ENCURRALADO
Direção: Steven Spielberg
Elenco:
Dennis Weaver, Lucille Benson, Eddie Firestone, Carie Loftin
Distribuidora: Universal
Duração: 89 min.

Região: 4

Lançamento: Novembro/2005

Nº de discos: 1
Cotações:
Filme:
DVD:

Comentários de
Jorge Saldanha

O FILME
David Mann (Dennis Weaver) é um sujeito comum, dirigindo seu sedan vermelho em uma viagem de negócios. Mas ele nem imaginava o pesadelo que passaria a viver, após ultrapassar um velho caminhão tanque que bloqueava sua passagem. O enorme veículo, dirigido por um motorista de quem ele nunca vê o rosto, passa a persegui-lo e tenta jogá-lo para fora da estrada. Mann percebe que está lidando com um homicida, e busca de todas as maneiras deixar o caminhão para trás. Porém, quando ele menos espera, o caminhão surge atrás de seu carro, colocando-o em diversas situações mortais. Percebendo que fugir é inútil, Mann decide enfrentar o motorista psicopata.

Após dirigir episódios de várias séries de TV entre 1969 e 1970, o então muito jovem Steven Spielberg teve sua grande chance ao dirigir o telefilme Encurralado (Duel, 1971). A produção foi baseada num conto do escritor Richard Matheson (autor de 16 episódios da versão original da série Além da Imaginação e roteirista dos filmes de Roger Corman baseados em Edgar Allan Poe) e estrelada por Dennis Weaver, à época conhecido como o protagonista da série McCloud. Praticamente todo filmado em locação e com apenas Weaver na tela, o resultado mostrou ser um curto (menos de 80 minutos) mas excepcional exercício de suspense, do tipo que raramente é visto na TV. O resultado, musicado por uma enervante trilha sonora de Billy Goldenberg, ficou tão bom que a Universal decidiu lançar o telefilme internacionalmente nos cinemas, e Spielberg foi convocado para filmar duas cenas adicionais que fizessem Duel ficar com uma duração próxima dos 90 minutos: aquela onde o caminhão empurra o carro de Mann para a linha do trem, e a do ônibus escolar. O esforço adicional compensou: Encurralado recebeu excelentes críticas, principalmente na Europa, onde as alegorias do tipo Homem x Máquina ou Oprimido x Opressor andavam muito em voga, e garantiu ao diretor seu ingresso no mercado cinematográfico. Após seu filme de estréia Louca Escapada, de 1974, um outro road movie mas de tom e gênero distintos, Spielberg dirigiu em 1975 Tubarão – e o resto é história. Encurralado acabou dando origem a uma série de filmes semelhantes, como A Morte Pede Carona (1986), e inspirou seqüências de perseguição com caminhões, como as vistas na série O Exterminador do Futuro. O Spielberg de Encurralado ainda era experimental, mas já provava possuir o amplo domínio da linguagem cinematográfica que o consagrou, poucos anos depois, como o principal diretor do “cinemão” norte-americano.

O DVD
Está difícil entender o comportamento da Universal no mercado nacional. Aquela que já foi uma distribuidora modelo de DVDs no Brasil, tem comprometido sua imagem com uma política de lançamentos que vem gerando uma série de críticas dos consumidores. Causas: DVDs “pelados” e de qualidade tacanha com o selo Studio Canal (masters PAL convertidas para NTSC), falta de dublagem em português em alguns boxes de séries antigas de TV, casos que só podem ser considerados como propaganda enganosa, como a “Versão do Diretor” de Os Espíritos (que na verdade é a mesma versão do cinema com 109 minutos – a do diretor tem 123 minutos - e que não traz nenhum dos abundantes extras da versão R1 da própria Universal), e por aí vai. Para completar, em novembro passado a distribuidora lançou uma série de títulos de catálogo a preços reduzidos, a maioria inéditos por aqui, sem nenhuma divulgação, como este Encurralado, Louca Escapada, Tubarão 3 e 4, Psicose 2, 3 e 4 e O Enigma de Outro Mundo. O detalhe é que estes títulos (pelo menos enquanto escrevia esta resenha), não são encontrados em nenhuma loja virtual, apenas em ofertas de lojas físicas. Será que tal comportamento pretende evitar a discussão sobre a precariedade destes lançamentos? Destes, só me animei a adquirir Encurralado, e pelo menos neste caso a surpresa até foi positiva. Os menus são simples, estáticos, mas a versão nacional é praticamente a mesma “Collector’s Edition” lançada nos EUA em 2004 após sucessivos adiamentos, com uma nova mixagem de áudio 5.1 em Dolby Digital e DTS, e extras. Ela inclui ainda dublagem em português, também 5.1, e a qualidade geral do áudio, se considerarmos que se trata de um filme originalmente feito para a TV e com som mono, é ótima. Não há chiados, os diálogos são bem claros e a espacialidade, principalmente nas perseguições do caminhão, é envolvente. Uma curiosidade: a nova mixagem de áudio multicanal eliminou o rugido de dinossauro feito pelo caminhão no clímax do filme – os efeitos sonoros ficaram mais realistas, mas na minha opinião a produção perdeu um elemento clássico. O filme é apresentado em fullscreen 1.33:1, que é o seu formato original, em uma transferência que não é excepcional mas é clara, limpa e de qualidade muito boa, considerando os quase 35 anos do material. Há legendas em português e inglês.

OS EXTRAS
A versão nacional de Encurralado traz todos os principais extras da “Collector’s Edition” disponível na R1, onde se destacam três featurettes produzidos por Laurent Bouzereau em 2001, legendados em português. Se não são muito abundantes e longos, pelo menos os extras possuem um interessante conteúdo sobre a fase menos discutida da carreira de Spielberg – seu início na televisão. Como de praxe nos DVDs do diretor, não há faixa de comentários de áudio:

Conversa com o Diretor Steven Spielberg
- Por mais de meia hora Spielberg fala sobre seus primeiros anos no ramo, relembra as filmagens de Encurralado, fala sobre como o telefilme lhe abriu as portas para o cinema, etc. Muitas informações e detalhes são fornecidos pelo diretor, inclusive sobre algo que sumiu na nova mixagem de áudio do DVD: o rugido de dinossauro utilizado no final, e que surgiu novamente na conclusão de Tubarão como uma espécie de auto-referência;
Steven Spielberg e a Televisão
- Interessante featurette de dez minutos, com depoimentos de Spielberg sobre o seu início como diretor de TV. Apresenta cenas de episódios de algumas das séries que dirigiu: Galeria do Terror, Marcus Welby, Columbo, etc;
Richard Matheson: Escrevendo Duel
– Neste extra de nove minutos, o escritor fala sobre as inspirações da história, sobre como Encurralado surgiu em um conto da Playboy e acabou dando origem ao roteiro para a TV, e lembra a época das filmagens.

Completando os extras, temos um trailer e galeria de fotos e posters.

MENUS

DVDs COMENTADOS