STAR TREK VI: THE UNDISCOVERED COUNTRY
Música composta e regida por Cliff Eidelman


Selo:
MCA
Catálogo: MCAD-10512

Ano: 1991

Faixas:
1. Overture
2. An Incident 
3. Clear All Moorings (Contains TV Theme by Alexander Courage) 
4. Assassination 
5. Surrender for Peace 
6. Death of Gorkon 
7. Rura Penthe 
8. Revealed 
9. Escape from Rura Penthe 
10. Dining on Ashes 
11. The Battle for Peace 
12. Sign Off (Contains TV Theme by Alexander Courage) 
13. End Titles 
Duração: 45:19
Cotação:


Comentário de
J
orge Saldanha

 

Assim como a própria qualidade dos filmes de Jornada nas Estrelas varia, também suas trilhas sonoras vão do excelente (Jornada nas Estrelas: O Filme, Jornada nas Estrelas II: A Ira de Khan) ao ruim (Jornada nas Estrelas IV: A Volta para Casa - neste caso, um filme muito bom mas com uma partitura fraca). Felizmente o saldo final é mais do que positivo, e com a vantagem adicional da série ter propiciado alguns dos melhores trabalhos de seus compositores. De fato, alguns destes compositores ficaram conhecidos graças, principalmente, aos seus scores para a franquia. Em 1981, por exemplo, quando o orçamento apertado de A Ira de Khan não permitiu a volta de Jerry Goldsmith para compor a trilha, Nicholas Meyer resolveu apostar em um compositor à época pouquíssimo conhecido, James Horner. O resto, como dizem, é história.

Dez anos depois, quando Meyer retornou à direção neste Jornada nas Estrelas VI: A Terra Desconhecida, lhe veio à mente a idéia de utilizar na música algo da obra de Gustav Holst "The Planets", que já servira de inspiração a muitas trilhas de ficção científica. Com Holst na cabeça, o diretor resolveu arriscar mais uma vez, dando uma chance ao novato e praticamente desconhecido Cliff Eidelman. Após trocar idéias com o diretor, o jovem compositor, além de Holst, também deu à música um toque de Stravinsky ("O Pássaro de Fogo") e, como resultado, recebemos uma das melhores e mais originais trilhas sonoras da série (e, felizmente, o filme está à altura de sua música). É um score sombrio e atmosférico, onde as orquestrações exploram muito bem as seções de cordas, madeiras, metais e percussão, fornecendo ao ouvinte um acompanhamento rico nos momentos dramáticos ou de ação. No entanto, um dos elementos mais característicos deste trabalho é o soturno coral masculino, ouvido já na primeira faixa acompanhado pela orquestra e por discretos sons eletrônicos.

Em sua maior parte é uma partitura tensa, voltada para o drama, o mistério, a conspiração e o conflito, com raríssimos momentos de leveza ou otimismo. "Overture" introduz na trilha sonora o ameaçador e urgente tema de seis notas que representa os klingons (e a Ave de Rapina capaz de disparar mesmo estando invisível). É uma representação musical muito eficaz, pois toda as vezes em que as seis notas iniciam seu ciclo, sabemos que os vilões estão ocultos, por perto. Aliás, o tema klingon de Eidelman rompe totalmente com o padrão de Goldsmith (imitado por Horner), porém encaixa-se perfeitamente na trama. Eidelman também compôs um novo, belo e majestoso tema para a nave estelar Enterprise, introduzido em "Clear All Moorings". Quando a Enterprise "solta as amarras", o som é exuberante e melódico - como normalmente é, ou deveria ser, em todas as cenas em que a nave sai das docas. A fuga do mundo prisão klingon, Rura Penthe, é musicada de forma muito dramática, notadamente  durante as tomadas aéreas filmadas nas geleiras.

A música para a cena da batalha, já no final do filme, quando a Enterprise e a Excelsior destroem a Ave de Rapina de Chang, é continuamente impressionante, com a orquestra em uma interpretação massiva do tema klingon e de motivos militares. A música acentua de forma admirável aquele que talvez seja o momento mais empolgante do filme, quando Kirk cerra seu punho e finalmente ordena "Fogo" (quem não adora essa cena?) e a Ave de Rapina, alvejada pelas duas naves, explode em pedacinhos (imagem reutilizada sem escrúpulos em Jornada nas Estrelas: Generations). A fanfarra do tema da Série Original de Alexander Courage é usada em doses homeopáticas, em "Clear All Moorings" e de forma particularmente efetiva na vitoriosa "Sign Off". Em "End Titles", todos os grandes temas da trilha são combinados em uma perfeita suíte. Definitivamente, este é um trabalho que merece maior reconhecimento não apenas entre as trilhas da série, mas inclusive entre as trilhas sonoras de um modo geral.

CDs COMENTADOS