HOUSE - TERCEIRA TEMPORADA
Direção: Vários
Elenco:
Hugh Laurie, Lisa Edelstein, Omar Epps, Jennifer Morrison, Robert Sean Leonard, Jesse Spencer, Bobbin Bergstrom, David Morse, Marco Pelaez
Distribuidora: Universal
Duração: 1049 min.

Região: 4

Lançamento: 14/11/2007

Nº de discos: 6
Cotações:
Filme
DVD

Comentários de
Jorge Saldanha

A SÉRIE
Recuperado do tiro que levou no final da segunda temporada e agora andando sem a ajuda da bengala, o Dr. Gregory House (Hugh Laurie) continua ácido com sua rude sinceridade. Embora extremamente anti-social, House é um especialista cujo raciocínio não é nada convencional e possui instinto certeiro, habilidade que o torna respeitado por todos. Grande conhecedor de doenças infecciosas, realiza os diagnósticos e ama os desafios do quebra-cabeça médico.

Com uma fórmula bem ajustada e já com uma firme base de fãs, House entra nesta terceira temporada aprofundando seus personagens - tarefa em muito facilitada pelo talentoso elenco da série. Além de revelar mais sobre a vida privada do rabugento médico e sua equipe, esta temporada introduz o personagem de Michael Twitter (David Morse), um policial que, após ser rudemente atendido por House, fica obcecado em prendê-lo por seu vício em Vicodin. Isto envolve não apenas House e Twitter, mas também aos amigos e colegas do médico em um arco que dura seis episódios. Particularmente não gostei muito desse arco, que chega após um início muito promissor de temporada onde House, feliz por estar livre da dor em sua perna e do vício no analgésico, parece estar se transformando em outro homem. Claro que esta condição é passageira, e com o retorno da dor o médico volta a ser o sujeito amargurado e grosseiro que conhecíamos. Os casos médicos, que são o pano de fundo de cada episódio, continuam enigmáticos e interessantes. São a parte da fórmula em que um paciente é internado sofrendo de um mal inicialmente inexplicável, e House e sua equipe investigam os sintomas para descobrirem que tipo de doença é. Após falsos diagnósticos, no final do episódio House tem uma inspiração, descobre a cura e o paciente, após sangrar pelos mais variados orifícios, é salvo em 90% dos casos. Mas na verdade o "mistério médico da semana" serve principalmente para explorar as complexidades do personagem House, e os relacionamentos com sua chefe, seu único amigo e sua equipe. Assim, também ganham destaque Cuddy (Lisa Edelstein), que está querendo engravidar; a conflituosa e por vezes cômica amizade com Wilson (Robert Sean Leonard); o complicado relacionamento entre Cameron (Jennifer Morrison) e Chase (Jesse Spencer); e as questões pessoais e profissionais de Foreman (Omar Epps). Apesar destes elementos já fazerem parte da receita de House desde o início, aqui eles são intensificados de modo a progressivamente levarem o personagem principal ao isolamento, num final que promete uma mudança radical para a quarta temporada. Além do capítulo inicial, merecem destaque os episódios “Insensitive”, onde House trata uma garota que não sente dor, e “The Jerk”, onde um gênio do xadrez com apenas 16 anos revela ser um páreo à altura de House. As participações especiais de John Larroquette (“Son of a Coma Guy”), Joel Grey (“Informed Consent”) e Dave Matthews também são destaques desta temporada. É lugar comum dizer que House é uma série bem escrita, mas como nada é perfeito, interessantes subtramas como o do “romance” entre Cuddy e Wilson e a da garota obcecada por House não são melhor exploradas. Mas graças à caracterização antológica do excelente Hugh Laurie (ainda que careteiro demais nesta temporada), eventuais falhas de roteiro passam praticamente despercebidas. Este sim é o elemento principal da receita que torna House uma das melhores séries de televisão da atualidade.

O DVD
Quem vem acompanhando as minhas resenhas dos DVDs de House conhece os problemas que afetaram os boxes anteriormente lançados no Brasil. Relativamente a esta coleção da terceira temporada, temos algumas boas notícias e uma má. As embalagens não mudaram em relação aos boxes anteriores - os seis DVDs estão acondicionados numa Scanavo para  quatro discos e numa Amaray para dois, ambas envoltas em uma luva de cartolina. O ideal seria que, a exemplo de Heroes, tudo estivesse numa embalagem digistak. Já quando inserimos o primeiro DVD, notamos agradáveis melhorias nos menus (ver abaixo). Mas o principal avanço é que, finalmente, podemos assistir House, aqui no Brasil, no formato em que foi filmado - widescreen anamórfico na proporção 1.78:1. Isto faz com que a qualidade da imagem seja superior à dos boxes anteriores (no primeiro ela era letterbox; no segundo, fullscreen), sem os cortes ou a perda de detalhes provocados pela alteração do formato original. As transferências de cada um dos 24 episódios são excelentes, com cores vibrantes, níveis de preto fortes e alta nitidez. Não há sujeiras, danos ou artefatos de compressão visíveis. O áudio original em inglês Dolby Digital 5.1 continua excelente para uma série de TV que enfatiza diálogos e personagens, garantindo uma fiel e potente reprodução da trilha musical e dos efeitos surround, quando necessários. Opte pela inferior dublagem em português 2.0 apenas se for uma questão de vida ou morte. Bom, até aqui na maior parte só boas notícias, e a Universal deve ser parabenizada por ter atendido aos nossos apelos e começar a lançar esta e outras séries de seu catálogo no seu formato original wide. Mas, infelizmente, chegou a vez da má notícia...

OS EXTRAS
Os boxes nacionais anteriores de House traziam os mesmos extras das versões lançadas no exterior, que se não eram excepcionais pelo menos possuíam informações e curiosidades de interesse para os fãs da série. Mas desta vez a Universal simplesmente eliminou todos os extras da terceira temporada, como se esse fosse o preço a pagar para podermos ver a série em widescreen. Apenas para registro, os extras do box Região 1 são: Cena Alternativa do episódio "Cane & Able" (Versão Angry Valley Girl), Comentários em Áudio do produtor David Shore e da produtora/diretora Katie Jacobs no episódio "Half Wit", Erros de Gravação, os featurettes  "Anatomia de um Episódio: 'The Jerk'", "Banda da TV" (apresentação de uma banda formada por personalidades da TV, como Greg Gunberg de Alias e Heroes, e Hugh Laurie), "Open House" e "Blood, Needles and Body Parts". Uma pena que a Universal tenha pisado na bola mais uma vez, no que parece ser uma sina desta distribuidora que teria todas as condições para lançar aqui produtos do mesmo nível lançado lá fora. Quem sabe isso vá acontecer na próxima temporada.

MENUS
Os menus possuem animação, e ao fundo toca a trilha musical da série. O melhor é que agora temos, em cada episódio, a opção de selecionar um capítulo específico.

DVDs COMENTADOS