SYRIANA
Música composta por Alexandre Desplat


Selo: RCA Red Seal
Catálogo: 82876-76121-2
Ano: 2005

Faixas:

1. Syriana
2. Driving in Geneva
3. Fields of Oil
4. The Commute
5. Beirut Taxi
6. Something Really Cool
7. Syriana (Piano Solo)
8. I'll Walk Around
9. Access Denied
10. Electricity
11. Falcons
12. Abduction
13. Tortured
14. Take the Target Out
15. Truce
16. Mirage
17. Fathers and Sons

Duração: 45:54

Cotação:


Comentário de
J
orge Saldanha

 

Syriana, thriller geopolitíco baseado em um livro de Robert Baer, foi dirigido e escrito por Stephen Gaghan, ganhador do Oscar pelo roteiro de Traffic. Dadas as similaridades entre os dois filmes, não seria surpresa se o compositor de Traffic, Cliff Martinez, retornasse para criar o score de Syriana. Mas Gaghan optou pelo francês Alexandre Desplat, que após ter musicado mais de 60 filmes em seu país natal, em um curto espaço de tempo, que começou há poucos anos com Girl with a Pearl Earring - que valeu a Desplat uma indicação ao Globo de Ouro -, desenvolveu uma sólida carreira em Hollywood, tendo trabalhado apenas em 2005 em sete filmes.

Com uma nova indicação ao Globo de Ouro para Melhor Trilha Sonora Original, Syriana junta-se a Birth e Hostage como os trabalhos mais reconhecidos do compositor. Estes filmes, por sua vez, estão longe de serem blockbusters, e dividem entre si algumas similaridades musicais; contudo, o score de Syriana soa muito mais como a música ambiental de Cliff Martinez do que as próprias obras orquestrais de Desplat. O filme dramatiza a atuação da indústria internacional do petróleo através de várias tramas paralelas, e o compositor optou por empregar um ensemble que consiste de uma pequena orquestra de percussão e cordas, mais piano e instrumentos do Oriente Médio como duduk e ney. O duduk, tocado por Djivan Gasparyan, é empregado de um modo bem mais autêntico do que na maioria dos scores norte-americanos de linha étnica. Mas, como ocorre nas interpretações do ney e do cello, é utilizada uma mixagem muito discreta para incorporar o instrumento à trilha sonora.

A intenção de Desplat foi restringir sua música para criar um score sutil, que não competisse com as situações e o drama dos personagens. Consequentemente, o tema principal de duas notas é contido e triste, desenvolvido principalmente pelas cordas e o piano ("Syriana (Piano Solo)", "Falcons", "Fathers and Sons"). O álbum oferece sua faixa mais ritmicamente ativa já bem perto de seu início, com "Driving in Geneva", que apresenta um repetitivo, hipnótico baixo elétrico, ou um seu equivalente eletrônico. Um ponto alto desta faixa é a performance do piano sobre um magnífico scherzo.

Desplat usa o ostinato para retratar a violência, faz um uso ameaçador dos timbales ("Ill Walk Around ", "Truce"), introduz uma atraente percussão árabe na energética "Beirut Taxi" e explora dois motivos em "The Abduction", que é encerrada por um intenso caos orquestral. No entanto, apesar de todos estes esforços, Syriana não é uma experiência auditiva cativante. Em disco, sua estrutura minimalista, fria e às vezes impermeável, isolada das imagens, fracassa em expressar o suspense ou a intriga típicos deste gênero de filme.

Com seu tratamento nada ambicioso, Syriana mostra não ser o tipo de score que você ouvirá muitas vezes. Ainda que seja um trabalho original, em comparação ao que hoje é produzido em massa por Hollywood (e isto por si já é uma qualidade), ao menos para mim esta é uma trilha sonora difícil de apreciar.

CDs COMENTADOS