CLIVE BARKER´S SAINT SINNER (TV)
Música composta e regida por Christopher Lennertz


Selo: La-La Land Records
Catálogo:
LLLCD 1003
Ano: 2002

19 Faixas

Duração: 46:34
Cotação:


Comentário de
J
orge Saldanha

 

Hoje em dia, o panorama da música incidental feita para a televisão norte-americana é árido. O mesmo poderia ser dito em relação às partituras que vêm sendo compostas no cinema, mas no que tange à tela pequena a situação é mais grave, já que o meio parece estar dominado por compositores de fora do ramo e seus sintetizadores. Mas há honrosas exceções, como atesta este notável trabalho do jovem compositor (30 anos!) Christopher Lennertz. Apesar de jovem, Lennertz possui uma sólida formação musical, tendo estudado na USC com professores do calibre de Elmer Bernstein, Buddy Baker, Christopher Young e David Raksin. Como compositor, ostenta em seu currículo filmes independentes e várias produções para a TV (A Diva´s Christmas Carol, America!, Beer Honey, Brimstone) e atuações como regente ou orquestrador em filmes como The Jungle Book e 101 Dalmatians.

Neste contexto, a música para este Clive Barker´s Saint Sinner, uma produção original do Sci-Fi Channel, é seu projeto mais ambicioso até o momento. Aliás, poucas produções originalmente feitas para a TV possuíram música original desta magnitude e qualidade, e se esta é uma amostra consistente das potencialidades de Lennertz, é de se prever que ele em breve estará compondo para filmes de primeira linha. Saint Sinner é uma trama de horror típica de seu autor, Clive Barker (Hellraiser, Candyman), que mistura religião, erotismo e viagens no tempo: em um monastério da Califórnia de 1815 são guardados objetos malignos e profanos, coletados pela Igreja ao redor do mundo. Um deles é uma estátua que representa duas mulheres sedutoras, na verdade dois demônios aprisionados. As demoníacas criaturas são inadvertidamente libertadas pelo jovem monge Tomas e, utilizando-se de um dos objetos, A Roda do Tempo, viajam até o nosso século, onde iniciam uma série de perversões e assassinatos. Porém em sua fuga são perseguidas por Tomas, que deve encontrá-las na Seattle dos dias de hoje e impedi-las de continuar com sua orgia do mal.

Para narrar essa trama fantástica, Lennertz compôs um score grandioso, interpretado com pompa pela Hungaryan Symphony Orchestra and Choir. Já na abertura, “Benedictus/Main Titles” ficamos agradavelmente surpresos com a melodia e o coral feminino, que nos dá uma amostra do que está por vir: bela música, com fortes traços de religiosidade católica, onde a orquestra é freqüentemente acompanhada pelo coral masculino ou feminino ("Agnus Dei/Requiem", "Oratorio of Doom", "Dies Arae"), que entoa cânticos em latim ou em sânscrito (estes, reservados para os demônios). Mas como esta também é uma produção de terror, a música alterna momentos de beleza com suspense e horror gótico (“Attack”, “The Repository/Evil Unleashed”, "Rache´s House/The Cocoon"), que algumas vezes remetem ao estilo do notável Elliot Goldenthal e mesmo de Christopher Young, autor de memoráveis scores para os dois primeiros filmes da série Hellraiser. Já que citei outros compositores, aproveito para referir que, em sua orquestração de metais, Lennertz por vezes utiliza tratamento similar ao de Danny Elfman, assim como, em momentos de puro terror, ele emprega as cordas de modo atonal, com similitude a compositores modernos como Ligety ("Tomas´ Confrontation").

Para o herói, Lennertz criou os pungentes "Tomas´ Theme" e "Elegy for Tomas", que transmitem a inocência do jovem monge, e o desafio de sua missão. Mas o que poderia ser uma colcha de retalhos revela ser um trabalho sólido e suficientemente original, onde temos momentos grandiosos com toda a orquestra, e outros mais íntimos, nos quais o compositor lança mão, unicamente, de um quarteto de cordas (“Saint Sinner Quartet”). Para esta crítica utilizei uma cópia de avaliação enviada para o ScoreTrack.net pela assessoria de imprensa do compositor. Atualmente já está disponível a edição oficial do CD de Saint Sinner, do selo La-La Land Records - uma edição limitada de 3.000 cópias que pode ser adquirida diretamente no site da gravadora.

CDs COMENTADOS