HOUSE - SEGUNDA TEMPORADA
Direção: Vários
Elenco:
Hugh Laurie, Robert Sean Leonard, Jennifer Morrison, Omar Epps, Jesse Spencer, Lisa Edelstein, Sela Ward
Distribuidora: Universal
Duração: 1051 min.
 

Região: 4

Lançamento: 2007

Nº de discos: 6
Cotações:
Filme
DVD

Comentários de
Jorge Saldanha

A SÉRIE
Nesta segunda temporada continuamos a acompanhar os casos do Dr. Gregory House (Hugh Laurie), um gênio do diagnóstico que também é um sujeito antipático, com um problema na perna que o viciou em analgésicos, que detesta os pacientes e adora resolver enigmas da medicina. Trabalhando com sua equipe de médicos e irritando a administração do hospital, House escolhe sempre os casos mais difíceis, aqueles onde ninguém consegue descobrir qual é o problema do paciente.

House , em sua segunda temporada, continua trazendo a dose certa de drama misturada com o humor sarcástico do personagem principal, e estabelece relacionamentos interessantes entre os médicos. Contudo, por melhor que seja, a série não escapa de uma fórmula: a introdução do episódio mostra um acontecimento que levará ao enigma médico a ser solucionado; depois, a equipe de House faz um diagnóstico, o tratamento é iniciado, o tratamento falha e deve ser descoberta uma nova solução. House faz outros diagnósticos e finalmente acha a solução que irá salvar (ou não) o paciente. Tudo isso intercalado por cenas de House atendendo a contragosto pacientes no plantão ou discutindo com a administradora do hospital, a Drª. Cuddy (Lisa Edelstein). Apesar desta fórmula que se repete em quase todos os episódios, House é uma das melhores séries de TV atuais graças a roteiros acima da média e a um ótimo elenco, encabeçado pelo premiado Hugh Laurie. Ao longo da temporada os personagens vão sendo desenvolvidos de forma consistente. Vemos o astro da série lidando com seu vício, a atração que sente por sua ex-esposa Stacy (Sela Ward) e os problemas que dificultam seu trabalho. Seu único amigo continua sendo o colega Wilson (Robert Sean Leonard), com quem freqüentemente entra em discussões de caráter profissional e pessoal. Para contrabalançar o sarcasmo e a rispidez de House, temos sua equipe formada pela simpática e emotiva Cameron (Jennifer Morrison), que sente atração por House mas foi por ele rejeitada; Foreman (Omar Epps), afro-americano que é alvo das piadas de House por ser de origem pobre, e que sempre dá uma abordagem mais conservadora aos casos; e Chase (Jesse Spencer), que vive enfrentado seus conflitos internos. Apesar de as situações dramáticas serem o ponto central dos episódios, como nos excelentes "Cachorro que Dorme não Mente" (uma mulher está morrendo por causa de sua insônia, e só pode ser salva pelo transplante de um órgão de sua namorada), "House Versus Deus" (o conflito ciência x religião) e "Euforia" (episódio em duas partes onde não é apenas a vida de um paciente que está em risco, mas a de Foreman), há freqüentes momentos hilariantes, como o relacionamento de amor/ódio entre House e a Drª. Cuddy, e seus duelos com Foreman, que nunca quer se dar por vencido. Nessas horas brilha o talento de Laurie, que parece ter nascido para dizer as falas politicamente incorretas e engraçadas de House. O personagem é cativante, e ao longo dos episódios os roteiristas vão mostrando que a couraça que ele usa para se afastar das pessoas não é tão impenetrável como ele faz pensar. Esta segunda temporada termina com um cliffhanger que pode indicar uma mudança de House para a terceira – ou não.

O DVD
Como de praxe a Universal acondicionou os seis DVDs da segunda temporada de House em duas embalagens plásticas – uma scanavo com quatro discos e uma amaray com dois (nos EUA o box foi lançado numa embalagem digipack), ambas envolvidas numa luva de cartolina. Os episódios da primeira temporada foram lançados nos EUA no antigo formato letterbox (widescreen não anamórfico), e o lançamento aqui no Brasil seguiu o mesmo padrão. Menos mal que a qualidade da imagem era ótima, e pelo menos em televisores full os episódios podem ser vistos sem perdas de imagem. Infelizmente, quando lá nos EUA esta segunda temporada foi disponibilizada em transferências widescreen anamórficas de qualidade superior, aqui no Brasil a Universal faz besteira e a lança em formato fullscreen, como vem fazendo com outras séries. Porque simplesmente não lançar com o mesmo padrão lá de fora, como fez com a primeira temporada? Porque ainda se tem essa noção de que o brasileiro prefere tela cheia 4:3? Ora, até no Brasil se vive uma era de disseminação de televisores no formato wide 16:9, prontos para a TV de alta definição e a nova geração de DVDs, e mesmo assim a Universal (e outras distribuidoras) insiste por aqui em mutilar séries e filmes, lançando-as num formato ultrapassado que acarreta cortes na imagem originalmente filmada, além de perda de qualidade. Felizmente a distribuidora está lançando a série Heroes em seu formato original anamórfico, no que espero seja uma tendência a partir de agora. Já quanto ao áudio não há do que se reclamar – além da dublagem 2.0 em português de boa qualidade técnica, os episódios podem ser assistidos com o áudio original em inglês Dolby Digital 5.1, que traz diálogos claros e valoriza a música e os efeitos surround. Estes são usados principalmente para enfatizar a ambientação, e não uma apresentação dinâmica. Sempre digo que numa série deste tipo, onde diálogos e personagens se sobrepõem à ação, o áudio multicanal não é essencial. Mas sem dúvida, quando ele está presente, é muito bem-vindo. As legendas estão disponíveis em português e inglês, e a este respeito é bom ressaltar que a qualidade da tradução melhorou um pouco, mas ainda continua trazendo erros primários.

OS EXTRAS
Felizmente a Universal continua a incluir nos boxes de House os mesmos extras presentes nos lançamentos da Região 1. Se naquela os poucos extras estavam concentrados no último DVD do box, aqui eles estão espalhados e podem ser acessados através do menu correspondente de cada disco. Infelizmente os comentários em áudio não receberam legendas em português, ao contrário dos demais.

  • Comentários em áudio – Há comentários dos produtores executivos David Shore e Katie Jacobs em dois episódios, "Necropsia" (disco 1) e "Sem Motivo" (disco 6). Ambos fornecem muitas informações interessantes sobre os bastidores, num bate-papo amigável e bem-humorado;

  • Erros de gravação (5:29 min.) – O disco 2 traz uma seleção de erros de gravação, onde na maior parte do tempo vemos os atores errando suas falas e praguejando, com o indefectível "bip" substituindo o palavrão. Divertido;

  • Poderia ser Lúpus... (1:21) – Também no disco 2 temos esta uma colagem de muitas cenas (em formato letterbox) nas quais a doença Lúpus é citada como um possível diagnóstico;

  • Cenas alternativas – Ainda no disco 2 temos uma tomada alternativa do episódio "O Garoto do Papai" identificada como "A versão da Garota do Vale" (0:52min.), com as atrizes Lisa Edelstein e Jennifer Morrison. O disco 5 traz outra cena, desta vez do episódio "Monstros no Armário" (1:05min.);

  • Uma Noite com House (18 min.) – Além do comentário em áudio no episódio "Sem Motivo", o disco 6 traz este featurette gravado na Academy of Television Arts & Sciences, apresentado pelo crítico Elvis Mitchell. Nele, os produtores Bryan Singer, Paul Attanasio, David Shore e o elenco principal falam principalmente sobre o processo de criação da série e seu desenvolvimento.

MENUS
Os menus são estáticos e oferecem as opções básicas de navegação – reproduzir todos os episódios, selecionar episódios individuais (não há mais a opção de selecionar cenas), acessar os extras e ajustar as opções de idiomas.

DVDs COMENTADOS