Shaft (2000, Promo)
Música composta por David Arnold, orquestrada e regida por Nicholas Dodd


Selo: Promo
Ano: 2000
16 Faixas

Duração: 42:02
Cotação:


Comentário de
J
orge Saldanha

 

A nova versão do clássico blaxploitation Shaft, dirigida por John Singleton, buscou respeitar a essência do personagem e o próprio estilo de produção do original. Como resultado, tivemos um filme típico dos anos 70 em pleno ano 2000, apresentando um protagonista negro cool (Samuel L. Jackson), racismo, tráfico de drogas, cenas de ação que servem à trama (e não o contrário, como hoje é comum) e uma ótima trilha sonora. Nas bilheterias, contudo, o filme não foi o sucesso esperado, o que só demonstra que o público de hoje (americano, pelo menos) prefere bombas descerebradas tipo As Panteras a um filme de ação com temática social. Além de comprometer uma já planejada continuação, a bilheteria abaixo das expectativas de Shaft fez com que fosse cancelado o lançamento do score original de David Arnold.

Como vocês sabem, foi lançado apenas um CD com as canções do filme, das quais a melhor ainda é a regravação do tema original, pelo próprio Isaac Hayes. Mas como já havia feito com a partitura de Godzilla, Arnold produziu um CD promocional com o melhor da música composta para o novo Shaft. O compositor, que musicalmente já havia capturado a essência dos filmes clássicos de James Bond (principalmente em Tomorrow Never Dies), conseguiu repetir a proeza com a música dos anos 70. O score de Arnold, um belo tributo à criação de Hayes, fielmente recria o estilo da música do original, ou dos vários filmes blaxploitation subseqüentes. É uma combinação da clássica instrumentação do soul e do funk – baixo, bateria e guitarra ritmados, com orquestra de cordas, metais e flauta. Já houve tentativas similares de colocar este tipo de som em filmes recentes (The Payback, Out of Sight, Bowfinger), mas esta, sem dúvida, foi a mais bem sucedida.

Arnold utiliza muitos dos motivos originais criados por Hayes (detalhe: o álbum de 1971 contém basicamente source music, sendo que o verdadeiro underscore permanece inédito), mas também criou novo material que, em alguns casos, incorpora instrumentação eletrônica, de modo a colocar o score em um nível mais contemporâneo. É o caso, por exemplo, da bateria eletrônica na faixa 13, "Shoot-out”. Para caracterizar a latinidade do personagem Peoples Hernandez, Arnold também adiciona percussão latina e música cubana. Para os puristas da música de cinema, há momentos somente com cordas e piano ("No More Running"), mas definitivamente esta não é uma trilha indicada para quem gosta apenas de música orquestral. Nas duas últimas faixas, Arnold reservou os momentos de ação mais funky já escritos ultimamente por um compositor. A interpretação de metais, violinos e guitarra é fenomenal, e é uma pena que talvez nunca seja ouvida em um CD oficial. O promo, com seus 40 minutos de duração, é uma boa representação do score – o problema é encontrá-lo.

CDs COMENTADOS