COLEÇÃO DIRTY HARRY
Direção: Vários
Elenco:
Clint Eastwood
Distribuidora: Warner
Região: 4
Lançamento: 2002

Nº de discos: 5
Cotações:
Filme:
DVD:

Comentários de
Jorge Saldanha

Clint Eastwood é, para dizer o mínimo, um ícone do cinema norte-americano. Desde a sua estréia fazendo pontas em filmes de monstros dos anos 50, passando por sua revelação nos spaghetti westerns de Sergio Leone (como o inesquecível Pistoleiro Sem Nome) e até chegar à consagração como diretor de prestígio, Eastwood sempre impressionou por seu carisma, talento como ator (sim, não confundi-lo com outros astros de ação canastrões que lhe sucederam) e presença física marcante. E para grande parte de seus fãs, o ator/diretor será principalmente lembrado por seu papel como Harry "O Sujo" Callahan, o policial durão de São Francisco protagonista de uma série de 5 filmes iniciada em 1971, que utiliza uma poderosa pistola Magnum calibre 44. A maior parte dos filmes de Eastwood já estava disponível em DVD (a própria Warner já lançara a "Coleção Clint Eastwood"), e com a "Coleção Dirty Harry" todos os filmes desta série policial clássica chegam ao mercado brasileiro.

No primeiro filme, Perseguidor Implacável (Dirty Harry), dirigido em 1971 por Don Siegel, somos apresentados ao personagem, um policial conhecido por quebrar as regras e utilizar métodos violentos para prender os criminosos. Ao longo do filme descobrimos que Harry é um sujeito inconformado com o sistema legal, que muitas vezes beneficia os criminosos. Seus parceiros via de regra são mortos ou feridos, e ele acaba se preocupando com a segurança do jovem mexicano que foi designado para trabalhar com ele. Segregado por seus superiores, as piores e mais difíceis missões vão para Harry, que ao final demonstra ser o único capaz de capturar o assassino psicopata e seqüestrador Scorpio (Andrew Robinson). A cena em que ele captura Scorpio e o tortura, pisando em sua perna ferida, é forte e antológica. O filme gerou uma grande polêmica devido à violência, ao herói por muitos considerado fascista e, principalmente, por discutir a justiça norte-americana.

Mas também fez muito sucesso, e Harry Callahan retornou em Magnum 44 (Magnum Force, 1973, direção de Ted Post). Desta vez, Dirty Harry vê-se face a face com um grupo de jovens policiais que, a exemplo do que ocorreu no Brasil nos anos 60 (fato inclusive mencionado no filme), integram uma espécie de "Esquadrão da Morte" que começa a eliminar os chefões do crime (que, graças a artifícios legais, sempre escapam da Justiça). O filme, roteirizado por John Millius e Michael Cimino, possui muitas cenas de violência, é genial ao fazer Harry confrontar colegas que são versões mais jovens dele mesmo, e surpreende ao colocá-lo em defesa do sistema. Outro mérito do filme foi revelar jovens atores como David Soul e Robert Urich, que protagonizaram respectivamente as séries de TV Starsky & Hutch e Vega$.

Em Sem Medo da Morte (The Enforcer, 1975), Harry retorna mais humanizado e um pouco mais bem-humorado, tendo que enfrentar um dos seus maiores desafios - uma parceira mulher (Tyne Daly). Além disso, deve resgatar o prefeito de São Francisco, que fora raptado e levado para a prisão abandonada de Alcatraz.

Bem melhor é Impacto Fulminante (Sudden Impact, 1983, também dirigido por Eastwood), onde Harry, sempre em conflito com a chefia, investiga uma série de assassinatos cujas vítimas, todos homens, receberam disparos em seus órgãos genitais. Os crimes são cometidos por uma mulher (Sondra Locke, ex- Mrs. Eastwood) que, juntamente com a irmã, fora violentada anos antes pelas vítimas. Em sua investigação, Harry vai para uma pequena cidade no interior da Califórnia e lá conhece a criminosa, com quem acaba se envolvendo romanticamente. Neste filme volta-se a discutir com mais ênfase as falhas do sistema legal e a Justiça feita com as próprias mãos.

Dirty Harry na Lista Negra (The Dead Pool, 1988, dirigido por Buddy Van Horn) é o último filme da série. Um assassino está eliminando celebridades que constam de uma lista feita por um famoso diretor de filmes de terror (Liam Neeson). O diretor surge como suspeito nº 1, e Harry, que agora possui como parceiro um jovem chinês, logo descobre que também faz parte da lista. Apesar de ser o filme mais convencional de toda a série, ele agrada por ter boas cenas de ação, inclusive uma divertida cena de perseguição automobilística que homenageia a cena antológica de Bullit, mas com um detalhe: o carro perseguidor é um pequeno modelo explosivo, guiado por controle remoto. Como curiosidade, vemos Jim Carrey em um de seus primeiros papeis, como um astro do rock viciado em drogas.

A série Dirty Harry, apesar de ter perdido muito de seu impacto inicial ao longo dos anos, é um marco no gênero policial, tendo dado origem a vários filmes e programas de TV de temática semelhante, e alguns bordões do personagem, como "Do you feel lucky, punk?" ou "Go ahead, make my day", já fazem parte da cultura pop. Todos os DVDs da "Coleção Dirty Harry" foram remasterizados, com formato de tela em widescreen anamórfico e áudio em Dolby Digital 5.1 (que destaca as antológicas e jazzísticas trilhas sonoras de Lalo Schifrin e Jerry Fielding). Além dos trailers de cinema, presentes em todos os títulos, apenas Perseguidor Implacável, Magnum 44 e Sem Medo da Morte receberam extras adicionais, como making of inédito, entrevistas e pequenos featurettes feitos à época dos lançamentos originais.

DVDs COMENTADOS