A 20 MILHÕES DE MILHAS DA TERRA (EDIÇÃO DO 50º ANIVERSÁRIO)
Direção: Nathan Juran
Elenco:
William Hopper, Joan Taylor, Frank Puglia, John Zaremba
Distribuidora: Sony
Duração: 82 min.

Região: 1, 4

Lançamento: 14/01/2007

Nº de discos: 2
Cotações:
Filme
DVD

Comentários de
Jorge Saldanha

O FILME
Um foguete tripulado norte-americano, retornando de Vênus, cai no litoral da Itália. O único sobrevivente da tripulação é o Coronel Calder (William Hopper), que procura resgatar o ovo de uma rara forma de vida venusiana que estava a bordo. Mas antes que ele o ache uma pequena criatura, o Ymir, sai do ovo e é capturada por um zoólogo, que pretende levá-la para o zoológico de Roma. A atmosfera da Terra provoca o crescimento descomunal da criatura, que escapa a caminho de Roma. Calder e os militares conseguem atrair o Ymir para uma armadilha, o deixam inconsciente e o levam para a capital da Itália, a fim de ser estudado por cientistas. Mas um acidente no zoológico de Roma desperta o monstro, agora com sete metros de altura, que se liberta e, após um feroz combate com um elefante, fica à solta nas ruas.

A 20 Milhões de Milhas da Terra (1957) é um dos filmes mais populares do sub-gênero sci fi "monstro à solta", tão em voga nos anos 1950 e que hoje retorna com o badalado Cloverfield. Também é um dos mais estimados trabalhos do Mestre da animação Stop-Motion Ray Harryhausen, que já realizara os efeitos especiais do primeiro filme deste tipo na década, O Monstro do Mar (The Beast from 20.000 Fathoms, 1953, que serviu de inspiração para o famoso monstro japonês Godzilla), e de O Monstro do Mar Revolto (It Came from Beneath the Sea, 1956). A diferença aqui é que o monstro não foi criado por uma explosão atômica, mas veio de outro mundo. O Ymir (que em nenhum momento do filme é chamado assim) foi a criação favorita de Harryhausen, que procurou lhe dar uma  personalidade que atraísse a simpatia da platéia. Como se fosse o cruzamento de um homem com um lagarto, ele é visto pela primeira vez saindo do ovo, atordoado pela luz e se comportando como um verdadeiro animalzinho recém nascido. Mesmo após começar a crescer, a criatura só se torna agressiva após ser acuada e atacada, o que leva a um desfecho claramente inspirado no final de King Kong - só que, no lugar do Empire State Building, em Nova York, aqui temos o Coliseu de Roma. Aliás, se fôssemos definir o monstruoso protagonista de A 20 Milhões de Milhas da Terra, poderíamos dizer que ele é uma mistura de E. T. com Kong - uma criatura de outro mundo que, solta em um ambiente urbano, apenas quer sobreviver. Este filme marcou o início da colaboração da dupla Charles H. Schneer (produtor)-Ray Harryhausen com o diretor Nathan Juran, que continuou no antológico Simbad e a Princesa (The 7th Voyage Of Sinbad, 1958) e em Os Primeiros Homens na Lua (First Men In The Moon, 1964). Todo o trabalho relativo à animação (filmagem dos modelos, a combinação deles com cenas de locação, etc.) foram feitos somente por Harryhausen, e para os padrões da época, os resultados foram excelentes. Muito tempo depois de ver estes filmes, me surpreendi ao descobrir que, na verdade, eles eram produções classe "B" dos estúdios, feitas com orçamentos reduzidos e com elencos sofríveis. Os roteiros eram simplórios, especialmente no que se referia ao lado "humano" da trama. Neste aqui, por exemplo, o relacionamento do casal William Hopper e Joan Taylor é o mais clichê e superficial possível, servindo apenas para preencher as lacunas entre as aparições do Ymir. Mesmo assim ainda hoje são filmes cultuados, ao contrário de muitos classe "A". Isto tudo apenas valoriza o trabalho de Ray Harryhausen, um artista que fazia com que um filme barato parecesse ser uma super-produção, ao mesmo tempo em que maravilhava as platéias com suas fantásticas criações.

O DVD
Inédito até agora em DVD no Brasil, A 20 Milhões de Milhas da Terra já estava disponível nos EUA há alguns anos, juntamente com outros títulos da Ray Harryhausen Collection. Felizmente recebemos esta edição comemorativa do cinqüentenário do filme, lançada por lá ano passado, tendo como diferencial o fato de ser dupla, trazer novos extras e a opção de ver o filme original em preto-e-branco ou em sua nova versão colorizada. E isto é feito de uma forma bastante simples - selecionando a opção de cor do menu ou, durante qualquer momento do filme, apertando o botão "Ângulo" do controle remoto. Em qualquer das duas opções o filme foi restaurado digitalmente pela empresa Legend Pictures (a mesma responsável pela colorização), que removeu a maior parte dos danos e resíduos - como resultado, temos uma ótima transferência widescreen anamórfica no aspecto original 1.85:1. A remasterização digital, contudo, não é capaz de superar as limitações do filme original utilizado, o que se comprova na granulação presente em algumas cenas. No que se refere à colorização, apesar do perceptível avanço ocorrido de uns anos para cá, a verdade é que um filme colorizado ainda está longe de parecer ter sido originalmente filmado a cores. Acredito que isso se deva à incapacidade de ser reproduzida, digitalmente, toda a vivacidade e as tonalidades da cor capturada em filme. Se em algumas seqüências o resultado é satisfatório (principalmente nas tomadas externas), em outras as cores são claramente artificiais, como se tivessem sido pintadas com aquarela. Além do mais, a adição de cor ajuda a destacar algumas limitações dos velhos efeitos especiais. De qualquer maneira, estando disponível também a versão original em preto-e-branco para os puristas (como é o caso), trata-se de um recurso válido para tentar levar filmes antigos para novas audiências. Até porque o próprio Harryhausen (que acompanhou a colorização) declarou que pretendia originalmente realizar estes filmes a cores, mas não o fez por limitações técnicas e orçamentárias, e esta foi a oportunidade de mostrar suas criações com as cores que ele imaginou. Mas a restauração não se limitou à imagem, também o áudio foi remasterizado e agora, além da faixa original em inglês mono, há também uma em inglês Dolby Digital 5.1, que adiciona mais graves e espacialidade ao som. Também presentes, dublagens mono em espanhol e português - esta, a original dos anos 60, feita quando o filme passou na nossa TV. Obviamente sua importância é mais histórica, já que a qualidade é bem inferior. Também vale a pena destacar a arte da embalagem (Amaray transparente para dois DVDs), dos discos e dos menus (estáticos), que busca reproduzir o estilo dos antigos pôsteres destes filmes. Juntamente com A 20 Milhões de Milhas da Terra, a Sony também lançou no Brasil as edições duplas de O Monstro do Mar Revolto e A Invasão dos Discos Voadores, que receberam o mesmo tratamento caprichado, no que se refere à restauração de áudio e vídeo (também incluem a versão colorizada de cada filme) e extras. São aquisições obrigatórias para os fãs da ficção científica clássica e de Harryhausen.


OS EXTRAS
A 20 Milhões de Milhas da Terra
traz extras variados e interessantes, e felizmente neles Harryhausen, aos 87 anos de idade, é uma presença lúcida e constante. Os documentários do disco 2 estão todos em widescreen anamórfico, com áudio original em inglês 2.0 e legendas em português. Alguns destes documentários também fazem parte dos extras de O Monstro do Mar Revolto e A Invasão dos Discos Voadores.

Disco 1

  • Comentários em Áudio - Podemos assistir ao filme ouvindo uma conversação transatlântica gravada com Harryhausen (em Londres), os técnicos em efeitos visuais Dennis Muren e Phil Tippett e o produtor Arnold Kunert (estes três, na Califórnia). Harryhausen é quem fala na maior parte do tempo, respondendo às perguntas dos demais. É uma faixa bem informativa quanto ao processo de trabalho do artista, mas que infelizmente não recebeu legendas em português;

  • Trailers - Trailers (sem legendas) de A 20 Milhões de Milhas da Terra e de outros três filmes de Harryhausen, lançados em DVD no Brasil pela Sony. O detalhe é que, se for carregado o menu em inglês, teremos acesso a trailers de vários outros filmes dele, a maioria ainda inéditos em DVD por aqui.

Disco 2

  • Relembrando 20 Milhões de Milhas da Terra (26 min.) - Este é o documentário principal, onde além de depoimentos do próprio Harryhausen sobre a produção do filme, temos entrevistas com pessoas cujas carreiras foram influenciadas por ele, como os diretores Terry Gilliam e John Landis, e os técnicos em efeitos especiais Stan Winston e Rick Baker;

  • O Processo de Colorização (11 min.) - Uma interessante visão sobre o trabalho de colorização desta nova versão, feito pela Legend Films. Apesar de assemelhar-se a um grande comercial apresentado pelo dono da empresa (são mostrados trechos de outros filmes colorizados por ela), o featurette demonstra o contentamento de Harryhausen com o processo, acompanhado e aprovado por ele;

  • Tim Burton com Ray Harryhausen (27 min.) - Trata-se de uma descontraída conversa entre Harryhausen e o diretor Tim Burton, que realizou longas em Stop-Motion (O Estranho Mundo de Jack, A Noiva Cadáver) e homenageou A Invasão dos Discos Voadores em sua sátira Marte Ataca. Harryhausen, inclusive, mostra a Burton vários modelos utilizados em seu clássico;

  • Entrevista com Joan Taylor (17 min.) - Um bate-papo com a hoje octogenária estrela de A Invasão dos Discos Voadores e A 20 Milhões de Milhas da Terra, sobre sua carreira no cinema e TV, sua participação nestes filmes e o trabalho de Harryhausen. A atriz é viúva de Leonard Freeman, criador da série Havaí 5-0;

  • David Schechter sobre o Herói Desconhecido da Música de Filmes (23 mins.) - De especial interesse para os Scoretrackers, esta retrospectiva feita pelo produtor de trilhas sonoras David Schechter mostra o trabalho do regente Mischa Bakalenikoff, que era responsável por adaptar as músicas de outros filmes para as produções "B" e seriados da Columbia. Apesar de nunca ser creditado como compositor, era comum Bakalenikoff compor cues de ligação entre as músicas adaptadas, e até mesmo temas originais para os monstros;

  • Arte Original (18 mins.) - O produtor Arnold Kunert, que também é empresário de Harryhausen, mostra kits de imprensa, pôsteres, fotos e outros materiais usados pela Columbia na divulgação de A 20 Milhões de Milhas da Terra e de outros filmes de Harryhausen feitos para o estúdio.

Além destes documentários, os extras também incluem uma prévia digital do gibi "20 Million Miles More" (uma espécie de continuação do filme) e quatro vídeo galerias que totalizam 35 mins., onde em slideshow vemos várias imagens relativas a material publicitário, produção, elenco e arte conceitual original de Harryhausen.

IMAGENS

DVDs COMENTADOS