SPIDER-MAN (SCORE)
Música composta por Danny Elfman, regida por Pete Anthony

Selo:
Sony Classical
Catálogo:
86681
Ano: 2002

15 Faixas

Duração:
45:05
Cotação:


Comentário de
Fernando Pereyra

 

Com maior ou menor eficiência, ao longo da sua carreira Danny Elfman retratou musicalmente vários super-heróis, incluindo Batman, Dick Tracy, Darkman e Flash. Agora chega a vez de Spider-Man, personagem emblemático da Marvel Comics que até hoje não havia recebido uma adaptação à altura de sua lenda. E ainda que o trabalho do compositor não se sobressaia na realização de Sam Raimi, estamos diante de uma trilha sonora que nos fornece uma estimulante dose de ação e suspense, no estilo tão pessoal que é a marca registrada de seu autor. Instrumentalmente, Spider-Man tem como referência próxima Planet of the Apes, onde as sonoridades da orquestra sinfônica tradicional combinam-se com percussivas texturas eletrônicas.

A música, sem dúvida, é bem mais leve, heróica e luminosa que a daquela partitura. E também muito mais melodramática e variada face às emoções que relata, já que a história é mais rica nesse sentido. Trata-se, contudo, de uma música onde o aspecto melódico fica relegado a um segundo plano, ofuscado pela proeminência do ritmo e da densidade da orquestração. Então, ao contrário do que se poderia esperar, não há grandes motivos ou melodias nesta trilha sonora. O tema de Spider-Man, que faz a sua primeira aparição no "Main Title" e ressurge ao longo de todo o álbum, é dispersivo e não tem uma personalidade bem definida. Algo pior ocorre com o tema romântico, composto por apenas cinco notas descendentes de caráter triste que se aproximam perigosamente do ridículo.

Os contornos da lúgubre melodia que identifica o Duende Verde estão um pouco melhor delineados, mas a sua efetividade é diluída em uma inexplicável semelhança com a de Spider-Man. Mas apesar disso, Elfman supera estas deficiências e entrega um trabalho sólido e efetivo, especialmente bom nas vigorosas passagens de ação "Revenge", "Parade Attack" e "Final Confrontation", e que além do mais oferece algumas pérolas dignas de menção. Com espírito urbano e moderno, "Costume Montage" apresenta uma simpática, ainda que breve, apresentação do tema principal onde a melodia é conduzida por guitarra elétrica. "First Web" se destaca por um feliz trabalho com as texturas instrumentais na linha mickeymousing, enquanto "Alone", "Revelation" e "Getting Through" oferecem cálidos e bem-vindos interlúdios sentimentais.

Finalmente, a percussão tribal de "Spectre of the Goblin" resulta em um maravilhoso reflexo da maldade e loucura do Duende. Curiosamente, tanto o filme como o seu score desperdiçam uma qualidade inerente aos quadrinhos: o irreverente senso de humor. Esta característica teria sido interessante de ser explorada musicalmente, e é provável que, nesse caso, a partitura oferecesse momentos mais coloridos e otimistas. Ainda assim, do jeito que está, este já é inquestionavelmente um trabalho bem sucedido, e reafirma a idéia de que, tratando-se de super-heróis, Danny Elfman não é apenas a opção mais previsível, mas também a mais acertada.

CDs COMENTADOS