SABRINA (1995)
Música composta e regida por John Williams. Canções originais por John Williams e Alan & Marilyn Bergman - "Moonlight", interpretada por Sting

Selo:
A&M Records
Catálogo:
540456-2
Ano: 1995

Cotação:

Comentário de
Miguel Andrade

 

Todas os contos de fadas começam com "Era uma vez...", e Sabrina é definitivamente um deles (com direito ao nome da protagonista derivar de uma fada, Sabrina Fair). Esta é a melhor forma de descrever esta partitura: a música que ouvimos é música de um conto de fadas. Baseado no filme de Billy Wilder Sabrina (1954), com Humphrey Bogart e Audrey Hepburn nos principais papeis, Sidney Pollack transporta esta história de amor para os nossos dias, e para o acompanhar, trouxe o maestro da magia do cinema John Williams. Longe dos grandes acompanhamentos sinfônicos, Sabrina é o trabalho de alguém que sabe encontrar sempre o gesto musical certo para acompanhar uma imagem, juntando a uma sonoridade de câmara, com grande proeminência para o piano e madeiras, um leve toque de jazz. A história em si recebe um tema, aquele que a encapsula, uma terna e suave valsa, que parece uma dança de sonho. Ao ouvirmos esta música sentimo-nos transportados para um sonho, juntamente com a filha do motorista, a jovem Sabrina (Julia Ormond), enquanto suavemente são proferidas as místicas palavras "Era uma vez..." (Frederick Holander, o compositor da versão de 1954, também usou uma valsa como tema, mas mais próxima da tradição vienense).

Williams junta outros dois temas para a personagem de Sabrina, "Moonlight" e "How Can I Remember?", transformados em canções, cheias da mesma elegância das festas da família Larrabee (Harrison Ford e Greg Kinnear). As canções tem letras de Alan e Marilyn Bergman, e a primeira, aparece no CD numa gravação interpretada por Sting, num arranjo de Don Davis. "How Can I Remember?" é interpretada por Michael Dees. Estas canções são as que Sabrina ouvia nessas festas, e Williams incluiu no álbum um medley que escreveu com canções de Johnny Mandel e James Van Heusen, entre outros, com solos de trombone de Dick Nash, que foi usado no filme nas várias seqüências de festas. Os Larrabee recebem um tema ouvido na faixa 8, "Nantucket Visit". Não menos elegante que o restante, antes com outro tipo de elegância, este tema tem um tom mais cômico que outras partes. Há um certo tom nostálgico na música, talvez por ser um conto de fadas, quase como se estivéssemos a olhar para uma época perdida. Mas o lindíssimo solo para flauta no início de "Sabrina's Return To Paris" está para além de simples nostalgia e sintetiza sentimentos que em bruto, tal como nos é mostrado pelas imagens, nunca seriamos capazes de destilar.

Ainda assim Williams encontra uma possibilidade para escrever um dos seus sempre excepcionais scherzos em "Linus' New Life", baseado no material para Sabrina, musicando a corrida de Linus (Ford) para ir ao encontro da sua apaixonada, e marcando a alteração na sua vida (do algo mais fanfarrão tema da faixa 8). A nossa história completa o circulo com o "Theme from Sabrina" , e nós sabemos que a filha do motorista encontrou o seu príncipe, porque esta música é música para uma história de fadas, que no fim acabam sempre assim. Williams recebeu duas nomeações por Sabrina (melhor partitura para comédia ou musical e melhor canção, por "Moonlight"), e a música é de fato merecedora. Poderá não agradar o admirador de Williams mais casual, habituado aos fogos de artifícios orquestrais de Star Wars e afins, mas por certo que será do profundo agrado do admirador de grande música, porque mesmo sendo contida em termos de instrumentação, Williams assinou aqui mais uma obra prima, não só da música para cinema, mas de toda a música.

CDs COMENTADOS