SLITHER (SCORE)
Música composta por Tyler Bates

Selo: Bulletproof
Catálogo: BPF 1004
Lançamento: 2006
Faixas

1. Meteor
2. Infection
3. Just A Bee Sting
4. Munchies
5. I Can’t Trust You!
6. The Basement
7. Alien Rape
8. What’s That Smell?
9. Hollywood
10. Russkies
11. Do The Split
12. Ho Lee Shit!
13. Brenda Bursts
14. Bedbugs
15. Blood Vomit
16. Wally-Grant
17. Family Fun Day
18. Bitch Is Hardcore
19. Crashtermath
20. Love Theme from Slither
21. Snaking The Mayor
22. Starla’s Got Her Gunn
23. Slither Finale

Duração: 47:46
Cotação:


Comentário de
Jorge Saldanha

 

Bem a tempo do Halloween de 2006, Seres Rastejantes (Slither) foi lançado em DVD nos EUA, e o CD com o score do filme chegou às lojas ao mesmo tempo. Um álbum com canções já havia sido lançado, mas no momento o que interessa é dividir com vocês algumas opiniões sobre a música incidental de Tyler Bates. O filme segue a mesma linha de, por exemplo, Malditas Aranhas (Eight Legged Freaks), prestando homenagens a clássicos sci-fi/horror como Vampiros de Almas (Invasion of The Body Snatchers) e A Bolha Assassina (The Blob). Em resumo, Slither pode ser definido como uma comédia de horror obviamente às vezes engraçada, às vezes assustadora, mas acima de tudo caricata.

Tyler Bates foi escolhido para compor o score, definido pelo diretor James Gunn como, "Bernard Hermann passado num moedor de carne com punk rock e John Zorn, e depois carinhosamente restaurado sem qualquer tipo de ironia." Opiniões à parte, o fato é que anteriormente Bates criara dois sólidos trabalhos no gênero horror, Madrugada dos Mortos (Dawn of The Dead) de Zack Snyder, e Os Rejeitados do Diabo (The Devil's Rejects) de Rob Zombie. Para o filme de Zombie o compositor criou um score algumas vezes difícil, mas sobretudo muito original, pleno de dissonâncias e sons esquisitos, e tons assustadores. Para Slither Bates teve de manter a partitura fiel à fórmula do gênero, portanto esta música não é tão original ou criativa. O score teve de traduzir os sustos exagerados e o humor escrachado em música com certa complexidade e conteúdo emocional - na medida do possível.

Os filmes B e clássicos usados como referências em Slither são memoráveis, mas não exatamente por suas trilhas incidentais. Este fato era um obstáculo para Bates, já que a platéia também estaria esperando ouvir algumas referências do gênero na trilha sonora. A solução de Bates foi simples - emular trabalhos mais recentes de colegas como Jerry Goldsmith, James Horner e até mesmo Elliot Goldenthal. Então, se você aprecia a música de filmes como Aliens ou Predador (a introdução do famoso tema de Alan Silvestri faz uma nada discreta aparição na faixa "Russkies"), certamente irá gostar deste trabalho.

Mas é um erro pensar que a qualidade da música de Bates depende apenas da produção de outros compositores. Ela é o motor que propulsiona Slither, realçando o ritmo pulsante de sangue e ironia que caracteriza o filme. Apesar de ser na maior parte do tempo exagerado, como o filme a que serve, o score expressa com eficácia as qualidades individuais dos personagens. Os momentos calmos são raros, como as cordas evocativas de "Love Theme from Slither" (e mesmo esta faixa termina com uma explosão orquestral). Bates empregou uma orquestra de 105 músicos, para assegurar que a interpretação forneceria à audiência um clássico passeio na montanha-russa. E o que a partitura de Seres Rastejantes perde em originalidade, ganha em emoção e sustos. Sinceramente, como um score que traz faixas com nomes tipo "Alien Rape", "What's that Smell" e "Blood Vomit" não seria divertido?

Além de Slither, Bates recentemente completou seu score para o épico de Zack Snyder 300, baseado na premiada graphic novel de Frank Miller, a ser lançado nos EUA em março de 2007. Em breve ele começará a trabalhar na animação de Rob Zombie The Haunted World of El Super Beasto, além de Resident Evil: Extinction, o terceiro título da série baseada na famosa franquia de games da Capcom. Como podem ver, graças a seus trabalhos competentes Tyler Bates hoje é um sujeito muito ocupado, e se continuar assim muito em breve ele poderá ser um nome reconhecido até pelo espectador casual.

CDs COMENTADOS