The Comedians
Música composta e regida por Laurence Rosenthal

Selo:
Windmere Music Publishers
Catálogo:
42350
Ano: 1998

Cotação:

Comentário de
Miguel Andrade

 

Filme de 1967, conta a história de uma série de personagens no Haiti de Duvailer. Com a participação de grandes nomes do cinema como Richard Burton, Elizabeth Taylor, Alec Guiness e o então jovem James Earl Jones, a música foi entregue ao veterano de cinema e televisão Laurence Rosenthal. Rosenthal criou uma partitura que está cheia de sonoridades misteriosas, descrevendo todo o clima que se vivia no país, bem como as suas tradições e mitos (o célebre uso de práticas de vodu). O "Main Title" começa com uma série de breves explosões orquestrais, passando rapidamente para um coro infantil, apoiado por percussão característica e nervosas figuras nas cordas. Esta passagem de coral, com uma letra a vangloriar o então presidente do país, parece saída de um filme de terror. Daí avançamos para outra passagem, para orquestra e instrumentos típicos do Haiti, contribuindo para a atmosfera da partitura.

Vários temas fazem uso deste tipo de mistura entre orquestra e instrumentos etnográficos, sendo um dos melhores exemplos a faixa 3, "Port-au-Prince". "Madame L'Ambassadrice" é uma espécie de love theme, sem nunca se realizar totalmente como tal. Com predominância para cordas e madeiras, o tema é lírico, mas imbuído do mesmo tipo de atmosfera soturna da passagem coral da primeira faixa do álbum. "I Am the Haitian Flag" começa com uma forte batida típica do Haiti, acompanhada por figuras "percutidas" nas teclas do piano, e avança para uma variação do tema apresentado em "Madame L'Ambassadrice", mas desta feita muito mais atmosférico. "At the Columbus Statue" volta a desenvolver o mesmo tema. Sonoridades exóticas, oferecidas novamente por instrumentos etnográficos, surgem de novo em "The Voodoo Temple" e "Operation Jones". O primeiro destes temas tem como base um ritmo imparável, e o coro faz uma nova aparição, contribuindo para o tom sinistro da música.

Sonoridades mais modernistas surgem em "The Tontons Macoute" e no mais agressivo "In the Night Watches". O CD conclui com "Departures". Surge com um tema mais característico da zona onde se desenrola a ação, e desta vez com um tom um pouco mais otimista. Este álbum é um atestado à enorme versatilidade deste compositor tão esquecido, ao conseguir de uma forma coesa integrar estilos tão diversos numa só obra. Quando ultimava este comentário, soube da recente edição deste mesmo trabalho pela Chapter III Records (CH37504-2), juntamente com a partitura, também de Rosenthal, para "Hotel Paradiso" (1966). Todas as faixas nesta nova edição são as mesmas que neste CD promocional, pelo que o seu valor é menor agora. Ainda assim, mesmo que não procurem a edição aqui comentada, por ser mais curta (a nova trás como bônus outro trabalho de Rosenthal), e por ser promocional, muito mais cara, procurem-na na edição da Chapter III.

Rosenthal é um excelente compositor que tem que ser ressuscitado urgentemente do esquecimento em que foi colocado, caso contrário, quando o interesse surgir, podem já não existir as fitas master das gravações, e teremos de nos contentar com sua música coberta por diálogos e efeitos sonoros, quando a ouvirmos nos filmes.

CDs COMENTADOS