JORNADA NAS ESTRELAS: PRIMEIRO CONTATO (EDIÇÃO ESPECIAL)
Direção: Jonathan Frakes
Elenco:
Patrick Stewart, Brent Spiner, Alice Krige, Jonathan Frakes, Marina Sirtis, Alfre Woodard, James Cromwell, LeVar Burton
Distribuidora: Paramount

Duração: 111 min.
Região: 4
Lançamento: 22/03/2005

Nº de discos: 2
Cotações:
Filme:
DVD:

Comentários de
Jorge Saldanha

o filme - No século XXIV, as criaturas biomecânicas conhecidas como Borgs, os mais poderosos inimigos da Federação, lançam um ataque surpresa à Terra. Antes que consiga causar qualquer dano, a gigantesca nave Borg em forma de cubo é destruída pela Frota Estelar, liderada pela nova Enterprise 1701-E do Capitão Jean-Luc Picard (Patrick Stewart). Contudo, antes de explodir, o cubo lança uma esfera que abre uma fenda temporal que lhe permite voltar ao século XXI. Seguindo o rastro temporal da esfera, a tripulação da Enterprise deverá evitar que os Borgs mudem a história – o que tornaria a Terra, no futuro, um planeta completamente assimilado por eles. Apesar de não ser uma unanimidade entre os fãs, não resta dúvida que Primeiro Contato é, de longe, o melhor longa de Jornada nas Estrelas protagonizado pela tripulação da Nova Geração. Neste filme de 1996, os roteiristas Brannon Braga e Ronald D. Moore se reabilitaram do fraco Generations com uma trama que envolve os melhores vilões da franquia e um acontecimento histórico na cronologia da série: o primeiro vôo em dobra espacial de Zefram Cochrane (James Cromwell), que levará ao primeiro contato da humanidade com uma raça alienígena – os vulcanos. Apesar de sofrer uma queda de ritmo (o filme já inicia com um eletrizante combate especial da Frota estelar contra os Borgs), a trama na maior parte do tempo se sustenta bem, desdobrada em duas frentes de ação que, ao final, irão convergir: na superfície da Terra, o Comandante Riker (Jonathan Frakes) e equipe tentam garantir que Cochrane faça seu vôo histórico a bordo da nave Phoenix; na Enterprise, invadida pelos alienígenas, Picard e Data (Brent Spiner) enfrentam a Rainha Borg (Alice Krige) e seus zangões. Frakes, que na TV já dirigira alguns episódios da Nova Geração, Deep Space 9 e Voyager, fez aqui uma auspiciosa estréia no comando de um longa-metragem. Pena que seus filmes subseqüentes, Jornada nas Estrelas: Insurreição e Thunderbirds, comprovaram que se tratou apenas da proverbial sorte de iniciante. De qualquer maneira, com uma história bem engendrada, ótimos efeitos especiais da Industrial Light & Magic e uma bela trilha original do maestro Jerry Goldsmith, Jornada nas Estrelas: Primeiro Contato é um filme recomendável até para aqueles que não são fãs da série.

O DVD - Como as demais edições especiais da série lançadas pela Paramount, esta é ótima e justifica a troca do DVD simples lançado há alguns anos. O filme é apresentado no seu formato original widescreen anamórfico 2.35:1, com ótima qualidade de imagem. Os níveis de preto, brilho e contraste são corretos, as cores são vivas e sólidas. Apesar de notarmos em alguns momentos, na película, mínimos danos e granulação, a transferência digital não apresenta qualquer artefato de compressão. O áudio em inglês (há dublagem em português e espanhol Dolby 2.0) está disponível tanto em Dolby Digital 5.1 como em DTS 5.1, ambas as faixas são excelentes e superiores à Dolby 5.1 do DVD anterior. Os diálogos são sempre claros e há uma acentuada separação dos canais, criando uma ambientação perfeita que nos coloca no centro das explosões, e por vezes, cercados pelos ruídos eletrônicos dos Borgs. O áudio DTS, como seria de esperar, disso possui mais profundidade e um canal de graves mais potente. Adicionalmente, parece-me que a trilha sonora de Jerry Goldsmith ganha mais destaque e fidelidade no DTS. Temos legendas em português, inglês e espanhol, e os menus animados, como sempre, são excelentes e reproduzem, em CGI, cenas e ambientes do filme.

OS EXTRAS - Quase nada a reclamar neste departamento. Há extras consideráveis nos dois discos, e a Paramount, como de hábito, legendou em português tudo o que era possível (inclusive os comentários de áudio e texto). Se algum reparo há de ser feito, é quanto a irregularidade das legendas em português, que em alguns extras apresentam erros de grafia e tradução. Mas são poucos casos, que não chegam a comprometer a avaliação final. Vamos lá:

Disco 1
Acompanhando o filme temos três tipos de comentários: o primeiro, de áudio, traz o ator/diretor Jonathan Frakes, que por vezes se preocupa mais em fazer graça do que a dar informações relevantes sobre a produção; no segundo, também de áudio, temos comentários mais satisfatórios dos roteiristas Braga e Moore, repletos de detalhes sobre como o roteiro e a história foram desenvolvidos; o terceiro, somente em texto, traz as habituais curiosidades e informações de Michael e Denise Okuda.

Disco 2 
Neste disco temos mais de três horas de material, com legendas em português, inglês e espanhol e áudio Dolby 2.0, e de um modo geral creio que a qualidade destes extras só perde para os de Jornada nas Estrelas: O Filme. Os extras estão divididos em seis categorias principais:

Produção

Fazendo o Primeiro Contato
Featurette de 20 minutos que apresenta entrevistas com o produtor Rick Berman, Jonathan Frakes, Patrick Stewart e outros membros do elenco. Os assuntos incluem a estréia de Frakes na direção de um filme, a interpretação de Alice Krige como a Rainha Borg e Alfre Woodard e James Cromwell falando sobre seus papéis;
A Arte do Primeiro Contato
– Segmento de 16 minutos apresentado pelo ilustrador John Eaves, que trata, entre outros assuntos, dos efeitos visuais da Industrial Light and Magic – ILM (o filme marcou a transição entre o uso de modelos em miniatura e gráficos CGI na série), o desenvolvimento do design da nova Enterprise-E, o design da Phoenix (criada a partir de um míssil Titan real), da nave vulcana, etc.;
A História
Featurette de 15 minutos onde os roteiristas Braga e Moore falam sobre como foi escrever Primeiro Contato;
O Míssil
- O desenhista de produção Herman Zimmerman fala sobre as filmagens no silo de mísseis nucleares desativado no Arizona, que no filme abriga a nave de Cochrane, a Phoenix;
O Disco Defletor
– Neste segmento de 10 minutos temos informações sobre o cenário construído para o confronto com os Borgs que ocorre no casco externo da Enterprise. Nele estão incluídas cenas de bastidores da filmagem;
De “A” a “E”
– Ao contrário do que o nome sugere, este featurette de seis minutos não discute a evolução da nave estelar Enterprise, mas concentra-se no design da nova Enterprise-E e seus cenários.

Análise das Cenas


Montagem da Rainha Borg
– O Supervisor de Efeitos da ILM, John Knoll, analisa a criação da memorável cena na qual a cabeça e a espinha da Rainha Borg desce e se junta suavemente ao resto do corpo;
Lançamento da Cápsula de Fuga
- Alex Jaeger, Diretor de Arte da ILM, mostra como a cena foi criada com o uso de CGI;
A Morte da Rainha Borg
– John Knoll explica como a ILM criou os efeitos visuais para esta seqüência, destacando como a pele do rosto da Rainha foi corroída.

O Universo de Jornada nas Estrelas


Um Tributo a Jerry Goldsmith
– Muitos não sabem, mas o compositor Jerry Goldsmith, que faleceu em 2004, só veio a trabalhar na franquia quando compôs a trilha original de Jornada nas Estrelas: O Filme (1979). A partir de então, seu trabalho foi ouvido em mais quatro filmes e nas séries de TV A Nova Geração e Voyager. Este featurette de 20 minutos é um merecido e às vezes emocionante tributo ao artista que se transformou no ícone musical da série, e nele vemos várias cenas de bastidores de Jerry e seu filho Joel Goldsmith trabalhando na trilha de Primeiro Contato;
O Legado de Zefram Cochrane
- James Cromwell fala sobre a importância do personagem por ele interpretado, Zefram Cochrane, além de sua aparição anterior (como outro personagem) em um episódio da Nova Geração;
Primeiro Contato: Possibilidades
– Este segmento discute a possibilidade da existência de vida extraterrestre e de como seria um primeiro contato. Destaca o projeto SETI e a Sociedade Planetária, que conta com o apoio de vários profissionais da franquia Jornada Nas Estrelas.

A Coletividade Borg


Unimatrix Um
– este segmento mostra a origem e o desenvolvimento dos Borgs na franquia, a partir de seu surgimento no episódio da Nova Geração “Q Who”. Há depoimentos de Patrick Stewart, Brent Spiner, Jonathan Frakes e de Jeri Ryan, que em Voyager interpreta a Borg Babe Sete de Nove;
A Rainha
- Alice Krige nos fala, entre outras coisas, sobre a experiência de ter interpretado a Rainha Borg em Primeiro Contato e no episódio final de Voyager;
Desenhando a Matriz
Featurette dedicado à aparência mais elaborada que os Borgs assumem a partir de Primeiro Contato, além da criação do design da Rainha, do Cubo e da Esfera Borgs.

Arquivos


Storyboards
– Ilustrações feitas para a filmagem de quatro cenas do filme;
Galeria de Fotos
– Várias fotos de produção.

Trailers

Esta seção contém três trailers: o teaser e o trailer do filme, e um trailer da atração “Invasão Borg”, de Las Vegas.

DVDs COMENTADOS