O SEGREDO DO ABISMO - EDIÇÃO ESPECIAL
Direção: James Cameron
Elenco:
Ed Harris, Mary Elizabeth Mastrantonio, Michael Biehn
Distribuidora: Fox

Duração: 171 min.
Região: 4
Lançamento: 10/10/2001

Nº de discos: 2
Cotações:
Filme:
DVD:

Comentários de
Jorge Saldanha

o filme
Após os grandes sucessos obtidos por O Exterminador do Futuro e Aliens, O Resgate, o cineasta James Cameron pôde finalmente levar à tela um complicado projeto que acalentava há anos: The Abyss. As complicações decorriam, basicamente, de uma trama que era uma espécie de 2001, Uma Odisséia no Espaço combinada com Contatos Imediatos do Terceiro Grau em um ambiente submarino, o que exigiria longos períodos de filmagens com elenco e equipe utilizando equipamentos de mergulho. Tendo a Fox dado sinal verde ao projeto, o detalhista Cameron construiu cenários em escala natural em um imenso tanque de uma usina nuclear desativada, e a partir daí todos, sem exceção, tiveram de "molhar os pés". Não demorou para que as difíceis condições de trabalho gerassem atritos entre o diretor, a equipe técnica e os atores. Para piorar, os atrasos e os crescentes custos de produção não agradaram em nada à Fox. O resultado, após quase três anos de produção, foi a obra mais pessoal e truncada do diretor, que não foi bem recebida nas bilheterias americanas. O filme inicia quando um "OSNI" (Objeto Submarino Não-Identificado) quase se choca com o submarino nuclear norte-americano USS Montana, que naufraga e fica à beira de uma fossa abissal. Um grupo de petroleiros, que trabalha ali por perto na plataforma submersível Deepcore, é convocado para resgatar possíveis sobreviventes do naufrágio. O ambiente não é muito bom, já que o comandante (Ed Harris) está se divorciando da engenheira de bordo (Mary Elizabeth Mastrantonio). Ao chegar perto do submarino naufragado, o grupo descobre indícios de que formas de vida avançadas e desconhecidas vivem no abismo. Para piorar, o psicótico fuzileiro naval Michael Biehn, achando que foram os soviéticos que afundaram o submarino Montana, resolve detonar um dispositivo nuclear na fenda. Após muitos confrontos Harris decide
descer pela fenda para desativar a bomba, utilizando-se de um equipamento que faz com que respire um líquido especial, o que lhe permitirá atingir enormes profundidades. Após a longa descida, Harris descobre que não poderá retornar, já que sua reserva de oxigênio está no fim - e o elemento extraterrestre da trama, até então secundário, passa a dominar a parte final da história. Cameron fez um filme com momentos de suspense, que conta com boas interpretações dos atores, a ótima trilha de Alan Silvestri e efeitos de computação gráfica da ILM de George Lucas, à época inéditos e que seriam melhor desenvolvidos em O Exterminador do Futuro 2. A causa principal do fracasso do filme nas bilheterias foi atribuída à sua conclusão, uma espécie de anti-clímax no qual as ações e motivações dos aliens (e o próprio relacionamento do casal de protagonistas) não eram muito bem estabelecidas, em virtude dos cortes que o estúdio efetuou para diminuir os custos da produção. Felizmente, em 1992 Cameron convenceu a Fox a liberar recursos para que fossem restaurados 26 minutos de cenas que haviam ficado de fora da montagem, muitas das quais necessitaram ser finalizadas com efeitos da ILM de George Lucas. Com elas o filme cresceu, e não apenas em sua duração. Elas aprofundam o relacionamento do casal, acentuam a tensão da crise política que se desenrola na superfície, adicionam momentos espetaculares (as ondas gigantescas aproximando-se do litoral) e tornam a conclusão do filme bem mais satisfatória.

O DVD
Este DVD, originalmente, estava para ser lançado pela FOX do Brasil no início de 2001, e acabou chegando às lojas apenas no mês de outubro daquele ano. Na época foi um lançamento ambicioso, já que ainda não eram tão comuns edições especiais duplas reunindo tantos recursos e material extra. A original norte-americana, lançada em 2000, baseou-se na edição especial do filme em laserdisc, que incluía as duas versões do filme (a de cinema e a estendida) e, nos extras, montes de material adicional, inclusive em texto. Pelo jeito, para a Fox brasileira, este lançamento em DVD tornou-se tão complicado quanto a produção do filme em si. Depois de meses de atraso, o DVD foi lançado com pelo menos uma lamentável omissão e um erro grotesco na embalagem – perdemos a versão original de cinema, de 145 minutos, porém na capa é informado que a edição especial contém as duas versões! Pelo jeito as embalagens já estavam prontas quando, por alguma razão técnica, a Fox optou por eliminar a versão original do filme. Já a versão estendida com 171 minutos, restaurada e remasterizada digitalmente para a versão em laserdisc, possui ótima qualidade de imagem, com um balanço perfeito das cores, contraste excelente e sem qualquer granulação ou artefatos de compressão perceptíveis. Infelizmente, para o lançamento em DVD a Fox não investiu em uma nova transferência anamórfica, utilizando a mesma transferência letterbox 2.35:1 do laserdisc. O que significa que, se o filme for assistido em um televisor 16:9 (wide), além da sua imagem ficar muito esticada e com largas tarjas pretas acima e abaixo, ao se tentar ajustar melhor a imagem as legendas poderão ficar mal posicionadas na tela. O que é uma pena, já que o DVD possui certificação THX de som e imagem – o que nos permite apenas imaginar o nível de excelência que seria obtido com uma transferência anamórfica. Quanto ao áudio, a única faixa disponível é no idioma inglês, em Dolby Digital 5.1. A mixagem dos vários elementos (música, efeitos sonoros, vozes) é perfeita, os diálogos sempre são claros e a ambientação é, apropriadamente, imersiva, com efeitos surround muito bem utilizados. As legendas, brancas, estão disponíveis em português (há erros de grafia e tradução), inglês e espanhol. A embalagem é a nossa conhecida Amaray transparente para dois discos, e os menus animados reproduzem o interior da plataforma submarina.

OS EXTRAS
Neste departamento, a primeira coisa que notamos é a ausência, hoje quase que obrigatória em lançamentos deste porte, de comentários de áudio. No lugar, temos apenas comentários de texto exibidos durante o filme, com muitas informações sobre a produção, mas que a Fox não se deu ao trabalho de traduzir. Estes comentários podem ser acionados através do menu de legendas ou diretamente pelo controle remoto do player. Também não foram traduzidos os muitos textos encontrados na seção "Armários da Tripulação" (disco 2), que são extensas notas sobre seis itens específicos da produção e informações sobre elenco e membros principais da equipe. Mas é nas outras seções do disco 2 que encontramos os extras mais interessantes. Na "Estação de Imagens", temos nove featurettes de efeitos especiais e produção, escolha de ângulos na cena do tentáculo de água, uma gigantesca galeria contendo 773 fotos, desenhos e storyboards e todo o roteiro original em inglês (na versão inicial e na definitiva). Em seções à parte, temos três trailers, um featurette de bastidores com dez minutos e, por fim, o melhor extra: o documentário de 59 minutos Sob Pressão: A Realização de O Segredo do Abismo. Este é considerado, ainda hoje, um dos melhores making ofs já produzidos, por acuradamente retratar os imensos desafios e dificuldades logísticas enfrentados por Cameron, como as sofridas filmagens no tanque inundado. Felizmente a Fox legendou em português os principais extras do disco.


CONCLUSÃO
Infelizmente nosso mercado ainda hoje possui lançamentos deste tipo - imperdíveis por um lado, por outro sujeitos a uma série de críticas. É um DVD essencial para os fãs do diretor que, anos depois, declararia no Oscar que era o "Rei do Mundo". Mas que peca por não trazer o filme em formato anamórfico, por não ter a versão de cinema que possuía a edição lançada na Região 1, por também não incluir alguns extras que possuía a edição norte-americana (como material e jogos para DVD-Rom), por não terem sido legendados todos os extras, por ter faltado capricho nas legendas do filme...

DVDs COMENTADOS