VACANCY
Música composta por Paul Haslinger

Selo: Commotion Records
Catálogo: CR014
Lançamento: 2007
Faixas

1. Vacancy Main Title Theme
2. Lost In Nowhere
3. Meeting Mason
4. Trapped
5. Phone Booth
6. Under Survellance
7. Trucker Arrival
8. Rats In The Tunnel
9. They're Under Us!
10. Nobody's Fault
11. Searching The House
12. Chase And Barricade
13. David Stabbed
14. A New Day
15. Killed By A Beamer
16. Going For A Gun
17. Amy Attacked
18. Amy's Revenge
19. Finding David
20. Vacancy End Credits
21. Vacancy Variant Acid
22. Temps Perdu
23. Transmutation Void

Duração: 56:07
Cotação:


Comentário de
Renan Fersy

 

Alguns compositores simplesmente são imprevisíveis. Seria isso falta de personalidade ou excesso de pressão por parte de produtores, que cada vez mais querem umas sonoridades "inovadoras" e vêm com a história de "liberdade de expressão"? Que, a propósito, é um termo do qual eu não gosto nem um pouco. Não que eu seja conservador, aliás acho que uma reciclagem sistemática dentro da música é essencial para que haja evolução. O problema é que a coisa está tendendo para o lado da anarquia. Qualquer agrupamento de sons hoje em dia é chamado de música. Isso não é arte, é bagunça. Gênios como Schoenberg e Strauss, mesmo quebrando regras e compondo obras completamente atonais, mantinham requinte em suas composições apesar de compor em estéticas diferentes.

Um compositor que nunca me agradou é Paul Haslinger. Em Underworld - Anjos da Noite ele conseguiu fazer o Vienna Symphonic Library, umas das melhores bibliotecas de samplers orquestrais do mundo, soar como um sintetizadorzinho qualquer. Quando ouvi a trilha de Turistas então continuei desapontado, apesar de ter notado uma evolução musical, incluindo o uso de alguns instrumentos étnicos como flautas par ambientar o clima de selva. Foi então que ouvi Temos Vagas. Confesso que eu esperava um trabalho bem pior, mas o que ouvi foi um tema simples porém mais maduro e com uma certa consistência que outros trabalhos do compositor não tinham. A mescla com o eletrônico continua uma característica de Haslinger, o que na minha opinião é um grande fator enfraquecedor da trilha, havendo faixas onde simplesmente não há música - apenas ruído. Nessa trilha a ênfase que ele deu à orquestra já foi um pouquinho maior. Na verdade não uma orquestra, ele trabalhou mais com cordas e alguma coisa de metais apenas. A percussão orquestral é discreta, prevalecendo a percussão mais eletrônica. A trilha apesar de ser fraca é bem direta, e nesse aspecto ganha alguns pontos de credibilidade. Não há enrolação, assim como no filme também não há.

"Vacancy Main Title Theme" é a faixa onde o tema principal é apresentado. Trata-se de um tema frenético de cordas. Ruídos e percussão começam a faixa até que aos 25 segundos o cello entra tocando o tema principal, mais cordas, provavelmente outro cello entra fazendo uma dobradura da linha principal. O cello principal segue, enquanto a segunda linha vai variando até chegar em um ápice em 1:20 mais ou menos, onde um segundo motivo é apresentado. Aos 1:36 um terceiro motivo é rapidamente mencionado e então o tema principal retorna e assim segue até o final. "Lost In Nowhere" é uma faixa mais silenciosa. É o momento no filme onde eles percebem que estão bem longe de onde deveriam estar, e para melhorar o carro quebra. Cordas tecem uma harmonia para entrada de uma harpa, bem suave. A faixa segue misteriosa até o final. "Meeting Mason" é uma faixa mais atmosférica. Ruídos e efeitos mais eletrônicos comandam a faixa. "Trapped" é uma faixa barulhenta, sem grandes desenvolvimentos musicais, apenas ritmo intenso. "Under Surveillace" é mais uma faixa sem motivos, um efeito que mais parece uma hélice de helicóptero dá o ritmo para a faixa, até a metade mais ou menos, onde entram cordas tocando dissonâncias e criando tensões.

"Searching The House" é uma faixa radical. Começa bem serena, com um baixo bem grave e percussões que, aos poucos, vão aparecendo e crescendo até começar a quebradeira por volta de 1:00. Neste ponto da faixa temos até guitarra elétrica distorcida tocando frases. Todos os instrumentos param e continua apenas a bateria até o final. "Chase and Barricade" em alguns momentos parece algo entre psy e dance, com nuances e entradas e saídas de texturas abruptas. Não aprecio música eletrônica no estilo Marco Beltrami, onde prevalecem ruídos, chiados, percussões e coisas do gênero, e há ausência temática e motívica. Já esse tipo de criação mais textural, apresentado nesta faixa, eu acho interessante. Aliás tem composições de dance e de psy muito interessantes, que desenvolvem harmonias cativantes, com acordes suspensos e tensões diferentes.

"Amy Attacked" é uma faixa bem percussiva de ritmo bem marcado. Pelos 27 segundos uma batida simples começa, e vai até os 36 onde as batidas se tornam duplas, criando uma espécie de motivo percussivo. "Amy's Revenge" começa com quebradeira e vai acalmando até entrar novamente aquele efeito "helicóptero" que vai saindo em fade out bem gradativo junto com toda a faixa. Em "Vacancy End Credits", ele apresenta o tema principal de novo, com variações e mais variações. É uma faixa boa de se ouvir pelo ritmo mais frenético. E confesso que acho o tema bem bacaninha, apesar de ser extremamente simples, eu diria até minimalista.

Temos Vagas é uma trilha bem fraca que conta com um tema interessante, o que, no entanto, não é o bastante para salvar a trilha. Digamos que já é um avanço termos um tema principal de relevo em uma trilha predominante eletrônica para um filme de terror slasher. Que, aliás, é bacana também. A temática é bem clichê - hotel na beira da estrada e assassinos psicóticos. Mesmo assim o filme é divertido, e é uma boa pedida para um sábado à noite.

CDs COMENTADOS