300
Produção: 2007
Duração:
117 min.
Direção:
Zack Snyder
Elenco:
Gerard Butler, Lena Headey, Dominic West, David Wenham, Vincent Regan, Michael Fassbender, Tom Wisdom, Andrew Pleavin, Andrew Tiernan, Rodrigo Santoro
Vídeo:
Widescreen Anamórfico 2.35:1 (1080p/VC-1)
Áudio: Inglês (Dolby TrueHD 5.1, Dolby Digital 5.1), Português, Russo, Tcheco, Polonês, Tailandês, Turco (Dolby Digital 5.1)
Legendas: Português, Inglês, Húngaro, Polonês, Russo, Tcheco, Tailandês e Turco
Nº de discos: 1
Região:
A, B, C
Distribuidora: Warner
Lançamento:
03/08/2009

Cotações:
Filme -

Imagem:

Áudio:
Extras/Menus:

Média:

Comentários de
Jorge Saldanha

SINOPSE
300, baseado na aclamada graphic novel de Frank Miller (o mesmo autor de BATMAN: O CAVALEIRO DAS TREVAS e SIN CITY), é um relato atualizado e sangrento da Batalha das Termópilas, ocorrida no ano 480 A. C., na qual o Rei Leônidas (Gerard Butler) e 300 guerreiros espartanos lutaram até a morte contra o imenso exército persa do Rei Xerxes (Rodrigo Santoro). Enfrentando dificuldades insuperáveis, o sacrifício desse punhado de guerreiros uniu toda a Grécia contra um inimigo até então considerado invencível, tornando o acontecimento um marco no caminho para a democracia.

COMENTÁRIOS
Co-roteirizado e dirigido por Zack Snyder (o mesmo diretor do ótimo MADRUGADA DOS MORTOS e da recente versão para o cinema de WATCHMEN), e combinando ação ao vivo com cenários virtuais, 300 dividiu a crítica mas foi um grande sucesso junto ao público, que não se importou com as liberdades históricas tomadas por Miller e nem com o visual estilizado, que muitas vezes recriava fielmente os desenhos da HQ. Violentíssimo, com os espartanos de torso nu (eles eram tão bons que não precisavam usar armaduras!) bradando falas heróicas clichês, 300 se tornou um dos melhores filmes de entretenimento a aportarem na tela em anos.

E razões para isso existem de sobra – as cenas de ação são espetaculares, filmadas com um uso inovador da câmera lenta que ressalta o sangue e a mutilação; os efeitos de computação gráfica, que materializam na tela cenários virtuais e exércitos que parecem saídos do inferno, são fantásticos; o elenco masculino, em forma física invejável, é extremamente competente (e Santoro como Xerxes, comparações com Clóvis Bornay à parte, é uma atração à parte para os brasileiros); a trilha musical de Tyler Bates, que complementa energicamente a mistura de adrenalina, testosterona e sangue que esguicha da tela com riffs de guitarra elétrica; e por aí vai.

Sim, 300 é um filme de ação basicamente dirigido ao público masculino, com sua violência absurdamente exagerada à la  KILL BILL, mas que acabou também conquistando as mulheres (e afins), provavelmente fascinadas pelos corpos masculinos sarados que desfilam na tela. Para os homens há Lena Headey (que posteriormente fez a série de TV TERMINATOR: THE SARAH CONNOR CHRONICLES) interpretando Gorgo, a esposa de Leônidas. Bela e talentosa atriz, ela roubou todas as cenas em que apareceu.  Butler, ator que por muito tempo esteve relegado a papéis secundários em produções duvidosas, surpreende como Leônidas, dotando seu personagem de toda a força, determinação e coragem que se esperaria do Rei de Esparta.

Aliás, o elenco de um modo geral se saiu muito bem, considerando que o filme foi praticamente todo filmado num grande depósito de Montreal, na frente de uma enorme tela azul. Miller, co-produtor do filme, estava tendo sorte com suas últimas incursões no cinema até chegar no decepcionante SPIRIT, que dirigiu em 2008 chupando o estilo visual de SIN CITY. Mas aqui Zack Snyder fez uma adaptação inteligente da sua graphic novel, que já trazia as alardeadas "liberdades históricas" vistas no filme que, afinal de contas, não deve mesmo ser muito levado à sério. Por outro lado, ele aborda aspectos verídicos da sociedade espartana, que colaboram para dar alguma veracidade aos eventos que se desenrolam. Mas enfim, 300 é um épico moderno que, sob vários aspectos, é melhor que o aclamado GLADIADOR por não se levar demasiadamente a sério. Palmas para Snyder, que soube achar o tom certo para seu filme.


O BD
Em alta definição, 300 foi lançado nos EUA em HD-DVD e Blu-ray, sendo que em nenhum dos casos o filme recebeu dublagem ou legendas em português. Já em outros mercados, como a Polônia, as versões lançadas trouxeram legendas e até áudio em português do Brasil, enquanto que aqui o filme existe ainda apenas em DVD. Fica difícil de entender essa política da Warner, porém espera-se que a partir de alguns lançamentos anunciados para setembro de 2009 (que ainda não incluem 300), ela tenha uma participação mais agressiva no mercado brasileiro de Blu-ray, e esse lançamento aconteça em breve. Para esta resenha avaliei o Blu-ray de Hong Kong replicado na Áustria, que possui as mesmas especificações do que foi lançado na Polônia (incluindo menus, dublagem e legendas em português, estas inclusive nos extras) e que poderá ser a base do futuro BD nacional.

Sem dúvida avaliar a qualidade de imagem de 300 não é uma tarefa fácil, devido ao pesado processamento de imagem ocorrido em sua filmagem. Ao contrário de SIN CITY, basicamente um filme em preto e branco com a aplicação eventual de cor, temos aqui todo um espectro de cores, com saturação altamente manipulada, colocado num quadro de contraste “estourado” e granulação, buscando reproduzir o look dos quadrinhos. O tom predominante é o sépia, que dá aos tons de pele uma aparência acobreada, no geral sobressaindo apenas as cores azul, vermelho e marrom. Em alguns momentos, em especial nos closes de atores e rochas, percebe-se a falta de maior nitidez, mas credito isso à filmagem original e não a uma filtragem posterior. A transferência anamórfica utilizada pela Warner (1080p/VC-1, na proporção original 2.35:1) é exatamente a mesma do lançamento original feito em HD-DVD, inclusive utilizando o bitrate 16.80Mbps, típico daquele extinto formato. O que leva a supor que caso feito um novo encode, digamos, MPEG-4 com taxa de transferência mais compatível à capacidade superior do Blu-ray, teríamos uma qualidade de vídeo ainda melhor, eliminando qualquer problema de compressão porventura existente. Esta suposição é reforçada pelas comparações que têm sido feitas entre imagens do HD-DVD e de vídeos promocionais dos Blu-rays da Warner, nos quais foi utilizado bitrate maior ao empregado no Blu-ray finalizado de 300. Cabe ressaltar que recentemente 300 foi relançado em Blu-ray nos EUA na versão 300 – THE COMPLETE EXPERIENCE, que apesar de incrementar os extras e vir embalada em um bonito digibook, novamente não possui legendas ou áudio em português e traz a mesma transfer deste. Mas de qualquer maneira, do jeito que está, temos em Blu-ray uma reprodução bem fiel da imagem que vimos nos cinemas.

Se a questão da imagem pode gerar debates, há menos espaço para discussões no que se refere ao áudio deste Blu-ray de 300, em exuberante Dolby TrueHD 5.1 (48kHz/16-bit), que é de cair o queixo (ou ouvidos) em especial nas cenas de batalha. A clareza e a fidelidade, em todo o alcance dinâmico do som, são elevadíssimas, e os graves são agressivos. Nos momentos de ação os efeitos surround nos atacam com toda a força, enquanto nos intimistas eles discretamente constroem uma ambientação imersiva. O diálogo (todo dublado, já que não houve captação direta de som) sempre é nítido e bem balanceado. Também foi disponibilizada uma faixa de áudio em inglês Dolby Digital 5.1, a mesma do DVD original, além de outras dublagens multicanal, inclusive português do Brasil. As várias opções de legendas e menus também incluem nosso idioma.


OS EXTRAS
Os extras deste BD de 300 incluem todo o material que fora disponibilizado no DVD duplo, sendo que os principais estão em definição 1080p (HD), áudio 2.0 e legendas em português. Já a edição 300 – THE COMPLETE EXPERIENCE, há pouco lançada apenas nos EUA, agrega ao material abaixo recursos que melhor exploram a capacidade do formato, como duas faixas PIP acessáveis durante o filme.

  • Comentários em áudio com o diretor Zach Snyder, o roteirista Kurt Johnstad e o diretor de fotografia Larry Fong – Os comentários (infelizmente não legendados em português) são dominados por Snyder, que aqui está mais contido do que nos comentários do seu MADRUGADA DOS MORTOS. Ele trata de vários aspectos relevantes da produção, mas de forma um tanto fria e que por vezes beira o tédio. Mais descontração e animação cairiam bem;

  • 0s 300 - Fato ou Ficção? (HD, 24 min.) – Ótimo documentário que trata dos mitos e fatos históricos relativos aos 300 de Esparta. Temos depoimentos de historiadores, que também tratam de eventos não mostrados no filme, e de Snyder e Miller - este ressalta "nunca ter sido acusado de ser realista";

  • Quem Eram os Espartanos? Os Guerreiros de 300 (HD, 4 min.) – Espécie de complemento do documentário anterior, este featurette inclui depoimentos do elenco;

  • Preparando-se para a Batalha: As Gravações Extras de Teste (HD, 7 min.) – Featurette que detalha os esforços de Snyder para aprovar o projeto, desde a primeira apresentação, narrada por Scott Glenn e criada no Photoshop a partir dos quadrinhos originais da graphic novel, até o curta totalmente finalizado feito para convencer os executivos de que 300 era um filme viável;

  • As Gravações de Frank Miller (HD, 14 min.) – Colaboradores e colegas de Frank Miller falam sobre o cativante trabalho do artista, que também dá seu depoimento;

  • Making Of de 300 (SD, 5 min.) – Quem espera um longo documentário sobre a produção, irá se decepcionar. Este making of não passa de um featurette básico que aborda rapidamente o incrível visual do filme e sua fascinante temática – curto, mas ainda assim interessante;

  • Montando 300 em Imagens (SD, 3 min.) – Montagem na qual uma quantidade considerável de fotos de produção é exibida em rápida sucessão. Interessante, mas por vezes confuso;

  • Webisódios (SD, 39 min.) – Conjunto de 12 featurettes curtos, divulgados na internet antes da estreia do filme. Eles podem ser vistos de uma só vez ou separadamente, focando em aspectos específicos da produção, com cenas dos bastidores das filmagens e depoimentos de membros do elenco. São eles: "Desenho de Produção", "Figurino, "O Trabalho de Cenas de Ação", "Lena Headey", "Adaptando a Novela Gráfica", "Gerard Butler", "Rodrigo Santoro", "Treinando os Atores", "Cultura da Cidade / O Estado Esparta", "Um Relance no Set: Fazendo 300, o Filme", "Análise das Cenas de 300" e "Os Personagens Fantásticos de 300". De especial interesse para nós é o segmento de Rodrigo Santoro, no qual o brasileiro, totalmente à vontade e num inglês fluente, fala sobre a sua estranha caracterização de Xerxes;

  • Cenas Eliminadas (HD, 3 min.) – Temos três pequenas cenas que ficaram de fora da versão final, com comentários do diretor. Duas desenvolvem um pouco mais o personagem do corcunda traidor, e a terceira (bizarra!), mostra o ataque de um arqueiro persa anão, montado num gigante que acaba tendo a perna decepada no combate. Apesar de exagerada, ela é bem concebida e finalizada, e não se admirem se ela aparecer numa futura versão do diretor.

DVDs / BDs COMENTADOS