O GRITO - VERSÃO DO DIRETOR (DVD DUPLO)
Direção: Takashi Shimizu
Elenco:
Sarah Michelle Gellar, Clea DuVall, Bill Pullman, Jason Behr, William Mapother, KaDee Strickland, Grace Zabriskie, Rosa Blasi, Ted Raimi, Ryo Ishibashi, Yoko Maki, Yuya Ozeki, Takako Fuji, Takashi Matsuyama, Hiroshi Matsunaga
Distribuidora: Europa
Duração: 98 min.

Região: 4

Lançamento: 1º/08/2005

Nº de discos: 2
Cotações:
Filme:
DVD:

Comentários de
Jorge Saldanha

O FILME
Segundo uma lenda japonesa, o lugar onde alguém morre tomado de sentimentos muito fortes como desespero e raiva torna-se amaldiçoado, e uma energia negativa passa a perseguir todos aqueles que entrarem em contato com ele. Karen (Sarah Michelle Gellar), uma assistente social norte-americana que participa de um intercâmbio no Japão, é designada para cuidar de uma senhora catatônica (Grace Zabriskie) que mora numa casa onde, anos antes, ocorreram terríveis assassinatos. Karen não tarda a descobrir que espíritos violentos estão na casa, e tenta resolver o mistério por trás dos crimes. No entanto, a maldição se manifesta e inicia-se uma cadeia de horror que envolverá a todos que pisaram no local.

O Grito é mais uma refilmagem norte-americana de um filme de horror japonês, no caso Ju-On, dirigido em 2003 por Takashi Shimizu (por sua vez, baseado numa realização de Shimizu feita em 2000 especialmente para vídeo). Mas ele já leva vantagem sobre, por exemplo, O Chamado, uma vez que Sam Raimi (Homem-Aranha), o produtor da refilmagem, decidiu utilizar o diretor do original, Shimizu, e inclusive a maior parte de sua equipe. A trama do filme não é muito complicada, trata-se na essência da velha história de uma casa onde ocorreram fatos trágicos e que agora está assombrada por fantasmas em busca de vingança. A originalidade da coisa está, em primeiro lugar, pelo “toque japonês”, que ao enfatizar a ambientação e elementos sobrenaturais criados com o uso mínimo de computação gráfica, proporciona sustos genuínos no espectador. Também, o filme é contado de forma não-linear, o que lhe dá um ar mais intrigante, misterioso. Para complementar, o Japão foi mantido como palco da ação, o que ajuda a acentuar o senso de isolamento dos personagens ocidentais. O elenco norte-americano, onde se destacam alguns rostos conhecidos do cinema e da TV como Sarah Michelle Gellar (Buffy, a Caça-Vampiros), Bill Pullman (Independence Day) e Grace Zabriskie (Twin Peaks) é um atrativo à parte. No conjunto, de todas estas refilmagens de filmes de terror japoneses, O Grito foi a que mais me agradou – e assustou. A versão do filme disponível neste lançamento possui sete minutos de cenas adicionais (principalmente diálogos), que se não fazem muita diferença, também não prejudicam. É um ótimo programa para os fãs do gênero.

O DVD
A Europa está de parabéns por disponibilizar, para venda direta, um DVD de O Grito, em versões com um ou dois discos, muito superior ao que foi lançado há alguns meses para locação. Esta Edição Especial com dois discos combina os DVDs da montagem exibida nos cinemas (disponível aqui somente para locação) e a Versão do Diretor que a Sony lançou na Região 1, porém sem os comentários de áudio. É um produto caprichado, acima da média para seus padrões e comparável a alguns lançamentos das majors. Os dois discos estão acondicionados em um estojo Amaray transparente, envolto numa bonita luva de cartolina metalizada. Quanto à imagem, os DVDs apresentam perceptível granulação, mais acentuada nos extras. Ao contrário do DVD de locação, neste o filme está apresentado no seu aspecto original widescreen anamórfico 1:85.1, e o que se nota nesta transferência é o esmaecimento das cores – o que já notara no cinema, portanto é característica da filmagem original – e um tanto de granulação e artefatos de compressão visíveis principalmente nas (várias) cenas mais escuras. O problema fica bem mais flagrante dando-se um zoom, ainda que mínimo, num televisor grande. Não saberia dizer se a deficiência decorre das transferências utilizadas pela distribuidora ou da taxa de compressão aplicada. Contudo, todos os DVDs wide da Europa que conheço (cito, por exemplo Anjos da Noite – Underworld, que aliás mereceria uma edição como esta, com sua Versão Estendida) apresentam o mesmo problema. Já quanto ao áudio não há do que reclamar, principalmente na faixa em inglês Dolby Digital 5.1. Ela é bem imersiva e cria, nos momentos mais climáticos (ou seria melhor dizer, apavorantes?) uma ambientação perfeita. Os efeitos surround são utilizados nos momentos em que são realmente necessários, sendo em boa parte responsáveis pela angústia de muitas cenas. O subwoofer, por sua vez, fornece graves sólidos que também reforçam a admirável trilha musical de Christopher Young. Para quem prefere assistir ao filme dublado, há uma faixa (bem inferior) em português Dolby 2.0. As legendas, em português e inglês, são amarelas – padrão da distribuidora.

OS EXTRAS
Este lançamento, além de conter o material bônus presente no DVD anterior de locação, traz a maior parte dos extras da Versão do Diretor lançada na Região 1. Infelizmente, ficaram de fora os comentários de áudio disponíveis nas versões lançadas pela Sony nos EUA, com Sam Raimi, o diretor Shimizu e membros do elenco e equipe. Mas vejamos o que esta Edição Especial da Europa oferece:

Disco 1

O material extra deste disco é apresentado com áudio em inglês 2.0, legendas em português e no formato de tela fullscreen - à exceção de Fúria Poderosa: Os Bastidores de O Grito, que está no formato letterbox:


Biografias em texto
- Rápidas biografias do diretor Takashi Shimizu, do produtor Sam Raimi, e de membros do elenco - Sarah Michelle Gellar, Bill Pullman, Jason Behr, Clea Duvall e Gracie Zabriskie;
Bastidores
– Tipo de extra comum nos lançamentos da distribuidora, são imagens gravadas nos bastidores das filmagens. Curioso, mas em seus quase 20 minutos de duração não agrega informações de fato relevantes sobre a produção;
Entrevistas
– Outro extra presente em quase todos os lançamentos da Europa. São pequenos depoimentos dos atores sobre seus personagens, o filme, o roteiro, o diretor, etc. Aliás, Shimizu (o diretor) e Raimi (o produtor) também se fazem presentes;
Fúria Poderosa: Os Bastidores de O Grito
– Este é o melhor extra do disco 1, que torna dispensáveis os Bastidores e as Entrevistas acima. Trata-se de um making-of com mais de 47 minutos de duração, dividido em 5 capítulos temáticos: “O Nascimento do Filme”, “Mito do Ju-On”, “Choque Cultural”, “Projetando a Casa” e “Uma Nova Direção”. Aqui temos muitas informações relevantes prestadas por Shimizu, Raimi, membros da equipe e elenco. Destacam-se as dificuldades decorrentes da decisão de filmar no Japão, com equipe japonesa e elenco norte-americano. Contudo, nota-se que alguns deles, as garotas principalmente, até que se divertiram.

Encerrando este disco, temos o trailer de O Grito e de outros títulos da distribuidora.

D
isco 2
O material extra deste disco também é apresentado com áudio em inglês 2.0, legendas em português (quando necessário) e no formato de tela fullscreen - à exceção das Cenas Excluídas, que estão no formato letterbox:


Cenas Excluídas –
Foram reunidas quinze cenas que ficaram de fora da montagem original do filme, em formato letterbox e com comentários do diretor Takashi Shimizu, do produtor Taka Ichise e da atriz Takako Fuji, que interpreta Kayako (os mesmos que gravaram a faixa de comentários em áudio da Versão do Diretor, infelizmente omitida pela Europa). O que chama a atenção nestas cenas é que, perfeccionismo do diretor à parte, a maioria delas é muito boa, e poderiam perfeitamente ter permanecido no filme. Boa parte delas foi eliminada sob a alegação de que o público americano não iria entendê-las. Mas eu desconfio mesmo é que, cedo ou tarde, teremos uma nova Versão do Diretor de O Grito em DVD;
A Casa de O Grito
– Uma espécie de tour de quatro minutos de duração pelos aposentos da casa, intercalando cenas do filme. Este featurette é acompanhado pela ótima (e sinistra) trilha sonora de Christopher Young;
Imagens e Sons: O Storyboard de Takashi Shimizu
– Com pouco mais de três minutos, é uma comparação das cenas do filme com os storyboards originais do diretor, acompanhada pelo áudio do filme;
Anotações de um Designer de Produção: Os Esboços de Iwao Saito – Temos aqui uma amostra da arte conceitual do desenhista de produção do filme, novamente apenas com a ótima trilha sonora de Young ao fundo;
Vídeo-
Diário de Sarah Michelle Gellar – São nove minutos de alguns vídeos gravados pela eterna Buffy, registrando parte de seu dia-a-dia nas filmagens;

Um Passeio pelo Japão com KaDee Strickland
– Durante quase 14 minutos, a atriz nos mostra algumas curiosidades sobre o Japão e Tóquio. O melhor do extra é ela mesma, muito bonita e simpática;
Curtas-Metragens Originais da Série Ju-On
: 4444444444 e In a Corner – São dois curtas feitos originalmente em vídeo por Shimizu. Com não mais de três minutos cada um, eles garantem alguns momentos, no mínimo, angustiantes.

MENUS
Achei os menus animados feios, onde os tons verdes dos menus do DVD norte-americano foram trocados por uma combinação de vermelho e amarelo.

DVDs COMENTADOS