dúvida um dos pontos fortes do CD, que se mantém interessante durante toda a sua duração, coisa infelizmente rara nos dias que correm, e que parece ser cada vez mais uma coisas que só poucos conseguem (Goldsmith, Williams e Bernstein são os únicos que atualmente o conseguem fazer em quase todos os seus trabalhos). É de referir ainda, para além das faixas já mencionadas, a versão do tema principal, transformada em canção em "Alone In The World", com letra do casal Alan & Marilyn Bergman, que encapsula todo o espírito do filme. "What Is This Thing Called Love", não é da autoria de Goldsmith, mas é digna de nota, pelo magnífico arranjo e interpretação de Marsalis e da sua banda de jazz, deste clássico de Cole Porter.

O finale, "The Family Arrives", apresenta os temas principais, e em particular o tema principal, que ouvimos logo no início, recebe um tratamento muito mais jazzístico, para acentuar a chegada de Katia (Pfeiffer) e da sua família ao ocidente. Uma obra prima, um dos melhores trabalhos da década de 90, não só de Goldsimth mas de toda a música para cinema. Ninguém tem a sua coleção completa sem esta preciosidade de CD. Simplesmente sublime!

CDs COMENTADOS