CONAN, O BÁRBARO - EDIÇÃO ESPECIAL
Direção: John Millius
Elenco:
Arnold Schwarzenegger, James Earl Jones, Sandahl Bergman,
Gerry Lopez
Distribuidora: Fox
 

Região: 4

Lançamento: 2002

Nº de discos: 1
Cotações:
Filme:
DVD:

Comentários de
Jorge Saldanha

O personagem mais célebre criado pelo escritor Robert E. Howard foi o bárbaro guerreiro Conan, que de seus livros passou para os quadrinhos da Marvel e, posteriormente, para o cinema e a TV. As duas aventuras de Conan estreladas por Arnold Schwarzenegger (a terceira está em fase de pré-produção, e deverá ter novamente o austríaco no papel principal) foram lançadas no mercado nacional pela Fox, em edições especiais. A ocasião é um bom momento para se constatar como o cinema de entretenimento norte-americano degradou-se nos últimos anos, tornando-se formuláico e privilegiando a ação descerebrada. Tomemos por exemplo O Escorpião Rei, filme de temática similar com 20 anos separando-o deste primeiro Conan. Não há comparação possível, já que "defeitos" atribuídos ao filme do diretor John Millius à época de seu lançamento, em 1981 - violento demais, apenas mais um filme de magia e espada - podem hoje ser considerados méritos face à assombrosa pasteurização, falta de imaginação e infantilização cinematográfica.

Conan, O Bárbaro, inicia em uma pequena vila da fictícia Ciméria, onde o menino Conan ouve seu pai, fabricante de espadas, falar sobre o Deus Crom e o Enigma do Aço. Após este breve momento de tranqüilidade, um grupo de guerreiros liderados pelo feiticeiro Thulsa Doom (James Earl Jones, ótimo como sempre), líder do culto de Set (Adoradores da Serpente), ataca a vila e mata os pais de Conan. O garoto é capturado, vendido como escravo, e quinze anos depois, tendo desenvolvido um físico excepcional, torna-se um gladiador invencível. Após ser libertado por seu dono, Conan sai pelo mundo e, em suas viagens, conhece o arqueiro Subotai (Gerry Lopez), o mago Akiro (Mako) e Valéria, a Rainha dos Ladrões (Sandahl Bergman), que será seu grande amor. Com seus companheiros, Conan deverá enfrentar o vilão, vingar a morte de seus pais e desvendar o Enigma do Aço. Além de dirigir, John Millius colaborou no roteiro, originalmente escrito por Oliver Stone (Platoon), que continha muitas cenas violentas, e inclusive, um pouco de sexo e nudez. Muito permaneceu no filme, o que chocou quem esperava mais uma leve adaptação de um herói dos quadrinhos.

O DVD apresenta vários extras (legendados em português), como cenas eliminadas (em uma, o próprio John Millius é um vendedor de "lagarto no espeto"; noutra, Schwarzenegger é mordido no pé e derrubado por dos cães-lobos do filme), trailers, fotos e desenhos de produção e comentários em áudio do diretor John Millius e de Arnold Schwarzenegger. Mas o destaque é o ótimo making of  "Conan Desencadeado", gravado em 2000, onde foram reunidos depoimentos dos principais envolvidos no filme - Millius, Stone, Schwarzenegger, Bergman, Dino Di Laurentiis, Max Von Sydow, etc. De especial menção é o fato de que boa parte é dedicada a Basil Poledouris comentando aspectos da sua antológica trilha sonora, inclusive a inesperada colaboração de sua filha Zöe (à época, com apenas 9 anos!) na música para a cena da orgia. O filme é apresentado no formato widescreen anamórfico, e inclui uma nova trilha de áudio em Dolby Digital 5.1, que destaca principalmente a partitura musical, sem dúvida a maior obra de Poledouris até hoje.

DVDs COMENTADOS