BATTLESTAR GALACTICA: SEGUNDA TEMPORADA
Direção: Vários
Elenco:
Edward James Olmos, Mary McDonnell, Katee Sackhoff, Jamie Bamber, James Callis, Tricia Helfer, Grace Park, Michael Hogan, Tahmoh Penikett, Aaron Douglas, Kandyse McClure, Paul Campbell, Lucy Lawless
Duração: 900 min.
Distribuidora: Universal
Região: 4
Lançamento: 13/12/2006

Nº de discos: 6

Cotações:
Filme:
DVD:

Comentários de
Jorge Saldanha

A SÉRIE
A frota de naves lideradas pela Astronave de Combate Galactica tem que partir do recém descoberto planeta Kobol, em sua fuga dos inimigos cylons. Sobrevivendo ao atentado contra a sua vida, o Comandante da Galactica, Adama (Edward James Olmos), enfrenta uma crise envolvendo a Presidente das 12 Colônias, Roslin (Mary McDonnell), que se considera a líder que conduzirá os sobreviventes até a lendária e há muito tempo perdida 13ª Colônia - a Terra. Implacavelmente caçada pela galáxia por naves-base cylon, a frota ganha um inesperado aliado: a Astronave de Combate Pegasus, mais poderosa e avançada que a Galactica e comandada com mão de ferro pela Almirante Cain (Michelle Forbes). Mas o que a princípio parecia ser a salvação da frota transforma-se em pesadelo, quando um incidente coloca as tripulações das Astronaves uma contra a outra.

A mais aclamada série sci fi dos últimos anos prossegue em sua segunda temporada narrando, com tons muito dramáticos e sombrios, a fuga de seres humanos de outro sistema estelar em busca da Terra, perseguidos por inimigos cibernéticos que, ao adotarem a forma humana, tornaram-se tão imprevisíveis e contraditórios como nós. Por muitas vezes o espectador fica confuso, já que fica bem claro que, ao contrário do que acontecia na série original de 1978, desta vez o plano dos cylons não se limita simplesmente a exterminar o que restou da raça humana. Questões como política e, principalmente, religião, estão na pauta de humanos e cylons, e os dois episódios finais da temporada trazem uma reviravolta que subverte muito do que se mostrou e se pensava até então. O espectador acostumado à linguagem rasa da TV poderá ter dificuldades em acompanhar a trama complexa, e é essencial que assista a todos os episódios na ordem. Aliás, muitos temem que, a exemplo de Lost, o prolongamento excessivo da série prejudique seu desenvolvimento, tornando a trama complicada em excesso e afastando a série demasiadamente de seu conceito original. Em sua primeira temporada a série teve apenas 13 episódios, com um desenvolvimento firme e enxuto de tramas e personagens. Já nesta segunda temporada tivemos 20 episódios, alguns dispensáveis e pecando pelo exagero em situações-limite e no drama. Por sorte, excelentes episódios como “Pegasus”, “Resurrection Ship” (Partes 1 e 2), “Downloaded” e “Lay Down your Burdens” (Partes 1 e 2) abrilhantam a temporada e mantém a diferenciação da série em relação a outras na TV, que há anos não via nada tão adulto e sombrio no gênero. Battlestar Galactica chegou a ser exibida diariamente por um curto período em 2006 pela Rede Record, que simplesmente destruiu a série colocando-a no início da tarde e passando-a fora de ordem, inclusive misturando episódios das primeira e segunda temporadas. A terceira temporada estréia na TV paga em março, pelo canal TNT.

O DVD
A Universal manteve o padrão do box da primeira temporada, exceto que desta vez, no lugar de cinco DVDs numa embalagem disgistak, são seis acondicionados em duas embalagens, uma scanavo - amaray para quatro discos - e uma amaray para 2 discos, envoltas em luva de papelão. A embalagem traz apenas uma sinopse curta e informações técnicas, não há sequer uma lista ou encarte com a relação dos episódios. Pelo jeito a economia na embalagem ajudou a reduzir o custo do box, que mesmo tendo um DVD a mais em relação ao da primeira temporada, teve um preço de lançamento R$ 30,00 mais barato que o anterior. De resto, os episódios mais uma vez estão apresentados no formato fullscreen 1.33:1, com áudio em inglês e português Dolby Digital 2.0 - enquanto nos EUA esta segunda temporada está disponível no formato widescreen 1.78:1 e áudio Dolby Digital 5.1. As legendas estão disponíveis em português e inglês. Também como no box anterior, os episódios não estão divididos em capítulos, portanto cuidado: se você por alguma razão pular para o próximo capítulo, passará para o episódio seguinte. As críticas quanto à imagem e som permanecem as mesmas que fiz na resenha do box da primeira temporada, restando mais uma vez apenas deixar registrado nosso protesto pela Universal permanecer mutilando, nos DVDs lançados no Brasil, esta e outras séries prestigiadas pela crítica. Menos mal que, pelo menos, ao contrário do que foi feito na R1, aqui a segunda temporada foi lançada num único box com seis discos.

OS EXTRAS
Como se não bastasse continuar mutilando a imagem e o som da série, a Universal segue ignorando totalmente os extras. Portanto, nota ZERO neste quesito. Só para constar, a segunda temporada na R1 traz uma boa quantidade de material suplementar. Pelo menos não fizeram o fiasco de colocar na capa os extras que não existem, como aconteceu com o box da primeira temporada.

MENUS
Após uma introdução com trechos da série, surgem os menus estáticos que seguem o mesmo padrão da primeira temporada.

DVDs COMENTADOS