QUADRILOGIA ALIEN - cont.


Alien 3 (1993). Dirigido por David Fincher. Elenco: Sigourney Weaver, Charles Dance, Charles S. Dutton, Lance Henriksen. Extras: Introdução do diretor Terry Rawlings e equipe para a versão original do cinema, Galeria de Fotos, Cenas Multiângulos, Galeria de Storyboards, Pré-produção, Produção e Pós-produção. Formato de Tela: WideScreen. Legendas: Inglês, Português, Espanhol. Idiomas: Inglês, Português, Espanhol (Versão do Cinema); Inglês (Versão Estendida). Áudio: (Inglês) Dolby Digital 5.1, (Espanhol) Dolby Digital 2.0 Surround, (Português) Dolby Digital 2.0 Stereo (Versão do Cinema); Inglês Dolby Digital 5.1 (Versão Estendida). Duração: 114 minutos (Versão do Cinema); 144 minutos (Versão Estendida). Cotação: Filme ***½, DVD ****½
Depois do enorme sucesso de Aliens em 1986, Alien 3, lançado somente em 1993 após vários problemas de produção, decepcionou nas bilheterias. Se no primeiro filme a intervenção criativa de várias pessoas resultou em sucesso, no terceiro as diferentes visões contrastantes causaram vários problemas. As dificuldades começaram já na definição da história e elaboração do roteiro, e ao final, Vincent Ward (Navigator, Uma Odisséia no Tempo), que fora inicialmente contratado para escrever e dirigir o filme,  foi creditado como autor da história, e como roteiristas, David Giler, Walter Hill e Larry Ferguson. Porém, a verdade é que muito pouco do roteiro inicial de Ward foi aproveitado. O diretor David Fincher (Seven, O Clube da Luta) teve sérias desavenças com a Fox, e a versão final foi profundamente alterada pelo estúdio - para pior. Chegando às telas, nem o grande visual, a direção de arte, a ótima trilha de Elliot Goldenthal ou a interessante versão quadrúpede do Alien foram suficientes para agradar os fãs e atrair o público em geral. Após a fuga ao final de Aliens, a nave de Ripley (Weaver) cai em Florina 161, um inóspito planeta low-tech habitado por ex-presidiários vindos de prisões de segurança máxima. Ripley é a única que sobrevive à queda, passando a conviver com os ex-detentos, que são uma espécie de monges do espaço que fizeram voto de castidade. Ou seja, a “paz de espírito” da turma é quebrada pela chegada da tenente. O medo de Ripley de que um Alien estivesse a bordo de sua nave é confirmado quando corpos mutilados começam a surgir nos túneis da instalação. E pior, além de careca (o planeta é infestado por piolhos e todos tem que raspar a cabeça) ela descobre que está impregnada com uma Rainha Alien, e que uma equipe da Weyland-Yutani está a caminho para levá-la à Terra e utilizar a Rainha para fins bélicos.
Quando soube do lançamento das versões estendidas destes filmes, a primeira coisa que me veio à cabeça foi: trinta minutos a mais em Alien³, vai ficar muito chato... Por anos se falou dos conflitos que David Fincher teve com o estúdio e das muitas cenas que ficaram na sala de edição. Dado o resultado final - um filme de produção caótica que frustrou criativamente o diretor e, também, os fãs da série, havia a esperança de que, algum dia, o filme fosse lançado em uma nova montagem, mais fiel à visão original de Fincher. Bem, finalmente temos aqui duas versões separadas do filme - a original de 114 minutos, e uma Versão Estendida de 144 minutos que, ressalte-se, não foi montada pelo diretor. Fincher até foi convidado para montar a nova versão e participar da produção do DVD, mas demonstrando que certos eventos não foram esquecidos, ele não quis envolver-se no projeto. Dizem, contudo, que ele aprovou a versão que o produtor do DVD, Charles de Lauzirika, montou em 2003 com base no roteiro original, em uma primeira cópia de trabalho, notas do diretor e do montador e outros registros da produção. Ou seja, essa versão inclui todas as cenas que constavam na primeira montagem de Fincher e que posteriormente foram cortadas pelos executivos do estúdio. Vários efeitos visuais foram feitos usando CGI para finalizar determinadas cenas, utilizando-se storyboards e outras referências deixadas por Fincher a fim de chegar aonde o cineasta pretendia. O filme chega de fato a melhorar, não fica mais chato e possíbilita que tenhamos uma idéia do filme que o diretor realmente queria fazer: a atmosfera é mais densa, os personagens são melhor explorados e há mais tensão. Nos trinta minutos de cenas inéditas, há novas e detalhadas tomadas logo ao início, mostrando Clemens encontrando o corpo de Ripley na praia e o resgate da cápsula de fuga. Segue a versão original do “nascimento” do alien, na qual ele sai de um boi e não de um cão, e uma nova sub-trama, na qual os apenados conseguem capturar a criatura, que posteriormente é libertada por Golic, e uma outra versão do final, mais longa e na qual não vemos a Rainha Alien. Há também algumas adições e extensões de cenas menores. A qualidade da imagem de ambas as versões, em widescreen anamórfico, é ótima, graças à nova transferência em alta definição. O áudio em Dolby Digital 5.1 é extremamente atmosférico, mas infelizmente, assim como ocorreu no disco de Aliens, não foi possível disponibilizar uma faixa DTS. O principal extra do disco 1 é uma faixa de comentário em áudio com o câmera Alex Thomson, o montador Terry Rawlings, os técnicos em efeitos Alec Gillis, Tom Woodruff, Jr. e Richard Edlund, e os atores Paul McGann e Lance Henriksen. Como se pode notar, a ênfase vai para os aspectos técnicos e efeitos visuais, sendo omitidos os problemas de Fincher com o estúdio. No disco seguinte, novamente temos uma série de featurettes legendados - 11 - que juntos formam um grande documentário, O 'Making Of' de Alien 3. Neles ouvimos do próprio Vincent Ward como seria seu bizarro filme - os monges habitariam um planetóide artificial coberto de madeira. Assistindo a esse material fica claro que o projeto de Alien 3 já nasceu condenado, graças à insensatez dos executivos que marcaram a data da estréia do filme sem nem ter idéia de qual seria sua história. E Fincher, quando assumiu sua primeira direção de um filme, teve simplesmente de administrar o caos, sem nem ter um roteiro pronto para filmar - a confusão foi tanta que, após ser montado um primeiro copião de três horas de duração, se descobriu que várias cenas importantes simplesmente não haviam sido filmadas, e foi necessário convocar novamente Sigourney Weaver - cujo cabelo já havia crescido - para as tomadas adicionais. É de se lamentar que não haja qualquer depoimento de Fincher, que aparece apenas em cenas gravadas durante as filmagens. Um monte de gente fala sobre o filme e seu trabalho, mas não temos a própria opinião do diretor a respeito dos fatos. Ainda assim, os fãs terão muito com o que se distrair: depoimentos de Vincent Ward, H. R. Giger trabalhando em seu estúdio para dar um novo visual à criatura, Elliot Goldenthal falando sobre o processo de composição da trilha original, galerias de fotos, storyboards, e muito mais.

Alien - A Ressurreição (1997). Dirigido por Jean-Pierre Jeunet. Elenco: Sigourney Weaver, Winona Ryder, Ron Perlman, Brad Dourif. Extras: Introdução para a Versão Estendida, Comentário em áudio do diretor Jean Pierre Junet e equipe para a Versão do Cinema, Galeria de Fotos, Cenas Multiângulos, Galeria de Storyboards, Documentário, Pré-produção, Produção e Pós-produção. Formato de Tela: WideScreen. Legendas: Inglês, Português, Espanhol. Idiomas: Inglês, Português, Espanhol (Versão do Cinema); Inglês (Versão Estendida). Áudio: (Inglês) Dolby Digital 5.1 / 5.1 DTS, (Espanhol, Português) Dolby Digital 2.0 Surround (Versão do Cinema); Inglês Dolby Digital 5.1 / 5.1 DTS (Versão Estendida). Duração: 108 minutos (Versão do Cinema); 116 minutos (Versão Estendida). Cotação: Filme ***, DVD ****½
Após as críticas a Alien 3, os produtores resolveram fazer um novo capítulo mesclando as melhores qualidades dos dois primeiros filmes, e foi com isso em mente que Joss Whedon (criador de Buffy, A Caça-Vampiros) escreveu o roteiro. Buscando manter as distinções visuais e de estilo da série, o francês Jean-Pierre Jeunet (Delicatessen) foi escolhido para dirigir o que até então era chamado Alien 4. O diretor não abriu mão de trabalhar com a sua equipe habitual francesa, fazendo com que no mesmo filme trabalhassem duas equipes distintas, sem que nenhuma falasse a língua da outra. O roteiro de Whedon tomou certas liberdades com o conceito já estabelecido na série, e o resultado, somado a algumas cenas excessivamente violentas, tornou este o filme mais polêmico da série, e também o que fez menos sucesso. Duzentos anos após Ripley (Weaver) ter morrido lutando contra o alienígena, um grupo de cientistas a bordo da nave de pesquisa Auriga consegue clonar a ela e a Rainha Alien, a partir de amostras de seu sangue. A intenção era gerar a arma definitiva, mas Ripley reserva algumas surpresas, já que agora seu corpo também possui DNA alienígena. Um grupo de mercenários a bordo da nave Betty, entre os quais está a jovem mecânica Call (Winona Ryder), chega à Auriga com mais um carregamento de seres humanos para serem utilizados como hospedeiros dos Aliens. Porém, não demora muito para que os monstros nascidos dos ovos da Rainha escapem e passem a caçar os tripulantes da Auriga, da Betty e a própria Ripley. No entanto, entre ela e os alienígenas se estabelece uma estranha conexão, que culmina com o aparecimento do “Recém-Nascido”, um híbrido humano/alienígena.
A Versão Estendida é 8 minutos mais longa que a original, inclui uma abertura alternativa que assistimos durante os créditos iniciais, e um final onde a nave Betty pousa na Terra, próximo a uma Paris em ruínas. Jeunet colocou versões mais longas de algumas cenas, e outras que dão uma nova dimensão aos personagens. A melhor é uma seqüência quase no início do filme, onde os cientistas mostram à renascida Ripley a fotografia de uma criança, o que lhe traz de volta tristes memórias da garota Newt. Também, a cena de Ripley e Call na Catedral recebeu inserções. As melhorias em Ressurreição não são grandes, mas são curiosas e até ajudam a delinear melhor a história - pena que o "inseto alien" da abertura alternativa recebeu uma finalização pobre em CGI. As 2 versões são apresentadas em widescreen anamórfico, e receberam novas transferências em alta definição. No entanto, eventualmente percebemos diferenças de qualidade de imagem entre uma cena e outra, o que é de estranhar já que este é o filme mais recente da série. Quanto ao áudio, há uma sólida faixa em Dolby Digital 5.1, e uma DTS 5.1 de qualidade similar. Optando por assistir a Versão Estendida, temos uma introdução de Jeunet, que explica não ser esta uma verdadeira “versão do diretor”, mas uma nova edição que irá divertir os fãs. As 2 versões contam com um novo comentário de áudio com as participações do diretor Jean-Pierre Juenet, o montador Hervè Schneid, os responsáveis pelos efeitos das criaturas, Tom Woodruff, Jr. E Alec Gillis, o supervisor de efeitos visuais Pitof, o artista conceitual Sylvain Desperetz, e os atores Ron Pearlman (Blade II, Hellboy), Dominigue Pinon e Leland Orser. No disco 2, abrangendo 3 seções, temos 10 featurettes que, novamente, formam um longo documentário, Um Passo Além: O 'Making Of' de Alien: A Ressurreição. Em Produção temos o featurette A Morte vem de Baixo: Fox Studios, Los Angeles, 1996, o mais longo do disco, que mostra como foram feitas as complicadas filmagens debaixo d’água, envolvendo os atores e Tom Woodruff, Jr. vestido de alien. Entre a enorme quantidade de material, também encontramos, na Pós-Produção, o segmento Composição Genética: Música, um featurette que mostra o trabalho do compositor John Frizzell, onde assistimos cenas da orquestra no estúdio de gravação e o compositor falando sobre como encarou o projeto - que, diga-se de passagem, resultou na mais fraca trilha sonora da série.


Disco Extra - Cotação: DVD ****
Completando o pacote, temos um disco que é uma espécie de arquivo de material que havia sido disponibilizado em versões anteriores dos filmes, em laserdisc ou DVD. Mesmo assim, nele não serão encontrados a entrevista com James Cameron de Aliens, os featurettes originais de Alien³ e Alien Resurrection, bem como os documentários The Alien Legacy e The Alien Saga. Em compensação, temos, por filme:
Alien - documentário A Evolução de Alien - O 8º Passageiro (64 min.), Experimente o Terror, featurette promocional de 1979 (7 min.), Ridley Scott Perguntas e Respostas (15 min.), todo o material da edição especial em laserdisc de 1992, 2 trailers de cinema e 2 spots de TV;
Aliens - todo, o material da edição especial em laserdisc de 1991, trailer teaser, trailer de cinema, trailer americano, trailer internacional, spot de TV;
Alien³ - Featurette promocional (3 min.), 5 trailers de cinema e 7 spots de TV;
Alien Resurrection - Trailer teaser, trailer de cinema, 4 spots de TV.
Finalmente, no Material Adicional, temos Aliens no Porão: A coleção de Bob Burns (ótimo featurette de 17 min. onde conhecemos a coleção de Bob Burns, que foi encarregado pela Fox de armazenar e cuidar da maioria dos objetos e figurinos vistos nos filmes da série), Galeria de Capas da Dark Horse, DVD-ROM (inclui weblinks e comparações roteiro/filme).

VOLTA PARA ALIEN - O OITAVO PASSAGEIRO E ALIENS - O RESGATE

Jorge Saldanha
DVDs COMENTADOS